quarta-feira, 2 de março de 2011

Fêmea

Um arco-íris de energia. Ao nascer, menina, ou mulher, Contraditória. Culta. Indomável. Dócil. Enamorada. Dedicada. Lutadora. Explosiva em suas primaveras, Temperamental em seus outonos! Com sua originalidade, desconcertante, Arrisca-se a viver explorando corpo e alma, Num eterno “decifra-me ou te devoro”. Perseguida, desejada ou endeusada, Eterna fugitiva da realidade. Busca todo amor do mundo, E, no cio do encontro, o grande segredo... Delicadas esperas de gestar vidas, Intimidade divina da entrega e da troca Do olhar, do acarinhar, sensações únicas. Na singularidade em ser ninho de vida... Embala o ventre, ainda que silencioso, Pulsando emoções umbilicais, Até que nascido receba a seiva, Que completa. No êxtase da felicidade, doar-se, Sabe que a vida lhe cobrará... O que fez e o que permitiu, Na omissão do desespero, Simplesmente... por ser fêmea! CéliaRangel ©Direitos Reservados

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.