segunda-feira, 30 de agosto de 2010

A MORTE

Mata-se por amor, Morre-se por amor. Mata-se por ódio, Morre-se pelo ódio. Mata-se por covardia, Morre-se por ser covarde. Matam-se esperanças, Sonhos, projetos, utopias, vidas... São assassinos e vivem livres... Sem algemas, sem condenação alguma! Se você me perguntar: “e a consciência”? Com um sorriso sarcástico responderei: “E têm? Célia

Um comentário:

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.