sexta-feira, 29 de junho de 2012

Fim ou Recomeço?




Hoje quero rezar com você,
Que está muito bem,
Sei disso.
Olha por nós e sorri,
Com olhos negros sérios,
E generosos lábios,
Que sempre pronunciaram amor.
Refinada cultura armazenada,
Dádiva partilhada com ternura.
Exemplo de vida nada mais.
Viveu. Amou. Foi amado.
Deixou amores.
Agora prepara caminhos,
Percorreremos...


Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores






segunda-feira, 25 de junho de 2012

Momento




Não quero mais fazer contas


Sequer também compromissos


Apenas sobreviver


Com excesso de ternura


Meu livro está editado


Na pessoa que sou


Quem decifrar meus hieróglifos


Saboreará página por página


A última, cada um escreverá  


Sem leviandade, apenas com sabedoria


E o entusiasmo da maturidade amiga


Que nos transporta ao eterno


Redenção real ao que tem valor


Sem números, sem mandos, sem lei.


Leve assim, levianamente, flutuemos


Indulgentes preparando caminhos


Apenas!

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores


sexta-feira, 22 de junho de 2012

Inconcebível






















Não sei se "rio ou choro"...
Por mais 20 ou 30 anos...
Não sei muito bem...
Há quantas andará?
Os rios e o ar desse mundão,
Que destruímos hoje,
Em egoísmo brutal?

Deve ser para não sobrar
Mais nada para ninguém.
Consumir tudo...
Consumir a todos...

Ruminantes de propostas,
Tão logo engavetadas
Na poluição mental sustentada,
Por uma burocracia apodrecida...

Como anarquistas que somos todos,
Elementos destrutivos e destruidores,
Esperaremos ações efetivas do outro,
Enquanto, "deitamo-nos eternamente em berço esplêndido"!

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Uma pessoa





Da imaginação à ação,
A mente cria,
Os pés transportam
Desprovidos de tudo, senão andar...
Tropeçam, caem, desistem,
Mas a mente continua com a ideia...
Falta-lhe o transporte.
Em socorro vem o espírito
Com sua luz mostrando pistas...
Tira-me do vacilo do mundo
De cinzento passo a enxergar o azul.
Preencho vazios deixados por você
O que era de outro, agora é meu,
Lembranças, saudades, dádivas...
Aconchego para meu inverno vivente.
Minhas mãos que tocam, acariciam, aquecem...
Pessoas.


Célia Rangel, autora
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

terça-feira, 19 de junho de 2012

Lamentável!!!




E, eu que pensava já ter visto de tudo nessa minha rica visão de vida!

Pesadelo!

Nesse caso, sequer mudaram as "moscas"...

E, ainda dou espaço para isso!!

Lamentável!


Célia, eleitora cidadã desmotivada!!

domingo, 17 de junho de 2012

Assimetrias




Desigual,
Opulência e fome total
Toques gestados
Amores diluídos
Sonhos e milagres desfeitos

Poeta esfomeado de amor
Calado mendigo de ternura
Remói dor sem paliativo
Que no fundo da alma se instala
Estranho sintoma de tristeza inacabada

Soluço engolido voz trêmula
Prisão de sentimento camuflado
Diversidade não digerida
Identidade de um amor extasiado no tempo
Emoldurado no quadro de toda uma existência.


Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores






quinta-feira, 14 de junho de 2012

INTRIGANTE


















Interessante que descartei Pavlov da minha vida.
Certas situações e estímulos que me forjavam
A ser o que eu não era ou não queria.
Sai do excesso da teoria, e cai na exceção da regra.
Treinamentos, pensamentos aprisionados, condicionados...
Depois de algumas décadas de vida,
Pude ser eu tão somente.
Não espero ouvir o que o outro quer para eu querer também...
Desde um cardápio, um filme, um passeio ou similar.
Hoje exteriorizo minhas vontades satisfazendo-as.
“Eu quero” ou “eu não quero” são lemas que respeito.
Mais do que nunca, a minha individualidade é prioridade.
Aumentou minha responsabilidade, claro.
No entanto, vibro no meu agora,
Com o conteúdo que me apraz.
Interpreto com serenidade meu papel na vida,
Harmonizando-me, e aos outros, legando pistas.
Pauto-me com os bons, e sigo no meu limite e autenticidade.


Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Gratidão, é tudo!

















 

Na alegria envelhescente que sou,

dedico-me a prazeres simples

 e, por isso mesmo, plenos.

em um pequeno espaço físico corpóreo

me pego pensando como cabe tanto...

quantas artimanhas com “pensamentos, palavras e obras – por mea culpa”...

Posso declinar milhões de vezes “o confiteor”

que não chegarei a pureza que me é devida ou pretendida...

Sim, pois foi a vida, pela vida e na vida que me perdi

maquinando engenhocas no meu ilustre imaginário

para adornar meus espaços, que nada mais são, senão “vazios férteis”...

Então, cultivo assim, meu jardim da posteridade, elaboro remédios

que contemplem meu bem estar, e afrodisíacos,

que alimentem ainda mais minhas loucuras...

Enquanto houver olhos, ouvidos, inteligência, mãos perfeitas, mente sã

ainda que o corpo nem tanto...

pulsarei meu coração preguiçoso, pois tem trabalhado muito,

dinamitando minha criatividade no denso cultivo das palavras.

Elas me completam.



Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

terça-feira, 12 de junho de 2012

Namorando...





Namoro a criação.

Namoro a vida.

Namoro o mundo.

Namoro meu ser.

Namoro meus amigos.

Namoro o meu jeito de ser.

Minha autenticidade,

Namoro minha alma,

Doação de eterna fidelidade.

Namoro como Deus me fez.

Namoro meus defeitos,

Namoro minhas qualidades.

Deus também namora,

A todos nós,

A tudo o que Ele fez,

Deixou o exemplo de amar-nos.

Pratique... Namore também!

Seja “Amante da sua Vida!”
 
Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores


sábado, 9 de junho de 2012

Chegadas e Partidas




Você chegou quando menos esperava

Na realidade, pois em sonho já existia.

Idealizava você que me completou...

Não houve decepção.

Amorosidade e respeito

Fizeram nossa união.

Anjos transportaram em suas asas

A doçura do seu olhar e o carinho no falar.

Na preciosidade em me agradar,

Prepara outro ninho de amor,

Para nos instalar.


Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores



quinta-feira, 7 de junho de 2012

Desvios















Contorna-se toda uma vida
E, de repente percebe-se,
Acabou.


O olhar do amanhã
No passado ficou.
O falar emudeceu.
O ouvir ensurdeceu.

As cores são outras.
O vazio preencheu-se,
Com outras formas e sabores.
Outro tempo novos ares.

Despoluem-se pensamentos.
Consagram-se outros amores.

Vida que se renova e segue.

Tudo o mais é o que está e ficou.

Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

Retribuindo alegrias!




Amigos!

Há momentos em que palavras não exprimem sentimentos!

Obrigada, amiga Regilene!

Na virtualidade do nosso contato,

a união poética

que simboliza nossas vidas!

Obrigada, amiga!

terça-feira, 5 de junho de 2012

Procura-se


















Em qual esquina me esqueci?
Percorro veias latentes,

Busco encontros nos desencontros,
Amores nos desamores,

Afetos nos desafetos,

Grito!

Quero ouvir o meu eco
Em busca de mim.

Ali...  Aqui...  Alhures

Encontro-me e desconheço-me.

Desintegro-me.

Em qual esquina ficou meu protótipo?



*Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores

domingo, 3 de junho de 2012

Sobrevivente



Sem fórmula ou receita, nasci...

Acrescentaram ingredientes

Incorporei alguns...

Estimularam, exigiram

Perfeição, habilidade e competência,

De preferência em destaque sempre.

Afeto, contato, amor eliminados.

Não achava instruções em como ser livre,

Desvencilhei-me desse labirinto inútil,

Alcei voo, aprendi errando,

Descartei tralhas, incinerei traumas,

Refiz-me na ternura do seu olhar.

Mulher madura, tranquila e fiel a si própria.

Apago holofotes, fecho cortinas, último ato.

Sobrevivo em paz interior.


*Célia Rangel, autora.
*Cia dos Blogueiros
*Clube de Autores