terça-feira, 17 de agosto de 2010

ATREVIDA

Havia uma ponte entre nós O desgaste da vida desmoronou Solto no espaço os pensamentos Vazios, frios, sem emoção. Razão de vida... ternas lembranças Projetam um arco-íris de esperança Novas pontes, novos caminhos Atrevida percorro noite e dia! Não quero mais sombra. Não quero viver iludida. Quero um afago seu... Quero aquecer minha vida! Vontade de parar o tempo Eu e você... aumentar o espaço Apenas nós no olhar e na ternura, Sem segredos,sem insinuações. Derrubar essa muralha Que se torna um escudo Para camuflar nosso real amor Sou atrevida... cuido de mim e de nós! Célia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.