domingo, 31 de março de 2013

CONSUMIÇÃO



 

Sentia-se infeliz, mas sabia que em mundos paralelos viveria momentos felizes. Era só captar tal energia. De sua janela observava o céu ora de um azul dourado de sol, ora cinzento de nuvens que se dissipavam caminhando seu olhar por estradas celestes.

Assim deveria ser sua vida. Trilhar por caminhos diversos. Apenas um único pensamento – o de ser feliz. Sua aquarela seria por ela escolhida. Ninguém faria melhor. Seria o seu melhor autorretrato em uma tela multicolorida.

Sonhava... E, deslizava em suas práticas a elaboração de seus planos. Amorosos todos. Mesmo os profissionais. Pessoa talhada na forma das emoções e edificada na dignidade do agir. Estagnar nunca. Seguir sempre ainda que detivesse a marcha de alguns passos para preciosos momentos de reflexão.

Eis que um dia acorda de castelos de areia e sente um peso enorme em suas costas. Pensamentos obscuros. Ombros arqueados. Coluna mestra envergada. Era tempo de bastar-se. Sentia-se só e entulhada de quinquilharias de porões alheios.

   Enterra todos.     

Percorre seus espaços preenchendo-os de felicidade e autossatisfação. Já não se contenta com a dominação do ser. Doa-se em plenitude. Refaz-se e parte para momentos de êxtases. Sente-se viva. Distribui serenidade e sabedoria – sua nova razão de viver.
Liberta-se.

Converge-se para seu vazio fertilizando-o de tal forma que lhe propicie um novo caminhar sólido onde habite apenas o amor. Em sua reengenharia emocional crê, apenas e tão somente, em tudo o que interioriza e externa, harmonizando sempre.

Tem olhar expectante. Investiga sua caixa preta existencial, revê suas raízes e com toda ternura possível deixa-se consumir sabendo que sua transmissão continuará presente. Bebe da água da vida – o amor.

Não é mito. É real.

 

Célia Rangel.

 

 

 


32 comentários:

  1. Olá, Célia. Todos trilham diversos caminhos.Assisti num programa cômico que a gente é o que foi, o que é agora (a realidade atual) e o que será no futuro. São caminhos que se entrelaçam e são nossos sob o ponto de vista da personalidade, do meio ambiente em que vivemos e as expectativas da sociedade contemporânea em relação a nós. Essas especulações são próprias da curiosidade humana. nesse caso, cabe o meu respeito pelas suas assertivas e suas decisões, posto que a acompanho como amiga virtual, a nova modalidade de convivência, a qual, de certa maneira, exige o respeito à individualidade do outro e dos seus pensamentos, porque a vivência é do outro e enfim, valeu te ler. Como se dizia antigamente: caetaneei(era a maneira de dizer muito e falar pouco:).Ouço Caetano hoje. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Bom dia
    Célia
    Muito bom o texto, quando leio algo assim, tenho vontade de mudar tudo, não se deixar consumir pelo estresse diário...ser mais proativo e principalmente ser feliz comigo mesmo
    Não podemos deixar passar o tempo sem o frisson das belas atitudes, é como a chama de uma vela que se apaga com o passar do tempo.
    É preciso muito dedicação, esforço e motivação intrínseca e extrínseca para não voltar a ser como antes, não se acomodar... pois ninguém irá fazer isso por você...é necessário termos coragem de fazer o que realmente nos deixa feliz...
    Meu carinho
    Bom início de semana
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. O amor transporta a felicidade o nosso eu, por que nos ensina a superar as adversidades! Divino texto Srta, com uma boa dose de filosofia, que adoro! abraços

    ResponderExcluir
  4. Bonito e realíssimo retrato de alma humana. Veleu - e vale - a leitura.
    Abraço grande.

    ResponderExcluir
  5. Lindo Célia, é mesmo real tais experiencias de vida,acredito até que com muitas pessoas é assim!
    Vejo minha vida, embora envelhecendo, mas feliz, olho para trás e vejo os meus filhos com seus filhos, crescidos, pré e adolescentes,envelhecer é mesmo um dom, podemos ser felizes sempre, acho até que é a constatação de que valeu cada momento, tanto as de dúvidas ou sofrimentos, escola linda é a vida!
    Grande abraço minha linda e querida amiga!

    ResponderExcluir
  6. Ser feliz é uma obrigação..o mínimo que podemos oferecer ao Pai, um treino diário!

    ResponderExcluir
  7. Célia, Feliz Páscoa, que Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Célia! Tem jeito mesmo de ser real. Achei especialmente boa a parte que fala sobre sentir-se "entulhada de quinquilharias de porões alheios". Perfeito. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Verdades! Quantas quinquilharias de porões alheios algumas pessoas "queremos" carregar na intenção de lubrificarmos o salão para outros bailarem felizes e nós, como Atlas, carregando os problemas do mundo como se para isso fôssemos feitos. É hora mesmo, Célia, de começarmos a faxina do próprio olhar, para enxergarmos coisas boas que há em nós. Somos bons,, uai! Ado, ado... cada um no seu quadrado...

    ResponderExcluir
  10. Cair em si, se autoconhecer, mudar. Libertar-se.
    Caminhos e decisões nem sempre fáceis...
    Parabéns pelo texto, Célia. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  11. Oi Célia
    Muito bom o texto! Temos que nos libertar dos castelos de areia, viver na realidade é difícil, mas é bem melhor!
    Bjos.
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. Célia, Querida

    Reflexivamente interior, o teu texto remata com um final fascinante:"[...] Bebe da água da vida – o amor."
    Assim, tudo se cria e recria na Vida.


    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir
  13. Olá Célia.

    Belíssimo texto. Conhecer-se, renovar-se no amor do existir, do ser...

    Um abração e uma boa semana.

    ResponderExcluir

  14. Oi Célia,

    Nem me fale em "quinquilharias de porões alheios". Já andei entulhada delas, até que um dia ouvi de alguém que quanto mais micos eu permitisse que colocassem em meus ombros, mais pesados eles ficariam e meus passos ficariam muito mais lentos.
    Ainda assumo alguns, mas já melhorei bastante.
    Adorei a renovação e a nova razão de viver. Me deu até motivação para recriar por aqui-rsrs.
    Profundo e lindo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Célia
    agradecendo o carinho da visita
    Obrigado
    Boa noite
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Sabe, Célia, o primeiro passo para mudar nossas atitudes, nosso modo de viver, é 'querer'! É descobrir e aceitar com humildade que não estamos certos, que devemos andar por outros caminhos. E esse 'querer', creio que é o início da virada, o começo de uma nova vida.

    Grande beijo!
    Beleza de texto.

    ResponderExcluir
  17. Querer ser feliz, esta é a receita!
    Um texto lúcido, de proposta feliz, real...
    Boa semana, de lindas produções como essa.
    Beijos, Célia,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  18. Oi Célia,

    Esse texto caiu como chuva dentro do meu coraçao...

    Bjos

    ResponderExcluir
  19. OI CÉLIA!
    NOS REINVENTAR, SERIA O CAMINHO PARA A RENOVAÇÃO DE NOSSAS VIDAS QUE EM MOMENTOS PRECISARIA TER ESTA FORÇA E META, MAS DIFICILMENTE CONSEGUIMOS FAZÊ-LO, FICAMOS AMARRADOS AO QUE PASSOU E NOS PRENDEU EM UMA ARMADILHA DA QUAL NEM SEMPRE SAÍMOS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  20. Lindo demais Célia, parabéns! Bjooooss

    ResponderExcluir
  21. Gostei do texto desde o título inteligente e poético... Consumição. Eu me senti mais ou menos neste mesmo caminho, mas também me renovo sempre e esse é o segredo dos lampejos de alegria, é o que faz a vida valer a pena sempre.
    Um abraço, Célia!

    ResponderExcluir
  22. Celia,sempre um texto delicado e d profundidade imensa!Linda busca dessa mulher que, no fundo, todas temos um pouco tb!bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  23. OLÁ CELIA VISITINHA NO BLOG COMO SEMPRE SEUS TEXTOS SÃO DE MUITA INSPIRAÇÃO BJOCAS..

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Querida Célia
    desejos de uma boa noite e uma bela quarta feira!Paz e luz!
    Agradecendo pelo carinho de sempre
    Beijos

    ResponderExcluir
  25. Em seu texto, lava-se a alma dos destroços acumulados, das inutilidades guardadas, para se abrir à vida, em perfeita renovação. Gostei muito. Bjs.

    ResponderExcluir
  26. Em seu texto, lava-se a alma dos destroços acumulados, das inutilidades guardadas, em uma perfeita renovação para a vida. Gostei muito. Bjs.

    ResponderExcluir
  27. BOM DIA MINHA QUERIDA E AMIGA DAS LETRAS!
    DESEJO QUE SUA PÁSCOA TE TENHA TRAZIDO TODA RENOVAÇÃO PARA TERES SEMPRE ESSA FILOSOFIA DE VIDA DIANTE DOS TEUS DIAS.
    OS NOSSOS DIAS PEDE PRAZER E ALEGRIA,MAS PARA QUE PODEMOS NOS DAR A ESSE DIREITO,TEMOS QUE NOS ABASTECER DE MUITOS DESEJOS E UM DELES É USAR DE UM TODO;ASPIRAR,PENSANDO MUITO NO QUE FAZER PARA QUE ALGO PENSADO SEJA REALIZADO...
    BJS E SAUDADESSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  28. Olá, querida Célia
    Estou inovando também e tirando tudo o que não me dá espaço dentro de mim para mim...
    Paradoxo???
    Não, menos ainda depois do que li em seu lindo poema reflexivo!!!
    Bjm de paz e pascal

    ResponderExcluir
  29. A transmissão se dá, como uma planta que vai soltando seus frutos no chão, sem perceber, se cair em terra fértil produzirá, se não as aves dos céus comerão e a porão em algum bosque a nova geração. Abç, Célia.

    ResponderExcluir
  30. Belíssimo!!! Bravooo Célia!
    Beijos,
    Valéria

    ResponderExcluir
  31. Linda reflexão sobre o esvaziar-se de tudo que é supérfluo menos o amor, e quem te conhece sabe que não é mito, é real! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.