sábado, 18 de dezembro de 2010

Tempestades

Uma calmaria... mesmices... De repente... Sangue... suor e lágrimas... Pela magia da vida nos doamos... Apaixonadamente. Fogo... água... terra... vento... Tempestades: ventanias... relâmpagos... raios... trovões... escuridão... granizo... areia nos olhos... neve no coração... vulcão em erupção na alma! A magia da natureza nos oferece. O tempo de uma vida... sem manipulações... O desinstalar... o revirar nossa zona de conforto... Ter que dividir... saber perder... aceitar... e, enfrentar Novas situações. Nas pessoas também, o efeito da tempestade é enorme! Quem pacificamente aceita as intempéries, saberá conviver com as mesmas, e delas tirar lições e grandes aprendizados! Para isso, é preciso um coração puro e mente tranquila. Depois, sempre clareia o céu... Surge um novo sol... a terra com seu cheiro de vida brotará Novas esperanças... nova claridade... tudo pronto para novos espetáculos. E, o humano desejoso de reverenciar tudo novamente! Se, Vento... agita-se, descabela-se, esvai-se... Se, Fogo... arde-se, queima-se, desintegra-se... Se, Água... embriaga-se, empapa-se, enruga-se... Se, Terra... enlameia-se, empoeira-se, suja-se... És pó nas tempestades da vida. Célia.

Um comentário:

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.