sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Árvore















 


Sei que nunca verei um poema mais belo e ardente,

 Do que uma árvore: uma árvore que encerra

 Uma boca faminta, aberta eternamente

 Ao hálito sutil e flutuante da terra.

 Voltada para Deus todo o dia, ela esquece

 Os braços a pender de folhas numa prece.

 Uma árvore, que ao vir do estio morno, esconde

 Um ninho de sabiás nos cabelos da fronde.

 A neve põe sobre ela o seu níveo diadema

 E a chuva vive na mais doce intimidade

 Do tronco, a se embalar nos galhos seus;

 Qualquer néscio como eu sabe fazer um poema.

 Mas quem pode fazer uma árvore?

  - Só Deus.

 (Joyce Kilmer)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

4 comentários:

  1. E não há nada mais com tanto movimento que uma árvore, aparentemente em silêncio! abraços

    ResponderExcluir
  2. Lindo Célia! Excelente escolha!

    Meu carinho!

    ResponderExcluir
  3. Só Deus mesmo, e que bela lembrança sobre o dia da árvore! Em outros tempos trabalhando em escola eu não esqueceria, tinha sempre que fazer algo com os alunos rsrs, lindo poema amiga! Bela homenagem! Bjihosss

    ResponderExcluir
  4. Uma escolha belíssima, só DEUS mesmo, que pena que o homem não tem sensibilidade, e maltrata tanto a natureza, fazemos parte dela, sem ela não há vida. Um ótimo fds, bjs

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.