quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

"O amor em cinco tempos"

Um filme... várias interpretações! “O Amor em cinco tempos” Revisão total de vida! Mesmo quem não passou pelo caminho legal do divórcio, compromete-se com a narrativa. Há tempos e tempos de amar! Há modos e modos de amar! Magnífico quem atinge tal esfera! E, pode se dar ao luxo de uma autoanálise! Ai então é fantástico.
O filme transcorre de trás para frente: o divórcio; a primeira transa após o mesmo; o casal recebendo em sua casa o irmão gay do marido com seu namorado, quinze anos mais novo, para um jantar complementado por danças e confissões íntimas; o nascimento do único filho do casal; a cerimônia do casamento com a primeira infidelidade e, finalmente, o primeiro encontro do casal.
The end... Para quem curte gênero romântico é boa indicação!
Interessante quando comparamos com “nossos cinco tempos de amar”: 1) -a separação pela morte; 2) -comemorações de bodas; 3) -nascimento dos filhos; 4) -a lua de mel; 5) -o namoro. São cinco tempos “marcantes” que a vida nos proporciona... E, feliz quem consegue usufruir desses belos momentos! Antes, a separação pela morte, que por uma traição amorosa... Célia.

Um comentário:

  1. Quero ver este filme amiga. Traição, nem pensar, ai..... doí até em pensar. Beijão

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.