domingo, 13 de fevereiro de 2011

Mergulho emocional

Um depósito de emoções e, como todo depósito, vez em quando necessita de uma faxina... Eliminar o que não serve mais, cuidar do que ainda tem valor e vale a pena... Reavaliar. Rever. Separar mesmo o joio do trigo... Abrir novos espaços. Novos caminhos... Experienciar novas emoções...
Sentimos... exteriorizamos... armazenamos... durante toda uma vida e, de repente damos conta de que extrapolamos o limite! Isso é terrível! Ultrapassarmos as “toneladas” cabíveis dentro de nós! Afinal, que validade tem esse acúmulo de emoções em nossas vidas? Passamos horas, dias, anos, momentos a cultivarmos preconceitos, preocupações e, por isso mesmo deixamos de desfrutar o bom da vida. O sol que nasce gratuitamente. Aquece. Ilumina. Irradia ânimo para mais uma jornada do dia. A lua que chega harmoniosamente prateando a noite em que o espero. Corpo suado. Cansado. Vegetativo sobre um leito. Renasce com seu contato. Como a um poema lemo-nos avidamente. Viramos a página e seguimos iludidos, inebriados pela felicidade! Não nos entulhemos de supérfluos. Quem é você? Não sei. Só sei que nossas almas, de tão idênticas, fundem-se em uma só... E, só, caminhamos... Mas, há uma singularização entre nós... Sinergia. Simbiose fecunda. É isso. Desfrutemos. No imenso espaço desperdiçado de nossas vidas! Célia.
©Direitos Reservados

Um comentário:

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.