segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Um outro olhar

 
 
Bendita infância,
que a tudo celebra:
ri,  sorri,  gargalha!
O mundo descortina-se tal qual uma festa.
Enquanto brinca, aliena-se felizmente,
do mundo adulto que a contém.
Rebela-se com regras,
seu limite é o da alegria.
Com o ter muito presente,
gasta todo o ser que desabrocha.
Cria e adapta-se primorosamente.
Mente e faz manha como fadinha ou bruxinha.
Galopa em seu cavalo de príncipe,
e busca sempre sua princesa.
Sonha e acorda,
acorda e sonha.
E pula corda e amarelinha.
Sabe que um dia será real,
tanto quanto correr atrás.
Enquanto isso intensifica na vida a magia,
o encantamento, a descoberta.
Com olhar maroto, desvia roteiros e traça o seu...
Há muito por conhecer, aprender e ensinar. 
 
Célia Rangel, autora


24 comentários:

  1. Bendita seja a criança que mora dentro de nós!! =))

    ResponderExcluir
  2. Tomara que a maioria das infâncias seja assim, Célia, e bonita como seu poema. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. hummm que saudades que deu da infância, fofo demais, época boa onde tudo era festa, o maior problema era a lição de casa rsrs saudades! Bjooos

    ResponderExcluir
  4. Opa, bota meu nome nessa ciranda e me deixa brincar também. Um grande abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  5. Lindo poema Célia! Vendo esta imagem das crianças brincando de roda, me lembro como nossa infância foi mais feliz né? Pulamos corda, brincamos de amarelinha, pique, etc. Fomos felizes! Beijos

    ResponderExcluir
  6. MINHA AMIGA DAS LETRAS !!!!!!
    COMO GOSTO DESSE SEU DELEITE...TEMPO DE CRIANÇA SE FOI ,MAS A CRIANÇA CONTINUA VIVA DENTRO DE CADA UM DE NÓS ...

    ResponderExcluir
  7. Oi Célia lendo seu poema voltei a infância ,e trouxe a memoria as manhas que fazia a cada manhã para chamar a atenção de minha mãe,kkkk..bjs querida..

    ResponderExcluir
  8. Olá Célia.

    Um outro olhar mais belo, mais puro, mais verdadeiro. Olhar perdido nas paisagens infantis que visitam nossas lembranças. Pena que não podemos mergulhar no baú das memórias e resgatar esse olhar de criança.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  9. Olá!Bom dia
    Célia
    Tudo bem?
    Muito bom!Adorei como sempre!
    ... hoje o mundo é extremamente competitivo, estressante, narcisista, fútil e insaciável. E diante da fugacidade da vida, o que vem em primeiro lugar é TER para depois vir a SER...crescer, por vezes, doí mais do que machucar o joelhos... e todos nós queremos voltar a ser criança, pelo menos um pouco disso.É rir, chorar, correr, pular, brincar, sem pensar na opinião do próximo. que demonstramos a ingenuidade nos fatos, arriscamos, é viver feliz e intensamente.Quem dera pudéssemos ver o mundo sempre com esse olhar...
    Meu carinho
    Bom início de semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Como temos caminhos para escolher, Célia!
    "Com olhar maroto, desvia roteiros e traça o seu...
    Há muito por conhecer, aprender e ensinar." São tantos...

    Meu abraço,
    Jorge

    ResponderExcluir
  11. OI CÉLIA!
    ESTE MENINO MAROTO QUE GALOPA EM SEU CAVALO DE PRÍNCIPE, PODE SER CADA UM DE NÓS, EM BUSCA DE VIVÊNCIAS PRÓPRIAS...
    MUITO BONITO, NOS FAZENDO DAR ASAS Á IMAGINAÇÃO.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

    ResponderExcluir
  12. Ahhh!!!!! Que saudade desse tempo!!!
    Parabéns pela postagem Célia! Nos surpreendendo mais uma vez!
    Deus lhe abençoe!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Oi Célia
    Realmente ser criança é a melhor fase da nossa vida, e nem sabemos disso na época, só depois kkkk. Lindo poema!
    Obrigada pelo carinho da visita e na entrevista do meu filho!
    Bjos. Fique com Deus!
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Tempo de magia, você bem caracterizou. E como tudo o que é mágico, inebria e torna o mundo mais leve, mais puro, mais lindo.
    Lindo poema, Célia.

    ResponderExcluir
  15. É bonita e despreocupada a infância , embora infelizmente haja crianças que não têm uma infância feliz !
    Lindo Poema !

    ResponderExcluir
  16. Célia, saudade de ti minha amiga, que lindo seus versos, me senti de novo menina e feliz, nossa, como é bom lembrar nossos tempos em que tudo era mesmo magia e contos de fadas, li muitos, muitos mesmo!
    Lindo seu poema, como todos!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  17. Que saudades da minha infância.....eu era feliz e nao sabia..rs

    Belíssimo texto querida amiga

    Abçs

    ResponderExcluir
  18. Olá, querida Célia
    A infância é tum tempo de muita felicidade para muitos de nós...
    Lindo o seu poema!!!
    Bjm de paz e orante

    ResponderExcluir
  19. Olá Celia , querida,
    Sua poesia é magnifica, ela nos evoca, nos transporta para os momentos mais felizes das nossas vidas: a infância.
    Que os homens respeitem esse lindo e sublime mundo das crianças!
    Parabéns!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. As crianças são o melhor bem do Mundo.
    Só não percebi porque querem ser "grandes".
    Quem me dera poder manter este meu espírito menos crescido!...



    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  21. Querida Celia.
    Lindo poema com um gostinho de saudade da infância
    tempo que passa e a gente quer tanto ficar gente grande logo.
    Depois sentimos vontade de voltar a ser criança outra vez.
    Lindo e abençoado final de semana beijos,Evanir.

    ResponderExcluir
  22. Olá!Boa noite
    Célia
    agradecendo o carinho da visita!Obrigado!
    Meu carinho
    Boa sexta feira!Paz e luz
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Oi Célia,

    Tudo bem? Lendo os seus dois textos da semana, encontro uma esperança no decurso do dia. Talvez seja a vontade de ensinar ou aprender que nos edifique em dias não tão perfeitos.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.