sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Professora, sim!

 “Da folha de zinco ao computador: os voos pedagógicos no caminhar de uma educadora.”

Desde minha infância, brincava com uma lousa feita pelo meu adorado pai, de folha de zinco pintada de piche. Minhas bonecas de espiga de milho, ou de bom bril,  eram minhas alunas, e eu dava aula durante o dia todo. Chegava do grupo escolar e repetia tudo o que havia acontecido na escola. Desde 1952, como aluna, até 2006, enquanto professora quantas peripécias educacionais vivi! De uma folha de zinco ao computador... alcei voos não só pedagógicos, mas voos ao longo de toda minha vida. E não paro, não desisto, não me contento com pouco... Ainda me lembro do medo que tinha de enfrentar um computador! Meus alunos, hábeis de dar inveja, fizeram-me calçar a cara e ir procurar um professor de informática! Hoje já não vivo sem ele! Quanto aprendi em termos de tecnologia... e ainda tenho muito a aprender! Um mundo de imensas possibilidades!
“Sonhar... mas um sonho possível...” (versão: Chico Buarque e Ruy Guerra)... Menina- moça, normalista, vinda de uma cidadezinha, bem interiorana, década de 60, cheia de  incertezas, tímida,  mas  com muitos sonhos e muita coragem para realizá-los. Uma trajetória pessoal, cheia de obstáculos sociais e financeiros, mas nunca mental. Sempre tive mente sonhadora e realizadora.

Ler, estudar, observar, analisando a tudo e  a todos, era o que eu mais fazia. Por não ter condições financeiras para adquirir livros, convertia-me em “rato de biblioteca”. Nas escolas que frequentava, vivia emprestando livros de mestres generosos, para deles alcançar sabedoria e aprendizado.

Hoje, compro meus livros, ou em livrarias e editoras, ou sebos ou faço meus downloads. Mas, ler é meu combustível. Não frequento boutiques, shoppings, joalherias, cabelereiros... Fujo dos supérfluos. Invisto em livros.

Toda minha experiência profissional sempre foi calcada no amor vocacional e na troca de aprendizado. Muito aprendi com meus alunos, com as famílias, com meus colegas e superiores. E, a nossa troca dava-se na tranquilidade da sabedoria adquirida. Preparava minhas aulas como se fosse um espetáculo a ser apresentado. Sempre busquei renovar-me, atualizar-me com as novas visões educacionais. Por várias vezes retornei aos bancos escolares como aprendiz da educação. Precisava abastecer-me sempre.

Atualmente, no recesso do meu lar, vejo meus ex-alunos em altos postos, encontro-os como profissionais na área da saúde, da mídia e da educação, entre outros.  Traz uma sensação de efetiva contribuição para o encaminhamento pessoal e profissional de um ser a nós confiado.

Realizei-me profissionalmente. Tudo o que sou e uma certa tranquilidade de vida que tenho, devo sim à minha profissão de educar acima de tudo... Sobrevivi  aos exíguos salários, às condições estruturais, ao puxar de tapete, às mesquinharias e comentários maldosos... Sempre soube enfrentar situações quando necessário, aprender com meus erros e sublimar , pois, revanchismo, não se harmoniza com a nobre missão de uma educadora, assumida em sua totalidade.

“Aos mestres, meu carinho”.








Célia

(Fragmento adaptado da monografia publicada no Caderno de Pedagogia “Multiculturalismo e Currículo – Tendências e Perspectivas" – por Célia Rangel – pág.:90)


19 comentários:

  1. Que lindo! Ser professora é uma missão muito bonita e abençoada por Deus.
    Beijinhos e feliz dia dos professores!

    ResponderExcluir
  2. Célia,
    Minha querida, gostaria ter sido sua aluna. Uma profissão que não é valorizada, não é bem remunerada, e em nenhum momento mostrou revolta ou algo parecido. É comum e até compreensivo muitos professores se revoltarem justamente pela falta de estrutura oferecida aos professores. Realmente você é uma educadora de verdade. Quero parabenizá-la pelo seu dia, Célia, com sabedoria, determinação e amor enfrentou todas as dificuldades e sagrou-se vitoriosa. Um abraço, e um ótimo fds
    Amanhã faço uma homenagem a todos os professores e em especial a uma amiga educadora.

    ResponderExcluir
  3. Adorável a sua trajetória minha querida e que voce siga fazendo tudo o que mais gosta...
    Feliz dia dos Professores para você, que tanto se dedicou nesta profissão de amor.
    Bom final de semana amiga...beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
  4. Célia, un bello texto,yo también hice docencia en la Escuela de enfermería de Santander y en otros hospitales y me place ver a mis alumnos en altos cargos directivos o destacados profesionales. Es un gran honor haber contribuido a su formación humana e intelectual.
    Gracias por sus oraciones y estar a mi lado
    Con ternura
    Sor. Cecilia

    ResponderExcluir
  5. É lugar comum se dizer "faço minha, as suas palavras". Mas como eu gosto de "lugar comum", quero dizer-lhe, Célia, que faço minhas, as suas palavras. Sou tão Professora, que não me satisfiz, ao concluir um cíclo, ao me aposentar, que retornei ao batente, em tripla jornada...Ano que vem, saio pela compulsória: 70 anos (40 de magistério). Continuarei Professora! Os sacrifícios, de moça pobre, foram muitos...mas Pessoa tinha razão : "tudo vale à pena, quando a alma não é pequena".

    Feliz Dia do Professor!
    Beijos
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  6. Querida Célia, fiquei feliz pela sua passagem por meu blog. Bela profissão a nossa, mas só nós sabemos o quão sofrida, hoje. Bonecas de espiga de milho, eu também as tinha e adorava. Gostei do seu estilo de lecionar para as bonecas hehheehhehhe.... Abração.

    ResponderExcluir
  7. Oi,Célia! Que lindo testemunho! Você deve ter sido uma professora maravilhosa, que deixou marcas eternas de carinho no coração de seus alunos.
    Que Deus lhe conceda muita paz e muitos sorrisos!
    Abraços! Feliz dia dos professores, amiga!

    ResponderExcluir
  8. Um belo texto, com os caminhos percorridos na árdua tarefa de ensinar. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  9. Hola Celia!!!


    Que gusto pasar por tu espacio amiga.
    Fíjate que también tu entrada habla ese pasado que nos trae inmensos y hermosos recuerdo.

    Me encanta tu post, se parece un pizco al mío. Es sólo que yo no he sido profesora.
    Ha sido un placer leerte.
    Te dejo mi gratitud y mi admiración. Un abrazo desde este otro lado del mundo. Se muy feliz.

    ResponderExcluir
  10. Célia

    A tua descrição curricular é uma História de Vida; é a História da tua Vida.
    O carinho que colocas nas tuas palavras demonstram quanto amas os livros e o conhecimento.
    Não sou (nem fui) Professor, mas senti-me felicíssimo sempre que encontrei gente com um Espírito semelhante. Sinto o mesmo agora, Amiga.
    Belo texto a ilustrar o Dia do Professor.

    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  11. Minha querida amiga das letras!
    Não sou psícologa mas vc nunca me enganou,kkkkkkkk,sempre dei o seu valor merecido,desde o primeiro dia que te achei aqui nesta bloosfera,kkkkkkkkkkkk
    se tem alguém por aqui tão inteligente e culta quanto vc me apresentas,pois ando a procura.
    Sou uma ex professora de História e sei muito bem o valor de ser professor.Ser professor depende de técnica para desenvolver com arte essa nobre missão.mas acima de tudo depende do amor que se tem pela profissão.
    Hoje desejo prá ti meus PARABÉNS!Por vc fazer parte da construção e formação de criaturas humanas em seu intelecto.
    Aproveito tbm para agradecer sua visita no meu blog e em todos que sou convidada.Valeu querida!Assim sei que vc gosta da minha forma de trabalho,se não,já tinha se afastado.
    Deixo meu melhor abraço para o dia de hoje!

    ResponderExcluir
  12. Olá Cèlia. Passando por aqui. Tomei a liberdade de conhecer seu blog e adorei conhecer um pouco de vc. Que belo exemplo de professor tão raro hoje em dia! Será culpa do sistema? Adorei tudo aqui! Deixo pra vc um grande abraço, todo o meu carinho pelo dia do professor.

    ResponderExcluir
  13. Olá Célia,
    Uma bela história de vida, onde transborda o amor pela educação e pelos livros. Adorei a frase em que você diz que preparava cada aula como se fosse um espetáculo a ser apresentado. Isto demonstra o seu interesse e amor pela profissão.
    Ser professor é tarefa árdua, mas altamente gratificante.
    PARABÉNS POE ESTE DIA ESPECIAL!
    Tenha um ótimo final de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Célia, parabéns pelo lindo texto reflexivo e saudoso.
    Eu, como professora, me senti presenteada através de seu blog.
    Apesar de tudo o que anda a acontecer, me orgulho em ser professora.

    Parabéns para todos nós.
    Beijos no ♥

    ResponderExcluir
  15. Muito belo, Célia amiga! Muito belo e muito sentido. Gostei muito de ler e, em tantos aspetos, parecia que estava a ler sobre mim...

    Obrigada, amiga, pela partilha e pela simplicidade.

    Beijinhos cá de bem longe.

    ResponderExcluir
  16. Lindo professor é quem ensina, uma pessoas que marca a vida de cada um, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  17. Maravilhoso relato.
    Professora com todo o seu ser... Professora inesquecível na vida de seus alunos.

    Beijo no coração

    ResponderExcluir
  18. Oi Célia,

    que linda a sua história! Deu vontade de ter sido sua aluna, sua colega de escola, algo assim...
    Emocionante ver o seu amor pelos livros, pelo aprendizado contínuo!
    Isso sim, é praticar a evolução humana, pois que a leitura pode nos fazer pessoas melhores.

    Beijos e uma ótima semana para você!

    ResponderExcluir
  19. Eu te parabenizo pela tua historia,pela tua profissão e pelo amor que vc tem à ela.Ser professor nesse país,pede muita paciência e extrema vocação,e nesse texto vc deixa claro tudo isso e uma intensa paixão pelo que faz.
    Parabéns querida!
    E obrigada,(texto),ficou maravilhoso como imaginei.
    Boa semana,bjka

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.