segunda-feira, 21 de maio de 2012

Aprender a sobreviver
















Há vida possível quando se está bem, tanto no emocional, quanto no físico. E, qualquer fase de nossas vidas há planaltos e planícies. Basta-nos saber explorá-los em sua magnitude.

O atingir da maturidade complementa-nos com certa liberdade nas relações. Não há compromissos, exigências ou cobranças. Na seletividade natural da vida escolhemos conviver com boas companhias, dotadas de bom papo, humor, elegância, serenidade e, o principal - o saber acolher na integridade individual - sem julgamentos. Isso nos confere a sabedoria do relacionar-se. Como é gratificante olhar o outro como se fora meu espelho!

Superar possíveis frustrações da sexualidade, na medida certa do ser sensual e sensitivo. Sentir e expressar. Jamais armazenar pois, poderá perder o valioso tempo do compartilhar.

No DNA das conquistas hetero ou homossexuais situa-se a engenhosidade do saber driblar, do saber liberar ou ser liberado (a) contando com uma autoestima bem dosada.

Projetar a longevidade, sem visão egóica, necessita-se de atualização com o mundo em que se vive, estando muito atento (a) à vida, com leituras energizantes, serenidade nas decisões, ponderação, e doação do seu tempo ao outro que, de repente, ao seu lado mendiga uma ternura e você não o percebe.

Mágica é a vida e seus momentos!

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

8 comentários:

  1. Oi, Célia! Graças à ciência, agora temos mais tempo de vida para desfrutar com saúde. Bem-vinda seja a maturidade então! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde Amiga, hoje eu vim agradecer o carinho de sua presença lá no meu cantinho!
    Tenha uma linda semana coberta de muito carinho e Amor
    Fique com Deus!
    Abraço Amigo
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  3. Ótimas reflexóes, concordo com você... Se todos pudessem agir com, pelo menos, um pouco de bom senso, já seria bem melhor! E realmente á mágica da vida é incomparável!Uma abençoada tarde de segunda-feira, repleta de muita paz e alegria! Grande e carinhoso abraço!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. A vida também é aprendizado:) Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  5. A ternura é sintoma natural de quem alacança a espiritualidade. Amo suas reflexões que estão a cada dia mais profundas e belas, abraços

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde, Célia. Seu texto é muito interessante, e faz refletir.
    Concordo contigo que para vivermos bem emocional e fisicamente, temos de abrir o nosso coração para os bons sentimentos, e driblar as pedras no caminho.
    Independentemente de sexo, credo, posição social, temos que procurar a felicidade isenta de preconceitos avassaladores.
    Vida companheira, é vida feita de sensações e pessoas felizes ao nosso redor! Procuremos ajudar ao nosso próximo!
    Parabéns!
    Um beijo na alma, e fique na paz!

    ResponderExcluir
  7. Célia, adorei seu post. Por vezes é raro ver pessoas com a mente aberta como a sua na blogosfera, que fala abertamente da diversidade sexual e todo o contexto da crônica está excelente. Grande escritora você é. Meus muitos parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Cada vez ficamos mais experientes e entramos em conformidade com nossa vida, isto é saber viver! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.