terça-feira, 4 de outubro de 2011

Vozes que clamam







(Imagem:Revista saude-blogspot.com )

revista-saude.blogspot.com

Ainda sou um embrião... Mas já recebo  desamor.

Planos torpes, malígnos e, como esperma descartado, serei depositado em sacola plástica, caçamba... em lixeira... sem direito à vida!

 Meu berço futuro!

Assim se projeta uma nação.. Onde nem pão, nem circo chegam à cobertura da lona da vida,
esburacada, destruída, mal amada. Circo falido!

Minha infância!

Perdida nas cracolândias da vida... Imagem distorcida da pureza divina, de uma manjedoura para os lixões de um país, de uma cidade onde se devaneia progresso material e o consumismo.

Mas o material mais precioso – o humano – descartado por inúmeros preconceitos.

Dia da Criança?

Não seria todo dia? Se ela cresceu e se tornou um adulto feliz, jamais deixará morrer a criança que traz consigo; caso contrário, será ela que retornará para dentro de condomínios, casas, carros, escolas, shoppings, de arma na mão, buscando a dignidade que lhe foi tirada.

Sem apologia, apenas a visão da realidade que caminha conosco, dentro de nossas casas, nos noticiários, nas novelas, nas manchetes que sensacionalizam, banalizam a tristeza e a imundície de uma sociedade que nós, os abastados, contribuimos para gerar.

E, no vácuo da infância, até por questão condizente a que se destina a educação - o educador e o educando – aparece no calendário -  o Dia do Professor... cujo embrião da vocação, também foi esmagado no ninho dos bancos escolares. A lousa, o giz, os livros, o saber, o aprender, o ser, o fazer juntos, os pilares da educação, timidamente se anularam e deram lugar ao descaso, às aviltantes remunerações, às agressões das armas e tantas outras, das merendas contaminadas, de toda uma formação deteriorada de quem em altos postos públicos, se dignam a “governar a pasta da educação” (?)

Nas mãos de que gestores estão nossas crianças e nossos professores?

No embalo de tamanha desordem de valores, vem a Nossa Mãe Aparecida para abençoar o Brasil e seu povo! Mas, há muito fanatismo na imagem e pouca sensibilidade ao humano que em seu altar diário reza e pede proteção para viver com dignidade. Sem flores. Sem velas. Sem donativos ou caridade alguma. Sem piedosos à sua volta. Conta apenas consigo mesmo.

...”Sou caipira pirapora... nossa senhora de aparecida... ilumina... como eu não sei rezar... só queria mostrar meu olhar... perdido em pensamentos de sonho e de pó...” (Fragmentos/Romaria/Renato Teixeira)

Célia.



revista-saude.blogspot.com

19 comentários:

  1. Olá Célia tenho uma novidade eu mais 5 pessoas estamos criando um projeto com um novo blog e quero te chamar pra participar desse projeto se deseja o convite espero resposta!

    ResponderExcluir
  2. Enquanto nosso sistema de governo, for o que temos aí....sinto muito,amiga...difícil ter esperança!
    Quanto mais ignorante a população, melhor para os governantes...A informação,o estudo adequado,o saber,enfim,são ameaças para o país!
    E,de certa forma, o povo também se acomoda,"não quer se mexer"...

    ResponderExcluir
  3. Oi, Célia! A educação no Brasil virou caso de polícia. Os pais se eximem de educar os filhos e os encaminham completamente chucros para a escola, onde os professores mal podem se defender. Está mais do que na hora de responsabilizarmos os pais criminalmente pelos atos violentos dos filhos. Basta cumprirmos as leis que já existem. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá, nossa, vc é de uma inteligência rara, sensível! parabéns

    ResponderExcluir
  5. Que Nossa Senhora Aparecida derrame sua luz sobre nossas crianças e nossos professores! Que a infância seja um canteiro de flores que cresça e floresça num jardim perfumado e bem cuidado!
    Abraços carinhosos,
    Angela

    ResponderExcluir
  6. Minha querida

    Quanta verdade neste texto...infelizmente uma verdade universal.

    Deixo um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  7. Oi Célia querida

    Linda postagem...
    Linda e cheia de consciência.
    Quisera todos os seres humanos parassem um segundo para pensar no futuro, como você fez a gente parar e pensar aqui...

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  8. Sei que como professora e educadora sentes essa sensação de que tudo está perdido, mas creia, não está não!!!
    Eu ainda acredito que as coisas estão melhorando, embora o que nos mostram seja mais as coisas ruins!!!
    As crianças são cada vez mais adiantadas e nos ensinam muito, eu tenho meus netos e percebo neles essa evolução!
    Sua exposição sobre o ensino no Brasil é mesmo como dizes, mas ainda assim temos que crer que ainda poderemos vencer!!!
    Conscientização é tudo!
    Temos de nos conscientizar!!! Aprender a escolher os que nos representam? Difícil sim, mas...Quem sabe tudo possa melhorar um dia?!
    Comemoremos os dias das crianças, de Nossa Senhora Aparecida e dos professores!!!
    Salve todos!!!
    Ivone

    ResponderExcluir
  9. Oi Célia,

    muito boa reflexão!

    Uma imensidão de preces, numa imensidão de pessoas perdidas, sem saber se pedem um pão ou um abraço!

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Olá Celia

    Eu sou Kinha e vim conhecer seu espaco. Gostei e já estou te seguindo. Vou aguardar a sua visita e ficarei feliz se me seguir também.

    Venha participar do Sorteio de uma joia criada pela designer Eliana Colognese e uma camisa da grife A COSTUREIRA MADAME. Faca já a sua inscrição.


    Bjoooooooo..................
    WWW.AMIGADAMODA1.COM

    ResponderExcluir
  11. Bom dia, querida amiga Célia.

    Infelizmente é assim mesmo.
    O ano inteiro é dia da criança, é dia de amparar-lhe.
    A palavra sem ação, é jogar frases ao vento.
    Na caridade está o embrião do mandamento divino.

    Se cada um, ajudar pelo menos um, os Anjos louvarão todos.

    (Muito obrigada pela sua gentileza).

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Célia, que texto tão sentido! E com tanto sentido! Percebe-se a sua revolta, o seu desapontamento por trás de cada palavra, de cada expressão, de cada parágrafo.
    Melhores tempos virão!

    Beijinho

    ResponderExcluir
  13. Célia, passei aqui lendo o seu blogue.
    Fenomenal.Uma postagem agradavel para lermos, assim como um convite não para a retina. Mas, para a reflexão.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  14. Célia,
    Emocionante. Você retrata com fidelidade a realidade brasileira, infelizmente. Obrigada pela visita, gostei muito daqui. Volte quando quiser, um abraço!

    ResponderExcluir
  15. Hola Celia, la invito a mi espacio «Estoy a tu lado», soy monja de clausura con un blog muy peculiar , la espero
    Con ternura
    Sor. Cecilia

    ResponderExcluir
  16. Olá Célia!
    Fiquei encantado, com o seu texto, "vozes que clamam" ajudem muito, pelo menos a abanar algumas consciências, porque será tudo o que é ruim se espalha pelo mundo inteiro, como as ervas daninhas, e o que bom só acontece nalguns países. Vocês aí ainda vão crescendo economicamente, e a gente aqui continuamos a nos afundar todos os dias

    Beijinho grande,
    José.

    ResponderExcluir
  17. Célia leio seus textos e as palavras não saem para comentar tamanha magnitude com que escreve... Parabéns!

    Bjoss

    ResponderExcluir
  18. Boa noite amiga das letras!
    A criança tem que ter direito a educação, para desenvolver as suas aptidões...mas educação para nos é aquilo que a maior parte das pessoas recebe, muitos transmitem e poucos possuem.
    Bjssssssssss

    ResponderExcluir
  19. Será que ainda vamos ver nosso país numa situação inversa? Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.