terça-feira, 7 de setembro de 2010

MARIAS

Marias de hoje: mulher, que é filha, amante, esposa, mãe, profissional... Cheia de poderes e responsabilidades que talvez abrissem mão, Em troco de um pouco de paz, magia, romantismo e respeito... Pelo corpo que abriga outras vidas – sem leis e castrações... Apenas na doação, pura e simplesmente... Pela inteligência a aprimorar na competição com os Josés... Por um trabalho, partilha e remuneração dignos Lado a lado: homem e mulher - troca mútua integral! Marias, que meditam a desvalorização do ser... Marias, incompreendidas que choram... Marias, abandonadas em seus pecados e santidades, Marias viciadas, estupradas, à margem da sociedade... Excluídas por destinarem-se a seguir outros caminhos! Marias de hoje na miséria ou na opulência... Marias alegres ou tristes... Todas mendigam afeto! Não se contentam com migalhas de amor... Doam-se inteiramente e sonham com a realização Da utopia da igualdade entre Marias e Josés! Célia

Um comentário:

  1. Marias de dupla jornada, cansadas, e muitas vêzes humilhadas. Pobres Marias! Como queriam ser felizes. Rezemos por elas.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.