sábado, 22 de setembro de 2012

REPRISES











 

 
 
 
 
 
 
Amanhecera.

Tinha tudo para ser igual.

O mesmo banho.

A mesma água tépida percorrendo o corpo.

O mesmo solitário café da manhã.

Os mesmos projetos.

Seguiam-se.  

Projetos interrompidos.

Valeria a pena dar continuidade.

Mesmices em ações e pensamentos.

Medita-se.

Hiato na vida de quem ainda busca.

Um olhar.

Uma palavra.

Uma ternura.

A esperança da espera.

Arrasta-se em pensamentos.

Polui-se de tal forma que inconcebível viver em dignidade.

Perpetua um mal estar de querer tudo de outra forma.

Sagaz e ferido em seu íntimo manda recado

Amar, só ao contrário – eu, a enésima potência. 

Perde-se o brilho.

Anoitece...

 
Célia Rangel.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

 

 

 

 

 

 

14 comentários:

  1. Lindo poema...
    A mesmice, a repetição...
    Mas não podemos deixar que se instale a tristeza... Linda inspiração! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Oii Célia, forte e bonito, acho que a esperança deve prevalecer sempre mesmo qdo parece não haver mais nada! Bjoooss

    ResponderExcluir
  3. Olá!Boa noite!
    Célia!
    ...traçamos nossas vidas pelo poder de nossas escolhas. Quando nossas escolhas são feitas ativamente, até a mesmice , a rotina e as reprises são suportáveis, principalmente quando estamos NOS amando, com a auto estima em alta, agora quando não somos nós mesmos que traçamos nossas vidas, nos sentimos frustrados, pois queremos como recompensa, no mínimo alguém que NOS ame... Geramos nossos próprios meios. Obtemos exatamente aquilo pelo que lutamos. Somos responsáveis pela vida que nós próprios criamos. Quem pode mudar nossas vidas, a qualquer tempo, será sempre nós mesmos...
    Obrigado pelo carinho dedicado ao meu blog!
    Bençãos infinitas!Bom domingo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Nada pior que o tédio, amiga! E é isso que tanto tenho sentido ultimamente...

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Hoje você nos prestigia com mais um belíssimo poema!
    Grande abraço Célia, e um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  6. Oi Célia,

    Tudo bem? As vezes os dias se tornam cinzas, mas a esperança da primavera recolhe as folhas do outono e guarda as resignações do inverno.

    Beijos e bom domingo,

    ResponderExcluir
  7. Olá, Célia.

    A esperança contra o tédio da rotina, meditar, buscar, resgatar... Jamais desistir.

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir
  8. A vida tem demasiadas reprises...
    É a vida...
    Excelente poema, gostei.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Gostei! Gostei muito!!!

    Me faço seguidora.

    Beijos,

    Nel

    http://nellsantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Dizem que, "quem já foi Rei, nunca perde a Majestade"...
    É sempre bom acreditar, nos ditados populares...Eu creio!

    Um beijo,Célia,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  11. Olá Célia, bom dia!
    Venho lhe agradecer; você me honra com suas visitas. Muito obrigado!
    Tenhas um dia maravilhoso!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  12. Que intensidade magnífica em seus versos, Célia!
    Beijos e boa semana amiga,
    Valéria

    ResponderExcluir
  13. Por isso que eu gosto da internet, Célia. Quando o tédio tenta me pegar, visito os blogs dos amigos e sempre encontro pessoas talentosas e belas ideias. Beijos!

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.