sábado, 16 de julho de 2011

Com licença...

Abri a porta da alma e entrei
Divisei-me com ternuras soltas
Rancores embutidos
Orgulhos exacerbados
Preconceitos descabidos.
Puxei a esperança e me perdi no tempo.
Sem pressa alguma meditei...
Revi atos e fatos com novas lentes
E saboreei artesanalmente vida nova.
Lentamente faxinei pensamentos e atitudes
E em seus devidos lugares os dispus.
Primícias de uma vida que custou a acontecer
E, agora seguirá em seu merecido deleite.

Célia.

6 comentários:

  1. Licença concedida, a alma é sua...Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Amiga querida!
    Muito me gratifica sim,ler o que traz brilho na minha alma,e reflete no meu imaginário...
    Muito lindo de ler,fico suspensa,rsrsrsrs
    Bjsssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  3. Célia

    Limpeza de Alma!
    Belos momentos de reflexão.
    Lindo!

    SOL da Esteva
    http://acordarsonhando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Querida amiga
    Obrigada pelo seu apoio. Pois como eu sempre digo.
    Com a presença de cada um de vocês,
    Eu posso ir sempre mais além,
    mas com vossa ausência,
    eu não serei ninguém.
    Tem um selinho para você no meu cantinho
    Que eu fiz com muito carinho.
    Pode ir lá pegar se desejar.
    Abraço muito Amigo
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  5. Sim amiga, precisamos deste deleite para seguirmos a vida, e como!! Beijos

    ResponderExcluir
  6. Marcelo Sguassábia18 de julho de 2011 08:22

    Tem toda licença, sempre. Gente com a sua sensibilidade é sempre de casa e tem a chave da porta. Um grande abraço, Célia.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.