domingo, 29 de julho de 2012

Abster-se




Às vezes instalo-me e te espero...
Pensamento viaja e te busca,
No passeio do tempo
Conduzo-te em meu olhar.

Orgulho e eficiência distanciaram-nos...
Agora, concebemos tamanha frieza.
Contato de pele mórbida
Que, na insensibilidade, nos afasta.

No laboratório da química existencial
Transformo nos tubos de ensaio
Sentimentos, outrora frívolos,
Hoje, paixões eternas.

Guardo a fórmula
Que será revelada
No retorno dessa viagem
De curto percurso.


Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores





 

23 comentários:

  1. "E o que vemos e partes veremos face a face"

    ResponderExcluir
  2. Que bom podermos guardar a fórmula até o retorno...
    Estas pequenas distâncias é que dão o tempero certo para manter
    acesa a chama da piaxão!

    ResponderExcluir
  3. OLá Célia, boa noite!

    Essa sua poesia me deu o que pensar...
    Quantos relacionamentos, por falta de habilidade em cuidar do amor, da relação não terminam em frieza, em insensibilidade?

    Muito bom, amiga, muito bom!

    Bjos carinhosos da Lu...

    ResponderExcluir
  4. Celia,adoro suas poesias e essa ficou linda!bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  5. oi querida Célia,

    Tudo bem? Boa noite! Ao refletir sobre o seu texto, lembrei-me do poema de Drummond que pede para não deixar o amor passar. E esse amor que você descreve que passa por tubo de ensaio não deixa morno e acorda alma. E o seu poema se associa ao proclamado Camões: Amor é fogo que arde sem se ver"

    Boa semana!

    Lu

    ResponderExcluir
  6. Oi Célia...
    Linda poesia...Adorei!Ótima Semana!
    Beijos!
    San...

    ResponderExcluir
  7. Oi Célia, linda poesia! Você escreve muito bem.
    Muito obrigada pela suas palavras de carinho no meu blog.
    Somente quem foi professora e gostava do que fazia é que pode dar valor a todo trabalho realizado e ter a noção do quanto é difícil "ser professora".
    Obrigada pelos votos...espero que esse retorno seja tranquilo e que eu possa continuar meu trabalho...
    Amanhã irá sair uma postagem, sobre um de meus trabalhos no portal da prefeitura do Rio (www.Rioeduca.net). Gostaria de poder contar com seu comentário por lá dando uma forcinha, seria possível? Amanhã passo por aqui e deixo o link.
    Um beijão.Muita Paz e Luz!

    ResponderExcluir
  8. Tudo a ver com magia, alquimia e fórmulas secretas, fascinante este seu poema. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  9. O amor chega, invade, ama.... mas ele precisa ser alimentado, reinventado, renascer em gotas a cada dia, pra que novas avalanches deslizem sempre pelo nosso coração....
    Hoje tem post novo! Obrigada pelo carinho e pela presença amiga, sempre constante no blog.... Infelizmente não consigo visitar a todos como gostaria..... Então peço desculpas se, por vezes, me demorar um pouquinho mais a aparecer.... Mas... com certeza voltarei! Dia 02 de agosto, quinta-feira, terá novo post também!
    Uma semana feliz e cheia de oportunidades! Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Um tanto romântico, um tanto filosófico, um tanto obscuro. E certamente, mais um ótimo texto de sua lavra. Parabéns, Célia.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Célia! Andei sumida por causa de uma gripe, mas estou melhor e já posso visitar seus poemas. Sorte minha. Beijos!

    ResponderExcluir
  12. hola Celia, bello poema.
    «El orgullo y la eficiencia nos distanció ...
    Ahora, concebir tal frialdad.
    Contacto con la piel mórbida
    ¿Cuál, la insensibilidad, nos aleja.»
    ES posible que nunca haya existido un amor de verdad
    Cuando el orgullo se apodera de uno de los dos, se rompe la unidad,se vuelve insensible a las necesidades del otro.
    Con ternura
    Sor.Cecilia

    ResponderExcluir
  13. Oi Célia,
    uma ótima semana pra você!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  14. OI CÉLIA!
    AMORES QUE SE VÃO E DEIXAM SAUDADES!
    PARA MIM, É UMA NECESSIDADE DE QUEM FICOU, TRANSFORMÁ-LA EM ESPERANÇA DE UM RETORNO QUE NUNCA ACONTECERÁ, AMORES SÃO DINÂMICOS COMO A VIDA, SE RENOVAM ENQUANTO PERSISTEM, RETORNAR, ACHO QUE NUNCA...
    TEU TEXTO ESTÁ SOBERBO.
    ABRÇS

    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  15. Célia, querida
    Guarda essa fórmula feita de esperança, amor, ternura, paixão para quando ele voltar, e dê um pouquinho para ele tomar, no amor nada é impossível, e pelo visto é um distanciamento passageiro. Fica com Deus e guarda bem essa fórmula, bjs

    ResponderExcluir
  16. Fórmula guardada, esperança no fim do túnel. Vida abençoada!
    Lindo poema, Célia!
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Celia, que delicia poder retornar sempre às coisas boas da vida, poder reviver amores e reinventar novas formas de amar. Linda poesia.
    Bjks e otima semana

    ResponderExcluir
  18. Amiga Célia,
    Para se ter um amor infinito (pelo menos "enquanto dure"), temos que sempre acrescentar novo catalizador à fórmula do amor; do contrário, tudo perde o sentido.
    Abster-se de sentimentos é tarefa árdua.
    Aprecio como canta nossa inquietações.

    Parabéns pela bela inspiração!

    Abraços do amigo!

    ResponderExcluir
  19. Laboratório existencial... Gostei disto, Célia!

    Abraço,
    Jorge

    ResponderExcluir
  20. Guarda tudo em seu coração e passa para nós esta maravilha! Um dia retornaremos, mas ninguém sabe como é este retorno, portanto temos que fazer tudoa agora, para que seja bom! Um beijo

    ResponderExcluir
  21. Hoje com o coração muito apertado
    com a alma triste pelo afastamento
    do menino poeta enamorado da (LUA)
    Um poeta que conta as estrelas
    da sua janela .
    Vai deixar uma grande lacuna não só
    no meu coração.
    Mais a todos que ama seus poemas
    e o carisma que trata todos nos.
    Minha homenagem ao meu maior idole
    esta na postagem.
    Vai se afastar sim:deixando seu livro
    um grande legado para quem conseguiu um exemplar.
    E seu exemplo que jamais vou esquecer
    Como esquecer de quem tanto me apoia
    de quem eu tanto amo.
    Virei poeta para homenagea-lo .
    Um abençoado final de semana beijos paz e luz.
    Evanir..

    ResponderExcluir
  22. Abster-se sim, perder a patente ...nunca!
    beijo

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.