quinta-feira, 22 de junho de 2017

Revolucionar...

Fazer diagnóstico da vida...
É descobrir fatos, coisas e pessoas,
Que revolucionam toda uma existência.
Na serenidade invadem uma verdade
Que vivia abafada, consumida, morta...
Brota borbulhante e límpida como fonte,
Abastece alma e coração,
Matam a tranquilidade...
Quando tudo parecia arrumado,
Desce uma cachoeira de emoções,
Que vai moldando rudezas,
Transformando sentimentos,
Encorajando novos rumos,
Novas pistas de fuga,
Desvio?
É melhor...
Ficar na obscuridade que expor-se a novas descobertas?
Assim, perde-se no ímpeto da fuga, o prazer de novas sensações!
Célia Rangel


terça-feira, 20 de junho de 2017

Dia Mundial dos Refugiados


Uma triste realidade!

Será que precisamos de um dia para observarmos essa dura realidade

com nossos irmãos?


https://oglobo.globo.com/

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Parabéns Ribeirão Preto - 161 anos!


Uma cidade que nos acolheu
Com seu céu puro, despoluído,
Delineava em uma tela azul,
Encantadoras nuances de um dourado sol.
Presenteava-nos, divina e gratuitamente,
Com sua boêmia lua adornada,
Por estrelas apaixonantes.
A tranquilidade interiorana,
Para quem fugia da agitação,
De uma capital desvairada,
Concebeu pouso, trabalho e vida
Para uma família também sagrada:
Ao pai – à mãe – e ao filho.
Assim seduzidos, alicerçaram suas
Alegrias... Realizações... Sonhos...
Sorrisos e lágrimas hidrataram o solo,
De uma “Califórnia” genérica,
Que ainda luta pela sua grife
Mas, vê distante a realidade...
Não se livrou dos desmandos políticos,
Da corrupção e da ingerência administrativa.
Ainda assim habita um povo forte e nobre,
Que acredita no amor e no trabalho.
Hoje, saldo positivo no balanço de vidas.
O amor que o pai, Flávio, já na eternidade,
Emana para a mãe e o filho – é contagiante...
Esta cidade acolheu e colheu nosso ente querido,
Que ainda jovem, projetava seu sonho:
“Morar em Ribeirão Preto!”
Parabéns Ribeirão! Você nos deu muito...
Você nos tirou muito também...

Célia Rangel



domingo, 18 de junho de 2017

É assim...


Um abraço que com o tempo amadureceu

E transformou-se em solidário por nossos temores

Amparados fomos a nossos valores espirituais

Deu-nos a esperança travestida em coragem

Para novas atitudes quanto às perdas que choramos

Uma suavidade na música que nos acarinha

Na coerência do gesto do querer em nós

Dos sentimentos brotam a esperança do amor

Que no silêncio enraíza-se em total cumplicidade

Gerando confiança, maturidade e carinho perfumados

Com aromas do ontem, do hoje e do amanhã.


Célia Rangel


sexta-feira, 16 de junho de 2017

Reflexão


A alma é uma coleção de belos quadros adormecidos, os seus rostos envolvidos pela sombra. Sua beleza é triste e nostálgica porque, sendo moradores da alma, sonhos, eles não existem do lado de fora.

Vez por outra, entretanto, defrontamo-nos com um rosto (ou será apenas uma voz, ou uma maneira de olhar, ou um jeito da mão...) que, sem razões, faz a bela cena acordar. E somos possuídos pela certeza de que este rosto que os olhos contemplam é o mesmo que, no quadro, está escondido pela sombra.

O corpo estremece. Está apaixonado.

Acontece, entretanto, que não existe coisa alguma que seja do tamanho do nosso amor. A nossa fome de beleza é grande demais. (...) Cedo ou tarde descobrirá que o rosto não é aquele. E a bela cena retornará à sua condição de sonho impossível da alma. E só restará a ela alimentar-se da nostalgia que rosto algum poderá satisfazer...

Rubem Alves

terça-feira, 13 de junho de 2017

Artista da vida


No circo da minha vida,
do picadeiro ao trapézio,
sou artista de primeira.
Na máscara do palhaço
escondo minha dor...
sou só sorriso e alegria,
uma ótima companhia!

Não insista com sua chateação,
pois posso até achar
que ficar só é lindo...
e o circo não tiver plateia,
recolho minhas cinzas
retorno para minha cabana
e espero o próximo espetáculo.

Senhoras e Senhores...
A vida, um autêntico circo...
com amores e domadores,
com belas e feras,
com sonho e esperança...
de que tudo se recrie...
no próximo espetáculo.

Respeitável Público!!


Célia Rangel