quinta-feira, 31 de maio de 2012

Meu Romance






Penetro em meu útero celeste
E com muita ternura
Gero o meu céu
Renasço, redescubro-me
Simples assim
Basta muito pouco para ser feliz
A paz interior que me invade
Na simplicidade
Torna sereno o meu viver
Descarto o supérfluo
Carga inútil peso morto
Em minha estrada
Bebo na taça do prazer
Do meu viver!

*Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

terça-feira, 29 de maio de 2012

Fantasias








Ah se pudesse viver à sombra de um anjo
que me desviasse dos maus tempos
me encaminhasse para nuvens de amor
deixando-me no orgasmo da vida
simplesmente viver.

Sonharia com um arco íris de desejos
colorindo cada fase da vida
perpetuando meu viver
gravado no mármore da alma.

Tamanha riqueza sempre seguiria comigo
Massageada pelo toque das minhas mãos
Eternizaria momentos e fantasias
Lacrados onde sou eu realmente
Minha mente.

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

domingo, 27 de maio de 2012

Dedução Interessante...





Longo é o caminho da gratidão.

De repente cruza a sua vida.

O tempo do reconhecimento é único.

Vivo em um cantinho da memória,

Ressurge explodindo em palavras.

Admira-nos ver o elenco das boas ações,

Despertas todas em um só instante...

Gratidão? Gratificação? Cobrança?

Inimigas todas.

Pois, não se agradece quem nos cobra...

Exigências de um bem  viver,

De afeto ou espontaneidade,

Serenidade e a magia da interação,

Na alma que é bondosa

Que fez e faz não por méritos,

Mas pela ternura em que vive,

Redistribui-a na total gratuidade

Da sua existência.

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores



quinta-feira, 24 de maio de 2012

Meios
















Assenhoreie-se de absoluta certeza,

Que a paz é possível.

No discernimento do bom senso,

Que começa em cada um de nós.

E como polvo agrega a cada um.

Cativando pela necessidade de ungir,

Unir polos desbastar arestas somente.

Na intimidade de um bem querer,

Que magicamente ilude o viver.

Busca-se, encontra-se...

Perde-se, esvai-se...

Vida e morte.

Revive-se no espelho,

A possibilidade do domínio,

Na simetria do que somos.

Ou fomos?





Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Legado






Na ressaca do meu oceano
Avanço em afetos por você
Transbordo em sonhos
Intimidade e bem querer.
Conservo, assim, meu legado
Que ficará eternizado
Nas ondas agitadas
De quem vive
Sempre a surpreender.

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores
imagem: Google

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Aprender a sobreviver
















Há vida possível quando se está bem, tanto no emocional, quanto no físico. E, qualquer fase de nossas vidas há planaltos e planícies. Basta-nos saber explorá-los em sua magnitude.

O atingir da maturidade complementa-nos com certa liberdade nas relações. Não há compromissos, exigências ou cobranças. Na seletividade natural da vida escolhemos conviver com boas companhias, dotadas de bom papo, humor, elegância, serenidade e, o principal - o saber acolher na integridade individual - sem julgamentos. Isso nos confere a sabedoria do relacionar-se. Como é gratificante olhar o outro como se fora meu espelho!

Superar possíveis frustrações da sexualidade, na medida certa do ser sensual e sensitivo. Sentir e expressar. Jamais armazenar pois, poderá perder o valioso tempo do compartilhar.

No DNA das conquistas hetero ou homossexuais situa-se a engenhosidade do saber driblar, do saber liberar ou ser liberado (a) contando com uma autoestima bem dosada.

Projetar a longevidade, sem visão egóica, necessita-se de atualização com o mundo em que se vive, estando muito atento (a) à vida, com leituras energizantes, serenidade nas decisões, ponderação, e doação do seu tempo ao outro que, de repente, ao seu lado mendiga uma ternura e você não o percebe.

Mágica é a vida e seus momentos!

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Acolher sempre





Realmente não dá para viver sem a ternura:

- De um olhar

- De uma compreensão

- De uma relação doadora

- De palavras e gestos incentivadores

- Do amor sem exigências ou cobranças

Isso tudo são alimentos essenciais

Ao prazer pelo simples acontecer

Ao segredo das palavras não ditas

Para recriarmos ambientes de crescimento

Para almas que se complementam

No silêncio da ternura.

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Ilusão



Retiro-me e congelo pensamentos
Revejo, reassumo, reavalio
Repenso vida e obra
Uma ótica valiosa
Como um marcante perfume
Ficou impregnado
Somei e dividi
No limiar entre ficar e ir
Permito-me decidir
Entre o outono e o inverno
Acolho o outro
Reativo sentimentos
Podo temores
Deixo à espera de um novo brotar
Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Esconderijos do Tempo

Os Poemas

Os poemas são pássaros que chegam

não se sabe de onde e pousam

no livro que lês.

Quando fechas o livro, eles alçam voo

como de um alçapão.

Eles não têm pouso

nem porto

alimentam-se um instante em cada par de mãos

e partem.

E olhas, então, essas tuas mãos vazias,

no maravilhado espanto de saberes

que o alimento deles já estava em ti...


Mario Quintana

quarta-feira, 9 de maio de 2012

eternaMente




                                              











  eternaMente
        vilÃ
desmamE
O princípio de gestar ser ação feminina,
Tem com certeza a ver com um “Deus feminino”.
Ainda assim, querem mandar em nosso corpo.
Se, por meios de concepção normal,
Euforia!
Se, por inseminação,
Espanto!
Se, depois dos 40,
Velha!
Não gesta mais nada...
Oras, santa ignorância!
Filho, a gente não pare nunca,
O umbilical prossegue,
Possessiva!
Se, partimos para nossa vida,
Ausente!
Não há acordo...
Eternas vilãs femininas no desmame...
Crudelíssimas!

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

domingo, 6 de maio de 2012

Abrindo espaços














Descobrindo formas adolescentes, olhar fixo no céu,
Brincava com os desenhos e a dança das nuvens
Que, juntas ou solitárias abriam espaços,
Mutantes em minha imaginação!
Embalava-me em fantasias, imagens, volúpias, sonhos,
Apoteóticos momentos mentalmente acumulados e esvaziados.
Hoje associo com nossas vidas e o amontoado de entulhos mentais,
Infestados labirintos disformes, desbotados e ainda assim, venerados!
Sentimentos, amores, dores que não servem para mais nada...
Assim, como as plantas são podadas, fortalecem-se e renovam-se,
Abrirei novos caminhos, já que ficaram obsoletos.
Que o limite seja azul e, as alegrias volumosas
Só assim, desfrutarei do novo espaço,
Purificado pelo efeito da água cristalina
Despejada por grossas nuvens...
Herdarei a energia e, doarei em afetos
Desfazendo tempestades emocionais.
Resgatarei a identidade dos meus densos pensares.

*Célia Rangel, autora.
*Membro Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

sexta-feira, 4 de maio de 2012

SERENIDADE DE MARIA





Olhai como é bela a serenidade de Maria!
Sempre abelha,
sempre borboleta.

Como abelha,
capta do jardim e do pomar de Deus
néctar
e distribui mel.
Nem sempre no ambiente há doçuras,
mas Maria sempre detecta as delícias divinas
e as partilha com as criaturas.

Como borboleta,
Maria transita entre flores,
leva leveza e beleza ao jardim:
néctar para os olhos,
doçura para o coração.

Como Maria,
ser,
ao mesmo tempo,
abelha e borboleta,
sempre doces, sempre belas,
no ser e no fazer.

Ir. Lauro Daros, autor.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Em maio...




Ame-se para que com serenidade ame ao outro

Sentimentalize-se para poder receber e doar

Sinta seu rosto... sua pele... seu corpo... sua alma

E, que a ternura se abrigue em seu coração

Liberte sua imagem com olhos translúcidos

Assim, encontrará seu perfil transcendente

sem sonho ou idealização, real tão somente

Desconstrua caso não o satisfaça a imagem

E, prossiga enquanto é tempo e o caminho livre

Vá! Minha mão será a sua, nossos passos ritmados

Na simetria de uma mesma estrada da vida.


Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores
 


terça-feira, 1 de maio de 2012

Dia do Trabalho


TRABALHADORES


 Pe. Zezinho, scj



 Deus abençoe os lixeiros e as varredeiras

e os operários que sujam as mãos

e o limpador de bueiros e as lavadeiras

e quem se suja de graxa e sabão!


Trabalhadores, trabalhadoras,

Deus também é trabalhador!


Deus abençoe os banqueiros, e os fazendeiros

e os comerciantes e os industriais

e os ilumine também, pra que não explorem

nem especulem, nem ganhem demais!


Deus abençoe os artistas e educadores

e os sonhadores do lado de lá

e os ilumine também, pra que não se esqueçam

que tem criança do lado de cá!


Deus abençoe os profetas e os religiosos

que gostam muito de profetizar

e os ilumine também, pra que não imaginem

que só seu grupinho é que vai se salvar!


Deus abençoe as mulheres trabalhadoras

porque trabalham duas vezes mais

e as abençoe também, pra que não se cansem

porque sem elas não vai haver paz!


Deus abençoe os eleitos e os eleitores

e quem governa este nosso país

e os ilumine também, pra que não se esqueçam

o excluído e do mais infeliz!