quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Quietude








Interiorizando-me
Revejo fatos e sonhos
Postergo glórias

Que de nada servem

Acumulo emoções
Que justificam meu viver
Reservo um recanto

Para ficar bem comigo
Momentos de serenidade

Que há muito persigo
Olhos fechados

Respiração lenta
Assim, sou só coração

Em ritmo de sabedoria
Que a tudo acolhe

Sem mágoas ou desilusões

É vida para ser vivida.


Célia.


21 comentários:

  1. Compartilho das suas palavras, Célia. A maturidade traz essa serenidade, livre de mágoas, longe das desilusões. Um ótimo dia, bjo
    Ivana - Reserva de Emoções

    ResponderExcluir
  2. Lindo, recheado de sentimentos e emoções! Só não gostei das linhas: "Postergo glórias Que de nada servem" ahah beijos com carinho

    ResponderExcluir
  3. Que lindo poema! Simplesmente maravilhoso por essa paz que transmite, a serenidade com que deixa o leitor e a esperança que nele lateja! Bjs

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Célia querida


    Lindo momento esse...
    Não tão difícil alcançá-lo na correria da vida, que quando conseguimos, temos que aproveitar cada segundo...

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  5. Oi, Célia! Vou me inspirar nesse poema para respirar com calma e diminuir a ansiedade. Poesia também tem utilidade prática. :) Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Querida Célia

    "(...)Sem mágoas ou desilusões
    É vida para ser vivida.(...)"
    Que mais, Poeticamente, se diz quando existe a harmonia?
    Lindo, Amiga.


    Beijos

    SOL
    http://acordarsonhando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde amiga das letras!
    Só preciso saber se já pensou em escrever um livro de poesias e poemas,kkkkkkk,caso tenha pensado eu quero dar uma opinião sobre o título.Pois vindo de vc vai fazer todo sucesso...
    Na quietude dos meus dias encontrei vc para admirar tua alma exposta em palavras...Lindo menina!
    Bjs minha flor de primavera!

    ResponderExcluir
  8. Célia, minha querida, um grande beijo nesse seu coração inspirado, que faz brotar de você, uma leitura que também nos inspira.

    ResponderExcluir
  9. Célia, glória você tem de sobra... é o seu talento como escritora e ela lhe serve sim, senão não tal
    não seria. Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Lindo, Célia!
    Um momento de quietude que nos traz muita serenidade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Há momentos que quando o corpo se cala, uma sinfonia de ventos assoviam para as flores dos nossos pensamentos...

    Você deixou exalar nesses versos o aroma dessas flores.

    Parabéns!

    Deixo meu respeitoso abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  12. Oi Célia,

    Isso é maturidade! Isso é plenitude! Isso é a essência de viver!

    Lindo amiga!

    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Boa noite, querida amiga Célia.

    Lindo!!
    A sua arte de saber viver.

    Tenha um abençoado fim de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Que bom que a vida fosse sem magoas e sem desilusões,mas temos que aprender a conviver com elas,aceitar e perdoar.
    Um exercício difícil!
    Aproveitando o titulo do poema...Quero estar em minha quietude.
    Bom fim de semana querida.
    Beijocas

    ResponderExcluir
  15. Quem não precisa de um tempo? O silêncio faz bem, e muitas vêzes é resposta para nossas perguntas. Beijos

    ResponderExcluir
  16. Linda amiga Célia, sempre presente em minha Vida, seus cometarios em meu blog me incentivam e me ensinam, deixei lá abaixo do seu cometario, pois costumo responder abaixo dos cometarios a todos na medida do possível!
    Amiga linda, seus textos são lindos e me dão sim inspiração também, aprendo muito com você!
    A sua alma fala contigo, isso eu sei por eu também ouço a minha!
    Vamos assim amiga, nessa nossa caminhada, trocando conhecimentos, sempre e sempre!!!
    Adoro ler aqui os seus lindos textos que diz e muito de você pra mim, pra todos, enfim...!!!
    Ivone

    ResponderExcluir
  17. Na quietude você colocou os movimentos da vida, em sentimentos belos. Só nela podemos ouvir o que palavra alguma pode nos transmitir.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  18. São dos instantes interiorizados que conseguimos externar o nosso ser.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  19. Isso mesmo amiga! Viver e degustar a vida. Isso é o que importa!

    Beijão com votos de um finds maravilhoso!!!!

    ResponderExcluir
  20. Celia, eu adorei essa quietude!O tipo de poesia que me alegra ler!Ficou linda!Bjs,

    ResponderExcluir
  21. Que equilíbrio, Célia! Coração e pensamento e sabedoria. Muito bonito.

    Beijinho, querida Célia.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.