terça-feira, 4 de setembro de 2012

Começamos pelo fim?










 

 

Uma história sem final feliz
Deixa tristes desvios no caminhar
Segue sem metas ou ilusões
Descobre na beleza natural
A intimidade de um encontro
Em que a arte será o olhar
No toque do coração
Onde se seduzem almas sequiosas
Do encontro definitivo após muitas voltas
Na completude original do existir
Homem e mulher

 

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

13 comentários:

  1. Lindo poesia, bela inspiração! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Bom dia minha amiga das letras!!!!!
    Vejo mais um poema cheio de inspiração nascido por ti,
    que tem a beleza poética ...
    bjssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  3. Senti falta de ler seus poemas Célia.
    Parece que alguns relacionamentos que iniciam são fadados para o fim.

    ResponderExcluir
  4. Célia, minha amiga poetisa de alma linda, pois é amiga, nem sempre entramos em um relacionamento para que acabe, nem sequer imaginamos o fim, que pena quando tudo termina, imagino que seja triste mesmo!
    Lindo poema!
    Beijos amiga querida!

    ResponderExcluir
  5. Oii Célia, triste mesmo qdo as pessoas que se amam são vitimas dos acasos da vida e prosseguem sozinhas, qdo se reencontram sempre há aquele olhar que imagina o que elas perderam! Lindo! bjinhosss

    ResponderExcluir
  6. Triste, mas bonito de doer esse poema, Célia. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Minha querida

    Um poema nostálgico mas muito lindo, como sempre escreves.
    espero que esteja a correr tudo bem e deixo o meu beijinho com carinho.

    Sonhadora

    ResponderExcluir
  8. No toque da canção abriu-se a canção! abraços

    ResponderExcluir
  9. Parabéns Célia pelo poema, retrata bem nossa realidade!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  10. Começamos pelo fim?
    Penso eu que é a nossa mais pura realidade nos dias de hoje.
    Gosto de seu poetar, sempre me leva a refletir e tirar muitas conclusões.
    Parabéns!
    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
  11. Nem sempre o fim é o começo, mas penso, que muitas vezes, o começo pode ter um fim indesejável, principalmente quando a avidez por um determinado propósito, se expira, se dilui durante o caminhar.

    muito profundo seu poema...é necessário ler , reler, reler.
    espero ter feito um comentário à altura. beijo

    ResponderExcluir
  12. Célia
    Se você soubesse o quanto eu me encontrei nesse poema!!! Histórias sem final feliz podem deixar marcas profundas!!! Me intriguei com esse poema, rsss
    Uma ótima noite, amiga querida, bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá, Célia.

    Mais um grande poema contido em pequenos versos. Os encontros e desencontros do sentir humano num versar singular.

    Um abração.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.