quarta-feira, 29 de junho de 2011

Sagrado

Eu e você, sagrados.
Nós.
Tecemos em finas teias
Eles.
Que depois se vão...
Soltam-se das amarras...
Voam longe!

Mas sempre há o retorno
Deles.
Desorganizam tudo
Em nós.

Perdeu-se o espaço do amor
Sagrado.
Houve mancha e cicatriz,
Eterna marca.

Das paixões e submissões.
Dos medos do oculto,
liberto-me,
caço-me,
encontro-me.

E, na tocaia observo-te...
Frágil em sua alcova...
Sedento de aconchego...
Perdeu-se!

Célia.

2 comentários:

  1. Poema ou poesia...mistura-se e ao ler me dar uma força que tudo se transforma em SAGRADO.
    Bjsssssssssssssssssss

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.