sexta-feira, 1 de abril de 2011

Nem sempre...

Às vezes, é sol!
Às vezes, é lua!
Às vezes, é saudade.
Às vezes, é chuva...
Que prepara o amor.
Às vezes, é paixão que brota...
Outras vezes,
... desilusão e tudo morre!
Às vezes, melancolia.
Outras vezes, alegria!
E, quando é noite...
Trovoadas espocam,
feito fogos de artifícios que ardem, queimam,
Mas deixam um festivo no ar!
Renovar sempre,
após passagem no subterrâneo da vida!
Sucumbir, jamais.


Célia.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.