segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Vida Bandida


Bandida ou amada
Cuidada ou destroçada
Cicatrizes imensas
Entre Deus e o Diabo
Dilui-se o dom
Desconsidera-se o talento
A droga
Mata-se ou morre
Descarta-se
Sem possibilidade de reciclo
Pois o ciclo vital desprezado
Bem maior desvalorizado
Entre “Joãos e Joanas”
“Marias e Josés”
O demo habita
E aumenta sua população
Fica em nós... a tristeza e a saudade
E a certeza de que poder, status, dinheiro
Não consagram a dignidade da vida.

Célia Rangel, autora.
(Membro da Cia dos Blogueiros)


22 comentários:

  1. Célia
    A droga é devastadora, levam pessoas de todas as idades, pessoas tão especiais que nos entristecem profundamente... vida muito bandida! Um abraço, uma ótima semana pra você!

    ResponderExcluir
  2. Melhor aproveitar sem elas...

    http://conversadeblogueiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Célia, infelizmente essa é a pura e cruel realidade.
    Nos familiares e amigos, fica a saudade, a dor da perda de alguém tão importante, perda essa para o pior, a droga...que destrói, não só quem a usa, mas a todos que são ligados a essa pessoa.
    Poder, status, dinheiro...tudo pura ilusão.

    Um beijo doce no teu coração.

    ResponderExcluir
  4. Célia, sobre as drogas, esse tem sido um dos grandes monstros da sociedade atual. É lógico que ela sempre existiu. No passado, chegou até mesmo simbolizar rebeldia, principalmente nas décadas de 60 e 70. Na realidade até a sociedade era meio tolerante com as drogas, pois era vista como um ato de rebeldia de jovens que buscavam seus espaços ou se imporem neles. Começou a partir daí, a grande omissão dos governantes, autoridades e sociedade, que fechando os olhos para o que viria se transformar no futuro, o poder devastador na sociedade atual. Agora, tanto tempo depois, sociedade e governantes, começam a querer debater essa questão. Entre as pautas, a questão da liberação de drogas como a maconha ou não. No mais, sua poesia e o tom de realidade que ela aborda, destaca notoriamente todo talento que tem para a escrita. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  5. Amiga Célia, forte poema que mostra o lado triste da vida! Que pena que é assim! Que pena!!!
    Abraços.
    Ivone

    ResponderExcluir
  6. Com certeza Célia, não é a condição social que dignifica o homem, e sim o caráter e a conduta! As drogas batem em qualquer porta sem distinguir condições! Abraços

    ResponderExcluir
  7. Olá Célia,

    Diante das drogas, tudo perde seu sentido. Apenas dor, desilusão e luto imperam em qualquer seio familiar, seja ele de posse ou não.

    Terrível vilã, muito realisticamente retratada em seu poema.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Celia, poesia triste e muito linda!Infelizmente a droga leva mesmo as pessoas a ter uma vida bandida, sofrida, até se extinguir!As autoridades não fazem o que precisa ser feito, não oferecem tratamento e recuperação a essas pessoas!Lamentavel mesmo!Bjs e boa semana pra vc!

    ResponderExcluir
  9. Uauuuu que texto amiga!!!
    Desejo a ti uma semana abençoada!
    Bjus e fica com Deus *-*

    ResponderExcluir
  10. Hola mi entrañable Celia. Su poesía es muy real, dura.
    Soy enfermera diplomada y en los años 80 se empezaron a ver los primeros casos de SIDA, e mi me toco cuidar uno de los primeros sin saber nadie del equipo médico qué enfermedad tenía la joven de 17 años que se nos moría.
    Gracias por su aportación
    Con ternura
    Sor.Cecilia

    ResponderExcluir
  11. «... a certeza de que poder, status, dinheiro
    Não consagram a dignidade da vida.» - Que bom seria que todos pensassem assim!

    Abraço, Célia!

    ResponderExcluir
  12. Celia que texto forte ne?
    Mas bem claro, as drogas não medem status, estão em qualquer classe social.
    Ammiga muito obrigada por susa visitas viu?
    Amoooooooooooooooooo
    Bjos enormees

    ResponderExcluir
  13. Não basta ter tudo se for uma pessoa que tenha sabedoria!

    ResponderExcluir
  14. Um tema árido, tratado de forma sensívell. Meus parabéns e meu abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  15. Olá Srta, amei sua poesia! parabéns, abraços

    ResponderExcluir
  16. É CÉLIA a droga é muito devastadora. Tenho um primo em situação bastante ruim por conta delas. É difícil ver um ser humano se destruindo e destruindo tudo a sua volta. Foram várias internações, várias tentativas frustradas de tirá-lo das drogas, mas... restam apenas a dor da impotência e a esperança.

    Lindo post, querida. Um tema tão difícil e falado com muita sensibilidade.

    http://pequenocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Quando eu penso que estou começando a conhecer seu estilo, Célia, você me surpreende com um poema totalmente diferente. Gosto disso. :) Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Um assunto muitas vezes delicado para algumas pessoas.
    Mais expressar-te bem. Um bela semana. Bjs

    ResponderExcluir
  19. Nossa, que prazer! É uma alegria estar vindo aqui fazer parte do teu recanto. Parabéns pelo texto lindo!

    Beijos meus...

    ResponderExcluir
  20. Gostei do poema. Verdade mesmo, quem entra no mundo das drogas destroi-se totalmente.

    http://soentrenosmulheres.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  21. INSTIGANTE... MARAVILHOSO NA ESSÊNCIA,BELO NA FORMA POÉTICA!
    ADORO!!!
    Abraço, Suzete

    ResponderExcluir
  22. minha querida!
    Tão polêmico esse assunto...tão atualizado,onde as familias estão se dissolvendo por causa da droga...E vc nos versos traduziu tão bem o significado...
    bjssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.