segunda-feira, 11 de abril de 2011

Meditabundo

Pelo medo da repressão,
Pelo entusiasmo encubado,
Pela demência exacerbada,
Pela omissão nos ideais,
Por diminuir o ritmo da vida,
Mofando a mente, eximindo dos sonhos...

Atropelando, ferindo tudo e todos
Pela ausência de respeito e cumplicidade,
Descartando preciosas parcerias.
E, o ponto "e" do equilíbrio, nunca desvendado...
Pelo excesso de intransigência ou indulgência.

E, assim, ler sem palavras - uma arte.
Decodificar hieróglifos - sabedoria.
Suprir carências - competência.
Tudo misterioso - nada para sempre.

Sementes do amanhã, hoje plantadas,
refletem serenidade e harmonia
de uma geração autêntica
invadindo o universo dos sentidos.

Uma foto revelada das carências,
sobrepõe-se ao amor-paixão...
que igual à força do vento,
revoluciona para novas vidas.
Sem medos... com sonhos...
magia irreal que poetizamos!

E, a vida me fez assim...

Célia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.