domingo, 22 de julho de 2012

O preço da liberdade




Menino ainda sonhava com suas bolinhas de gude, pião e pipa em uma cidadezinha interiorana. Tudo  envolvido em tranquilidade.  Nada afetava esta infância. Mãe devotíssima.  Viúva. Filho único. Possibilidades financeiras mínimas. Recurso era o terço. De joelhos rotos pedia à santa que desse ao filho uma boa vida. Sorrateiramente a oportunidade clerical. Levaram-no. Toda a formação educacional filosófica e teológica administrada. Sonhos adolescentes enclausurados. Aos olhos ávidos tudo era deslumbrante. Novos horizontes se abriam. Material e espiritualmente provido. Mãe fora alicerçada como premio por doar o filho à religião.

Status. Poder. Carro. Viagens. Cursos a escolher. Moradia, alimentação e inserção no mundo intelectual. Isso tudo teve um preço. Alto. Muito alto. Sonhos adolescentes, agora acrescidos pelos da juventude enclausurados.

Vagou mente e coração. Divagou. Comparou. Concluiu que a imposição materna tolhera-lhe sentimentos de liberdade. Travou imensa batalha interior. Pagava juros sem conseguir zerar o débito.

Lia e relia ensinamentos cristãos e fixava: crescei e multiplicai-vos. Debatia-se. Não podia falhar. Decepção familiar seria imensa. Era tido santo homem. Dilacerou-se, pois, desde quando amar é pecar? Indisciplinou-se rasgando véus de uma credulidade mórbida.

Amou e foi amado. Gerou. Constituiu família. No olhar de hoje paira a dúvida no ontem que ainda cobra juros não amortizados. Compara. E, agora são seus joelhos que dobram diante da santa rogando pela felicidade dos filhos.

A que preço? A que juros?
Ao de ser feliz, somente.

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros.
*Clube de Autores

18 comentários:

  1. Lindo texto como todos os que aqui postas com amor e carinho.
    Amiga, obrigada pela visita,pelo carinho de sua amizade, dia do amigo é todo dia, sinta-se sempre amada por mim, amo ler aqui, sempre algo aprendo contigo, sempre!!!
    Abraços e beijos em seu coração!
    Tenhas um lindo dia de domingo!
    Ivone

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Célia por mais uma belíssima reflexão, precisamos usar nossa liberdade com conciência de que deveremos prestar conta daquilo de mal que fazemos ou até mesmo o bem que deixamos de fazer!
    Um ótimo Domingo pra vc!

    ResponderExcluir
  3. Celia,os filhos crescem e ficamos sempre pensando se estão bem preparados para a vida,para usar a liberdade,por melhor educação e amor que lhes tenha dado!Linda msg!Bjs,

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde amiga das letras !!!!!!
    Dia de domingo é dia de visitar os amigos queridos.
    E vc continua fazendo parte dos mais queridos e amados.
    O dom da escrita te faz um ser diferente em essência na hora de
    transmitir teu aprendizado .Aplausos pelo ensinamento tão bem redigido.
    bjsssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  5. Éramos felizes e não sabiamos! Que pena! Tudo se complicou, até as novelas que a gente esperava para assistir, único divertimento em família era a TV, uma para todos, que delícia! Novelas de Amor! Hoje só ensinam traição, contravenção, crimes. Só nos resta mesmo rezar e pedir a Deus que não piore! Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Célia,estou em falta contigo aqui no blog,andei sumida,mas estou a toda de novo!!!
    Amada tenha uma semana abençoada que Deus possa estar realizando todos os seus sonhos!!!
    Abração...

    http://aninhavitoriosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Célia, obrigada pela visita ao meu blog.
    Tenha um lindo começo de semana, bjus e fica com Deus!

    ResponderExcluir
  8. Oi Celinha, que linda historia, a vida é assim muda-se de rumo em busca da felicidade.
    Bejoka e otima semana.

    ResponderExcluir
  9. Olá!Boa noite!
    Tudo bem, Célia?...
    ...apenas na medida em que estas expressem a busca da felicidade, não o jogo mecânico da formação de preços.Ver a felicidade dos filhos não tem preço.Entre a opressão e a educação mais liberal, tem que buscar a fórmula que é indispensável para conservar a liberdade de escolha de cada um...
    Obrigado pelo carinho da visita!
    Boa semana
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. O texto dá o que pensar Célia. Na minha opinião, os padres deviam ter permissão de se casar. Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Tantos, tantos que no Portugal da 1ª metade do séc. XX (e não só)passaram por essas etapas que aqui descreves sem, porém, chegarem à última - a de rasgar os véus!

    Belo texto, Célia querida!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Olá Célia, passei para agradecer seu carinho. Adorei abrir meu blog e ver seu recadinho por lá...aproveitei e me deliciei com suas postagens. Beijocas.Obrigada! Tenha uma semana iluminada.

    ResponderExcluir
  13. Conflitos entre ser o que se quer e o que esperam de nós. Humano, demasiado humano. ótima reflexão, Célia.

    ResponderExcluir
  14. Célia, o texto que publica, eu diria que é mais para ser lido com o coração, que com os olhos, só assim tais palavras podem penetrar a alma. Você é inspirada por Deus minha cara. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  15. Olá!Boa noite!
    Tudo bem, Célia?
    ...obrigado pelo carinho da visita!
    Boa semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Querida
    Vc relevou valores e isso é importante demais!!!
    Seja feliz e abençoada!!!
    Bjs de paz

    ResponderExcluir
  17. Olá amiga desculpa a passagem rápida, mas só cheguei agora do trampo e tem votinhos a contar antes que Morfeu grite pelo meu nome e eu caia nos braços dele... vim só validar teu voto no pena de ouro, depois volto com calma e desculpa o spam. Beijos perfumados!

    ResponderExcluir
  18. Célia, a felicidade é um prêmio...

    beijo

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.