quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Habito-me

















Habito-me

E aprendo com minhas manias e meus vícios

Despojo-me de valores incrustados impiedosamente

Avalio a dignidade de ser o que quero e em que me transformaram

Acuso-me de omissa e até certo ponto permissiva

Dancei música que não era meu ritmo preferido

Andei por caminhos obscuros e tenebrosos

Pondero a riqueza de viver todas as fases

E saber fazer escolhas para mudança de cenário

Enceno agora o meu ato – autêntico

Sendo... Tendo... Fazendo... o que mais gosto

Embrionando-me na aventura do renascer.



Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores


13 comentários:

  1. Muito bom Célia, sempre expressando a autenticidade de uma mulher firme com certeza! Parabéns! Bjooooss

    ResponderExcluir
  2. Linda Célia, amei seus versos como todos, "...Embrionando -me na aventura do renascer."
    Amiga isso é mesmo lindo, eu sempre me sinto assim, embrionando-me na eterna aventura do renascer para reviver ainda melhor!
    Abraços amiga poetisa!

    ResponderExcluir
  3. Célia
    É uma grande conquista ser nós mesmos, ser autêntico, é o mínimo que podemos fazer por nós, não é fácil, pois enquanto agradamos os outros, esquecemos de nós. Não vamos agradar a todos, mas é muito importante nos agradar. Estou começando esse caminho, eu chego lá, uma ótima noite, com autenticidade! rsss

    ResponderExcluir
  4. Conscientização do próprio eu.
    Auto conhecimento, do espírito e do corpo.
    Amadurecimento, pela rica vivência, pela atenta observação.
    Chega-se, parece, à plenitude serena, sabendo-se o valor de tudo...

    Habite-se, Célia, renasça! A vida, é um constante espetáculo. Viva-o, plenamente!

    Um beijo, afetuoso,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  5. Oi, Célia! Estamos mesmo num eterno aprendizado.
    Que bom que a dureza de certos caminhos e escolhas nos dá, pelo menos, isso: uma lição, um passo acima. E vamos renascendo, nos refazendo...
    Um grande abraço, feliz por retornar aqui.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Célia. Bom dia! Parabens! Vc tem maturidade e personalidade e dignidade. Belissimo sempre amiga seus posts. Obrigada pela partilha! Um feliz fim de semana.

    ResponderExcluir
  7. Olá parceira! Encerrou-se minha ausência na blogosfera, mesmo não estando muito presente, dou sempre um jeito, afinal, não quero tornar meu blogue o santuário virtual que tanto critiquei e ainda critico. Não é justo com quem nos dá atenção.
    Faz dois dias que não consigo enviar um comentário aqui pra você, deve ser bug e espero que desta vez vá!
    Adorei o poema e me identifiquei de certa forma com ele, algumas vezes também fui permissivo e também, por imaturidade, permiti que pessoas fizessem com que me sentisse ser o que não sou. Hoje, ao meu jeito, assumo quem sou e sinto ter muito mais dignidade assim.
    Agora é cruzar os dedos... ahaha

    ResponderExcluir
  8. É amiga, acho que devemos mesmo nos permitir ser e fazer o que queremos, mas como você disse muitas vêzes somos omissas e muitas vêzes permissivas, e com isto vamos vivendo, e tentando fazer o melhor! Beijos

    ResponderExcluir
  9. Dessa forma nos construímos, nos [des]construímos, mas acima de tudo seguimos tentando a cada dia ser melhor!

    Lindo, lindo!
    Um afago!
    http://pequenocaminho.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Um lindo final de semana pra você.



    Beijos


    Ani


    http://cristalssp.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Muito bom Célia. Uma boa reflexão para cada um de nós, que sendo autores e protagonistas da nossa vida. Não somos ilhas, somos influenciados e influenciamos por meio das interações com os outros.

    Um abração e bom final de semana.

    ResponderExcluir
  12. Oi Célia, essa mensagem é mágica amiga!
    Tenha um ótimo começo de semana!
    Com carinho,
    Arione

    ResponderExcluir
  13. Que proveitosa mensagem! Amei.
    Renascer, metamorfosear, recriar, criar o novo, aperfeiçoar o velho.
    beijo

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.