quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Meu imaginário













Trancado a sete chaves
Coleciona imagens
Ternas e doces
Amargas e rancorosas
Finge acolher a todas
Em convivência pacífica
Mas altera-se em traumas
Na consciência exacerbada
Por fatos odiosos...

Perdoa, não esquece
Vê profundas lições
Tardiamente
Entende que felicidade
É o momento íntimo
É qualidade no ser
É o ego falando mais alto
É querer não querendo
É viver ainda que não vivendo...

Célia Rangel, autora.
(Membro da Cia dos Blogueiros)

26 comentários:

  1. Joga fora o baú e fique bem:))) Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Olá, sou um autor e estive por aqui lhe visitando, e, digo-lhe de passagem, gostei muito do blog, tanto que já sou seu seguidor. Dê-me a honra e visitei o meu! Quem sabe, minhas obras lhe agradem!
    Um abraço,
    J.R.Viviani
    http://vendedordeilusao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Até os traumas serão lembrados com carinho! Linda poesia Srta, abraços

    ResponderExcluir
  4. Olá Célia, sempre temos um bau onde guardamos um pouco do que fomos do que somos e até do que gostaríamos de ter sido né! Muito poético! Abraços e ótimo dia pra ti!

    ResponderExcluir
  5. Oi Célia, esqueça as mágoas e tudo do passado que não deu certo, só pense no que foi bom e vá em frente, com o hoje como um lindo presente!
    Ivone

    ResponderExcluir
  6. Célia, bom dia!

    Tudo fica bem registrado no psíquico, nada escapa, fatos que levamos para toda vida, melhor mesmo é perdoar, mesmo coisas que jamais serão esquecidas, pois o perdão só nos faz bem, raiva, rancores nos envenena. Muitas coisas vamos entender ao longo da vida. Lindas suas memórias, Célia, descreveu com transparência como sempre faz em seus versos. bjo grande!

    ResponderExcluir
  7. Que bom que para nós este bauzinho está sem cadeado!!!! =)

    ResponderExcluir
  8. Menina CÉLIA, todos nós temos um baú onde guardamos aquilo que não pode ficar exposto nem para nós mesmos! Às vezes visitamos o local onde deixamos o baú mesmo quando não queremos, mas é inevitável. Afinal, dentro de baús guardamos lembranças também!

    Lindo poema, querida!
    Meu carinho!
    http://pequenocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Lindo. É viver mesmo não vivendo. Bjs

    ResponderExcluir
  10. Célia, esse é poema digno de concurso. Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. QUERIDA
    AMIGA
    SEMPRE GUARDAMOS NO BAÚ NOSSOS SEGREDOS.FELIZ SEXTA FEIRA E UM SUPER FINAL DE SEMANA.
    "O importante da amizade...
    não é conhecer o amigo;
    sim saber o que há dentro dele.
    Cada amigo novo que ganhamos na vida
    nos aperfeiçoa e nos enriquece,
    não pelo que nos dá,
    mas pelo quanto descobrimos de nós mesmos."
    COM CARINHO
    BRISA

    ResponderExcluir
  12. Ôi! Passando pra convidar! Tem post novo e presente muito especial! Vem! Cada coração amigo conquistado, é mais uma luzinha a iluminar a nossa estrada! Uma 6ªF radiante e abençoada! Abraço fraterno e afetuoso! Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Amiga

    gostei de passar por aqui.
    Lindo poema
    voltarei abracinho de amizade
    Utilia Ferrão

    ResponderExcluir
  14. Minha querida e adorável Célia, no baú de nossas vidas estão as marcas de grandes momentos de nossas trajetórias. É bem verdade que nó baú, nem tudo que está lá, deixou saudades. Assim é vida afinal. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  15. Bom dia Célia querida

    Amei o poema...
    Sempre guardamos o que nos é raro, seja o sentimento que for, se for importante em nossa vida, merece ser guardado em um baú.

    Beijos e um lindo final de semana.
    Ani

    ResponderExcluir
  16. Seu baú que é imaginário parece lhe torturar um pouco. E eu que conheço pessoas que possuem realmente coisas materiais de namoros antigos e ficam olhando fotos, apenas para sofrer. Sim, pois não vejo nenhum outro objetivo.
    No imaginário é muito difícil livrar-nos de certos traumas, de perdões não realizados (pois quem não esquece, é porque ainda não perdoou, quem perdoa, pode até lembrar, porém, não sente mais nada), o que não se pode permitir é que este baú imaginário lhe deixe assim, viver não vivendo. Tente se livrar de algumas coisas de dentro dele, como se ele pudesse ser materializado. Por vezes, dá certo.

    http://escritoslisergicos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Celia,profunda e bela sua poesia!Ás vezes passamos por essas reflexões tb!Bjs e meu carinho!

    ResponderExcluir
  18. Olá Célia,

    Pensando bem, guardamos muito lixo neste recôndito da alma. Há nele também muitas coisas que valem a pena ser remexidas de quando em vez, pois nos trazem experiências e vivências saudosas.
    Melhor seria se pudéssemos nos livrar do que não mais nos acrescenta. Nossa alma se tornaria mais leve. Bom mesmo é quando alcançamos a sabedoria de entender que felicidade "é qualidade no ser".

    Lindo seu poema!

    Ótimo final de semana.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Nossos baús tem guardados sentimentos que nem sabemos como passamos, mas a docilidade fala mais alto em nós, e deixamos para trás as recordações tristes e procuramos ver o saldo positivo de tudo. Beijos

    ResponderExcluir
  20. A felicidade é assim mesmo: um caminho interior percorrido com sabedoria e qualidade nas escolhas!
    Amiga, que Deus te proteja sempre!
    Abraços perfumados,
    Angela

    ResponderExcluir
  21. Que lindo texto querida!!!
    Tenha um fim de semana abençoado!
    Bjus e fica com DEUS *-*

    ResponderExcluir
  22. Oi Célia parabens pelo belo texto de pura reflexão.
    É o ego falando mais alto
    É querer não querendo
    É viver ainda que não vivendo..
    Lindo, lindo deixo pra vc um bj no coração, e o desejo de muita luz e paz em sua vida, bom sábado, bom final de semana.
    Vanderlei

    ResponderExcluir
  23. Oi Célia.
    Que lindo!!!
    Tenha um ótimo final de semana, bjus...

    ResponderExcluir
  24. Quando guardamos coisas, é mais fácil nos desfazer...mas emoções e
    sentimentos..ah! vez ou outra o compartimento trancado se abrirá...
    Ainda bem , amiga...é sinal de que "sentimos, somos"!...
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  25. Nossa!

    Tens um baú com tesouros quase insondáveis, mas admiráveis...

    Ótimo final de sábado!

    ResponderExcluir
  26. Boa noite minha amiga das letras !
    Receba meus parabéns por sua sensibilidade na hora de escrever...essa liberdade com as palavras te faz ser mais que uma amante das letras...
    bjs minha flor!

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.