sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Em outra esfera


Chega e me afaga
Olhamo-nos
Com a embriaguez dos amantes.

Finjo estar bem
Assim ele me quer
Feliz.

Aconchego-o, mas não o sinto
Etéreo, esvai-se.

Na penumbra das paredes
Desliza suavemente.

Sorri, não mais o vejo
Espere-me.
Vou.

Célia






9 comentários:

  1. Olá, amiga.
    Poesia suave...sublime, aconchegante.
    "Finjo estar bem"...
    Muito bonito!
    bjusss
    Mery*

    ResponderExcluir
  2. Minha querida

    Por vezes o amor escorrega entre os dedos...e sente-se uma presença ausente.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema esse seu, e ele bem nos conta que, do amor verdadeiro, é impossível escapar.

    ResponderExcluir
  4. Oi Célia,

    lindo poema. Simples, claro e profundo!

    A arte da poesia está em dizer tudo em poucas palavras.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. "Nunca desesperes face às mais sombrias aflições de tua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda."

    Provérbio chinês

    Bom Fds... Beijos & Flores! M@ria

    ResponderExcluir
  6. Lindo poema!
    Entre versos vamos dizendo nossas sensações diante da vida e do amor!!!
    Abraços, li também as outras postagens, parabéns, tens boa bagagem e boa espiritualidade!!!
    Ivone

    ResponderExcluir
  7. Olá minha amiga das letras!
    Grande emoção poetica e grande poesia...
    Bjs

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.