quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A dança da vida

O ritmo pode não ser do meu agrado. Mas tenho de acertar o passo no compasso. De nada adianta o desencontro... Estar bem primeiro comigo e depois com o outro... Revitalizo assim minha alma, Para enfrentamento dos dissabores. Em meu interior me aconchego amando-me, Querendo-me um bem enorme! Revisto-me de coragem para me proteger, Não deixar que me usem... não sou descartável... Objetividade naquilo que quero, E, fé naquilo que sou e posso, Transformam meu mundo aqui e agora. Célia
©Direitos Reservados

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.