sábado, 11 de fevereiro de 2012

Leitura, no mínimo, provocante!


A NECESSIDADE DO EGO DE SE SENTIR SUPERIOR

Existem muitas formas sutis de ego que, mesmo sendo tênues, podemos observar com facilidade nas pessoas e, mais importante, em nós. Lembre-se: no momento em que nos tornamos conscientes do nosso ego, essa consciência emergente é quem somos além do ego, o “eu” profundo. O reconhecimento do falso já é o surgimento do real.

Por exemplo, imagine que você está prestes a contar uma novidade a alguém. “Já sabe o que aconteceu? Não? Vou lhe dizer.” Se estiver alerta o suficiente, no pleno estado de presença, será capaz de detectar um rápido sentimento de satisfação dentro de si imediatamente antes de dar a notícia, até mesmo se ela for má. Isso ocorre porque, por um breve momento, existe, aos olhos do ego, um desequilíbrio a seu favor na relação entre você e a outra pessoa. Durante esse instante, você sabe mais do que ela. Essa satisfação provém do ego e ela surge porque sua percepção do eu é mais forte em comparação com a outra pessoa. Ainda que o interlocutor seja o presidente ou o papa, você se sente superior a ele naquele momento porque sabe mais. Esse é um dos motivos que fazem com que muita gente se vicie em fofoca. Além disso, a fofoca costuma carregar um elemento de crítica e julgamento malicioso dos outros. Dessa forma, também fortalece o ego por meio da superioridade moral imaginada, que fica implícita em toda apreciação negativa que fazemos de alguém.

Se uma pessoa tem mais, sabe mais ou pode fazer mais do que nós, o ego se sente ameaçado porque o sentimento de “menos” diminui sua percepção imaginada do eu em relação a ela. Assim, ele pode tentar se recuperar procurando, de algum modo, criticar, reduzir ou menosprezar o valor das capacidades, dos bens ou dos conhecimentos desse indivíduo. Ou pode mudar de estratégia: em vez de competir, vai se valorizar por meio da associação com essa pessoa, caso ela seja considerada importante aos olhos dos outros.

Fonte: Tolle, Eckhart – O despertar de uma nova consciência – pg.: 76

15 comentários:

  1. Boa noite, querida amiga Célia.

    Adorei!!
    Logo no começo da leitura, eu pensei na fofoca.
    Os fofoqueiros parecem ter vocação para o jornalismo, mas não chegaram lá. Frustrados, eles dão a impressão de respirar a derrota alheia.
    Querem ser os portadores das novidades, e quanto mais chocante, melhor!

    "O jornalismo é uma linda profissão"

    Quando o ego rouba a cena, é ridículo.
    Eu me policio bastante, mas ao longo da vida, quando isso se manifestou em mim, senti uma vergonha imensa!!

    Desejo-lhe um lindo domingo de paz.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Pois é Célia, é bem assim mesmo, como somos UM em TODOS e TODOS em UM podemos sim avaliar esses sentimentos que muitas vezes são seguidos de uma infelicidade terrível!
    Sou sensitiva, nem digo como médium, mas como sensitiva mesmo, percebo isso e sei muito bem o que é sofrer, sensitivos sofrem muitas coisas das pessoas que se aproximam ou até mesmo à distância.
    Aprendi a distinguir o que é meu e o que é dos outros exatamente por isso, desenvolvimento do meu dom. Foi difícil, mas hoje me sinto feliz comigo mesma!Portanto se estou bem é por estar no bem e vice versa!
    Abraços amiga, bom post!
    Ivone

    ResponderExcluir
  3. Célia, boa noite!
    As pessoas que tem complexo de inferioridade tem necessidade de menosprezar o outro de alguma forma, claro que isso não é uma regra, mas acontece muito. Todos temos defeitos, e como disse nossa amiga Amapola (com uma franqueza impressionante) vamos sempre nos policiando. Um domingo maravilhoso pra você, bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá, Célia. Gostei do post! È muito importante o cuidado com o nosso ego, em se pronunciar, em dar uma noticia. Obrigada pela partilha! Bom domingo. Bjos carinhosos!

    ResponderExcluir
  5. Célia, ótima postagem, Deus lhe abençoe e ótima Semana para você e sua família!

    ResponderExcluir
  6. Célia, Querida

    O Ego, aqui tão bem ilustrado, inferniza a Vida e a dignidade das gentes, tão só porque se torna endémico.
    O Ego, ao contrário do que se esperava, incita o "minimizado", do momento, a um potencial Egoísta (ninguém quer ficar atrás, não?).
    Bom tema para se reflectir permanentemente.

    Beijos

    SOL
    http://acordarsonhando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi Célia parabens pelo post, um reflexão sobre "ego", sabe é dificil saber lidar com isso, pois sempre queremos que o outro seja como pensamos e imaginamos, e não como ele o é? dai nosso ego se sente as vezes até inferior, mas se puder-mos entender que nem tudo é como queremos e sim como são, daremos um grande passo para a verdadeira paz interior, bjs no coração e um domingo de luz e paz.
    Vanderlei

    ResponderExcluir
  8. Celia,deve ser bem legal esse livro!Uma forma de nos conhecermos mais!Excelente seu texto!Bjs e bom domingo!

    ResponderExcluir
  9. Célia
    Cadê a Whitney Houston?

    Estou muito triste, morre a maior Diva Pop, e também gospel, eu amava essa cantora, ela era uma artista completa, já chorei bastante hoje, publica algo sobre ela, vou aguardar, bjo grande!

    ResponderExcluir
  10. Amei a dica de leitura. O ego impede muitas vezes o ser humano de perceber que sempre a mais alguma coisa a ser aprendida. Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Célia, gosto muito de vir aqui.
    Tenha um ótimo começo de semana, bjus...

    ResponderExcluir
  12. Célia minha querida, preciosa dica de leitura, este autor é realmente fantástico!
    Boa semana amiga, beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  13. Olá, grande amiga Célia!
    Tema muito importante para nossas vidas.
    Eu acho que ego é como remédio: tem que ser na dose certa; pouco faz falta e muito faz mal.

    Parabéns pelo ecletismo!

    Abraços do amigo de sempre!

    ResponderExcluir
  14. Quanta informação importante num texto pequenininho, Célia! Você me deixou com muito em que pensar. Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.