terça-feira, 28 de setembro de 2010

Entrega

Ao amanhecer deparo-me em meditação De agradecimento Pela vida, pelo meu descanso, por um novo dia Em que desperto
Novas emoções, esperanças e possibilidades... E num despojamento total me ofereço Àquele que aqui me colocou disponibilizando Um tempo e um espaço todo meu!
Isso me assusta e aumenta a responsabilidade Por mim... Seguir minha rota... meu plano de voo Sozinha... sem você
Portas se fecham... sensações desbotadas... Sobreviver? Como?
Ancorada na alternativa VIDA Dedico-me a realizar ações do bem Só assim encontro a paz de que ter vivido, Valeu por todo itinerário traçado! Célia

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

HIPOCRISIA

Humano desqualificado absorve tal sentimento sem nenhum pudor... Ignora o que irá causar até porque sua sensibilidade é torpe. Pouco ou nada lhe importa amealhar pobreza de espírito Ostenta com arrogância uma vazia superioridade e, Com naturalidade perpassa pela vida impingindo imagem de bom... Ridiculariza aqueles que eticamente procedem e continua tendo suas vantagens Instiga, endossa e promove a permanência e a vitória dos maus sobre os bons Sabiamente retrata com desmedida extravagância suas “qualidades”... Indiferente subestima a inteligência de quem ousa apontar sua iniquidade... Achando-se inatingível submete a todos à escravidão de pensamentos... HIPOCRISIA - uma palavra que deveria ser abolida de nosso vocabulário. Mas, infelizmente muitos a utilizam como uma máscara de vida! Célia.

domingo, 26 de setembro de 2010

Cantando...

Domingo Maria Bethânia Composição: Roque Ferreira Veja, meu bem Que hoje é domingo Domingo eu não choro Domingo eu não sofro Domingo eu sou de paz E alegria Tristeza, hoje eu não estou Saudade, volte outro dia Domingo eu não sou boa Companhia Se o amor quer me deixar Me deixe num domingo Eu não vou reclamar E posso até achar Que ficar só é lindo Domingo a minha vida é o circo Eu sou a trapezista Alguém avise à dor Que não insista Tristeza, hoje eu não estou Saudade, volte outro dia Domingo eu não sou boa Companhia Se o amor quer me deixar Me deixe num domingo Eu não vou reclamar E posso até achar Que ficar só é lindo Domingo a minha vida é o circo Eu sou a trapezista Alguém avise à dor Que não insista. http://www.youtube.com/watch?v=FIshjp_4L3k

sábado, 25 de setembro de 2010

Reencarnados

No desencontro, o encontro... Desesperado, sem você, sai e bebi todas. Na garrafa, no copo, na taça só via você... Chorava e te queria como nunca! Em pensamento, prometia-lhe o mundo... Seria outro homem se você fosse minha mulher. Desencantada, você não mais me atendia. Insisti tanto... até vencê-la pelo cansaço. Afinal, você me atendeu... Não era você! Alguém... fez por você e por mim, o que não tivemos coragem de fazê-lo! Perdoou-me! E, ao seu encontro fui com alegria suprema Do perdão! Entregamo-nos na mágica da vida! Quero hoje agradecer aquele anjo... que Deus colocou em nosso caminho! Célia

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Nova Estação...

A Natureza em seu ventre está grávida! Explode em harmonia e beleza.
Irradia sol dourado e um céu azul Ameniza em noites aquecidas A saudade das flores de um jardim O meu jardim interior!
Silenciosamente, as flores surgem... Embelezam, inspiram poetas e amores Depois, partem sugadas e murchas Como vidas em sulcos e rugas... Desaparecerão...
Célia Primavera/2010

Nem tanto ao Neymar...nem tanto aos Limites!

Perdemos nossos limites. Nossa zona de contenção. Mesmo chegados à idade adulta, tida como maturidade, muitas vezes demonstramos uma total desorientação! Valores? Posturas? Ética? Palavrinhas meio em desuso. E, quem as usa logo é taxado de antiquado... Filhos que desrespeitam pais... Pais que desrespeitam filhos... Alunos que desrespeitam escola e seus integrantes todos... Escola que não se adéqua aos tempos de hoje... Profissionais que não se enquadram aos valores da empresa... Empresa que não gesta, apenas dita seu código incongruente... Famílias que competem debaixo de um mesmo teto sem a mínima compreensão das individualidades... Crises de autoridade evidenciam-se em todos os setores... Cada um quer se mostrar mais poderoso que o outro... E, para fazer média com isso tudo, submetemos goela abaixo o estabelecido. Ou por medo, ou por falta de identidade própria não avançamos o sinal. Nem questionamos sequer. Ouvir e dialogar duas ações inteligentes as quais pouco utilizamos! Ficamos à mercê da ditadura dos mandamentos, das regras da moral e dos bons costumes... Quem dita isso tudo é íntegro? Ou um mero vilão da história? Li em um texto do escritor Lauro Daros: “Há encantos na impureza...! Ai dos puros! Elogios no velório, só”. Grande verdade! Julgamos todos e suas ações... se ponderássemos um pouco como o escritor citado, mudaríamos nossa ótica! Falta-nos o bom senso! Célia

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Um sorriso...

Um sorriso alegre, contagia! Um sorriso romântico, energiza! Um sorriso sarcástico, afasta! Um sorriso confidencial, aproxima! Um sorriso cúmplice, acaricia! Um sorriso cínico, enoja! Um sorriso angelical, acalma! Um sorriso desaprovador, anula-nos! Um sorriso solitário, aconchega-nos! Um sorriso desejoso, plena conivência... Um sorriso em um sonho, dá sabor à vida... Um sorriso, livra-nos de naufragarmos em turvas águas... Saber o sabor de um sorriso... poucos conseguem...
Célia

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

domingo, 19 de setembro de 2010

Aquietar-se...

O processo agora é outro Acalme-se coração! Você já viveu... amou e foi amado... Teve suas alegrias e tristezas Pulsou acelerado e em pausas... Em brasas incendiou-se! Vive um intervalo de sua existência Em que se congelou precavidamente Compactuando com o compasso da alma, Uma nova cadência... um novo momento! Zarpando segue além das nuvenzinhas inquietas Que no infinito desenham um carrossel Repleto de mensageiros celestiais... Intemporais! Célia

sábado, 18 de setembro de 2010

Essência

Depois de muitas lapidações... a essência da vida. Em Sua companhia... a entrega sutil e plena... A transformação... como vagalume a iluminar! Nas omissões e fracassos... o apoio Nas alegrias e sucessos... o agradecer. Há uma paixão pela vida, insubstituível! Tempestades jamais a abalaram. Demanda uma serenidade de fé, Que só a maturidade traz. Espalha-se com sabedoria, a vida E, recolhe-se o essencial para a mesma Que num crescendo atinge a simplicidade Colorindo a tela existencial com nuances transparentes Revelando intimidade para o divino encontro supremo... Nós e Ele! Célia.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Ribeirão Preto!! Alto verão!!

Com 39,5ºC, Ribeirão bate recorde Em pleno inverno, Ribeirão Preto registrou nesta sexta-feira (17) a temperatura mais quente do ano. Às 15h, de acordo com a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), os termômetros marcaram 39,5ºC. A temperatura mais alta, até então, havia sido registrada no dia 5 de janeiro, com 38ºC. Com o calor e a baixa umidade (17% nesta sexta-feira), os exercícios físicos devem ser evitados entre as 10h e 16h, além de atividades gerias ao ar livre. Para amenizar a seca, um balde com água ou uma toalha umedecida deve ser colocado nos ambientes. Soro fisiológico nos olhos e no nariz também auxiliam a enfrentar o problema. A primavera terá início na próxima quinta-feira (23). Não há previsão de chuva para os próximos dias em Ribeirão Preto.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Baú de memórias...

Você... Eu = Paz... Encantamento... Relação perfeita: cegos e surdos na conveniência
Contrariamos a máxima de que isto é impossível... Existimos sim... Somos reais e únicos! É possível...
Aceitamo-nos com nossas diferenças: qualidades e defeitos Com arte e união construímos nossa vida nas semelhanças
Conflitos e frustrações aconteceram, mas... solucionamos! A fórmula exata foi saber expressar e acolher todos os sentimentos
Nossa proposta era sempre ser e fazer o melhor um pelo outro Em um balanço emocional analisávamos nossas ações, gestos e atitudes
E, com muito carinho e respeito, reinventávamos... Se há fórmula mágica para conviver, essa foi uma: Surpreendermo-nos sempre! Célia.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Passando dos Cinquenta...

Meu pescoço se enruga. Imagino que seja de mover a cabeça para observar a vida. E se enrugam as mãos cansadas dos seus gestos. E as pálpebras apertadas no sol. Só da boca não sei o sentido das rugas se dos sorrisos tantos ou de trancar os dentes sobre caladas coisas. (Marina Colasanti)

domingo, 12 de setembro de 2010

Dance comigo...

Inolvidável agosto de 1969... Juntinhos eu e você Corpos embalados por suaves canções Maysa no Urso Branco... e nós... Elegante e romântico, como sempre, Adivinhava meus pensamentos... Nossos olhares conversavam. Nada mais era preciso. Uma sensação de paz e aconchego, Segurança, carinho e o cuidar Um do outro... Adorávamos dançar! A música sempre nos embriagou De paixão, encantamento e a certeza do amor! Passos sincronizados sempre... dancemos...
Só que agora... outra trilha sonora!! Célia

sábado, 11 de setembro de 2010

Rezar...

O que seria rezar nos dias de hoje? Quando saio do meu lar para o trabalho e, não sei se retornarei, também devido à falta de segurança… É uma real oração! Se Ele está no meio de nós… está evidentemente entre os marginais e marginalizados por uma estrutura social apodrecida! Quando vejo a agressão pulverizada nas famílias onde deveria ser o berço carinhoso do acolhimento... Quando vejo a destruição e a poluição do ar, da água, das plantações com seus agrotóxicos... o fogo criminoso em nossas matas, os animais, as aves e humanos sofrendo todas as consequências… fico imaginando o semblante do Criador ao ver o que fazemos com tudo quanto Ele criou!! Somos ingratos. Recebemos gratuitamente um presente e o destruímos! Como rezar, se cada vez mais vemos o distanciamento entre o humano e o divino! Fórmulas decoradas e recitadas sem nenhuma introspecção... Expressar oralmente palavras que em nada se coadunam com a nossa prática? Prefiro silenciar... E, compactuar-me com o poeta “Gilberto Gil: Se eu quiser falar com Deus / Tenho que ficar a sós / Tenho que apagar a luz / Tenho que calar a voz /Tenho que encontrar a paz /Tenho que folgar os nós...” http://www.youtube.com/watch?v=tWuQc7W0O-A Concluo: Como tenho nós para desatá-los...!! Célia

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Humildade ao envelhecer...

Abra espaço para corpos jovens Não adianta ter mente jovem se o seu corpo não mais acompanha... Partilhe a sabedoria e o conhecimento adquiridos Assuma sua mediocridade, Submeta-se sempre às novas aprendizagens e tecnologias... Isso rejuvenesce! Não comparar com o que você foi... ou fez... Ou o cansativo chavão: “no meu tempo não era assim...” Isso envelhece! O seu tempo agora é outro... Autenticidade e simplicidade em ser o que você é... Aprenda a perdoar e a pedir perdão... Isso é inteligência! Abra suas mãos e seu coração... Nascemos de mãos fechadas. Morremos com as mãos espalmadas. Saiba doar e receber... Tenha gratuidade em tudo! Nossa vida é fugaz... passagem meteórica... Tudo se esvai! Fica o amor vivido... sofrido... pleno... amado realmente... Ficam momentos de felicidade... eternas lembranças Delicie-se! Amargura, decepções, apague não vale a pena, preze sua pressão arterial... Mantenha sempre sua mente no azul das emoções! Sonhe... viaje ao infinito... Seu pensamento é o único lugar onde você é realmente livre... Usufrua! Delegue! Esqueça! Viva! E deixe viver.... Célia

terça-feira, 7 de setembro de 2010

MARIAS

Marias de hoje: mulher, que é filha, amante, esposa, mãe, profissional... Cheia de poderes e responsabilidades que talvez abrissem mão, Em troco de um pouco de paz, magia, romantismo e respeito... Pelo corpo que abriga outras vidas – sem leis e castrações... Apenas na doação, pura e simplesmente... Pela inteligência a aprimorar na competição com os Josés... Por um trabalho, partilha e remuneração dignos Lado a lado: homem e mulher - troca mútua integral! Marias, que meditam a desvalorização do ser... Marias, incompreendidas que choram... Marias, abandonadas em seus pecados e santidades, Marias viciadas, estupradas, à margem da sociedade... Excluídas por destinarem-se a seguir outros caminhos! Marias de hoje na miséria ou na opulência... Marias alegres ou tristes... Todas mendigam afeto! Não se contentam com migalhas de amor... Doam-se inteiramente e sonham com a realização Da utopia da igualdade entre Marias e Josés! Célia

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Minha crença

Acredito na beleza relativa das pessoas e das coisas Nada é para sempre... e o depois, uma incógnita... Creio na germinação da semente interior de cada um Que desabrocha no silêncio da morte. Minha força não está em desvendar o mistério Mas, em ser o próprio... O meu dizer ‘Sim ou Não’ tem a linguagem do olhar Sou um processo de mão dupla: refletir e agir... E, sem compromisso, em miragem... Fugir para outra vida, mesmo sem sentido Apenas na aventura da busca, Onde puro é o amor no milagre da solidão! Deus o semeou pensando em mim... Não o deixarei... sou intensa e me amo assim! Célia

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Celebrar 7 de setembro?

Às vésperas de mais uma data significativa de liberdade para os brasileiros... entoam na mídia escabrosas palavras politicamente incorretas pulverizando promessas que desde há muito não acreditamos. Dá-nos a impressão de uma paródia da letra do "Hino da Independência"!
Triste é ver que da miséria... da inexistência de: saúde, educação, segurança... da mínima condição higiênica de se viver... de um salário digno e não de esmolas de bolsas: família... educação... telefone... cotas universitárias... salários minimamente mínimo mesmo... aposentadorias que jamais tranquilizam aqueles que deram seus melhores dias de saúde e vida para o país! É neste cenário que buscam elegerem-se os “espertalhões”, com suas fichas limpas ou sujas... ou verdadeiros “Alices no país das maravilhas” que se fazem de cegos... E, prometem! Ah! Como prometem! Vão melhorar tudo!
É subestimar a nossa inteligência! Poderíamos exercitar nossa voz para bradarmos “Independência ou Morte” diante das urnas em outubro! Fica o questionamento: há opções plausíveis para isso? São sempre os mesmos. Sempre a mesma história. Difícil é visualizarmos um final feliz.
Gostaria de ver políticos sem remuneração alguma! Políticos, cidadãos realmente com amor à Pátria! Não com objetivos escusos de polpudos vencimentos, gratificações e inúmeras mordomias. No máximo que vivessem com uma verba representativa de um salário mínimo! Com certeza não haveria toda essa palhaçada política que antecede ao período em que somos obrigados a elegê-los. Obrigação esta, que nos escraviza, e não liberta! Célia.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Uma linda canção!!

Sol de Primavera
Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos Quero ver brotar o perdão onde a gente plantou juntos outra vez Já sonhamos juntos semeando as canções no vento Quero ver crescer nossa voz no que falta sonhar Já choramos muito, muitos se perderam no caminho Mesmo assim não custa inventar
uma nova canção que venha nos trazer Sol de primavera abre as janelas do meu peito a lição sabemos de cor só nos resta aprender (Beto Guedes)