segunda-feira, 4 de março de 2013

DESCASO

 
 
 
De incensada à crucificada, eis a questão:
Liga-se o automático e derruba-se o que vier pela frente...
Puxam-se tapetes, descartam-se no lixo velhas forrações,
Que um dia foram alicerces, sustentáculos...
Se não você, há outros em seu lugar...
Faz-se por fazer, mandaram-me,
Afinal, no final do mês salário garantido.
Mas, há uma cota para a felicidade,
Que se paga aqui e agora – a consciência!
Então, se desmorona conquistas, alegrias e valores humanos,
Em nome de uma modernidade,
Onde descartáveis somos todos,
Que um dia empunhamos armas educacionais,
Acreditando na virtuosidade humano-filosófico-cristã.
Dinamitados todos os pilares da aprendizagem e do respeito mútuo!
Fraternalmente apenas, sem modéstia alguma, o ‘salve-se quem puder’.
Ainda assim, não mudaria uma vírgula do que fomos e fizemos...
Havia acima de tudo, arte e autenticidade poética na educação.
Hoje impera o status da grife educacional, do poder e títulos.
Sem igualdade alguma, apenas cotas.
Bah! Nem todos digerem a poesia da alma na vida...
Utopias!
Já não há mais a rosa sobre a mesa...
Então, é um caminho que prefiro trilhá-lo só,
Apenas com o Mestre dos Mestres.
 
Célia Rangel, educadora.


18 comentários:

  1. A verdade nua e crua...

    Gosto de palavras transparentes e as suas sao puras e cristalinas...

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Um pouco de desencanto, desta vez, por aqui. Mas ele faz parte da vida, quando não é ela própria um desencanto só... Abraços, Célia.

    ResponderExcluir
  3. Segui até antes de "Utopias", com os mesmos sentimentos aí expostos. Mas eu não vou seguir só, acredito, ainda, na humanidade de muitos e, com estes, com as bênçãos do Divino Mestre, de mãos e mentes unidas, trilharemos o caminho à frente...juntos...
    Ainda há esperanças!

    Um beijo, Célia,
    da Lúcia

    ResponderExcluir
  4. Muito bom Célia. Nada menos poderiamos esperar de você. Ainda há arte e autenticidade poética na educação, o que não há é educação naqueles que não compreendem a poesia de educar.
    Bjs, Cesar.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Célia.

    Grandes verdades. Essa educação transgênica com sua modernidade retrógrada, desumanizada e desumanizante, em seu inconsequente faz de conta, abastarda o ensino. Servindo apenas à suruba política e à farsa dos seus números.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  6. Onde estão os valores internos? E a escola é a ferramenta da industria que constrói robôs que já nem sabem ler! abraços

    ResponderExcluir
  7. Bom dia amiga!
    Um desabafo super bem escrito de uma realidade gritante e triste...Um beijo, GLó.

    ResponderExcluir
  8. Poema forte e necessário, Célia. Quem conheceu um tipo melhor de educação compreende o desencanto com a situação atual. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Desabafo é o que resta aos mestres que já encontraram maçã brilhante em cima da mesa! Novos tempos, tempos de cotas.
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Tão bonita a figura "Já não há mais a rosa sobre a mesa...", Célia!
    Sabe, é isto que acontece mesmo.

    Abraço,
    Jorge

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde, Célia. Verdades que todos deveriam ler, que os governantes deveriam apelar para suas consciências e fazer algo para melhorar a educação, para priorizar o que de fato precisa!
    Hoje, vivemos em tempos em que a educação é praticamente nula, em meios aos debates se cotas são ou não necessárias.
    Acredito que só fortalece o preconceito social, mas se não existirem, os excluídos não terão quase direito algum. É complicado!
    Sala de aula, transformou-se em campo de batalha, onde o governo não é em nada mediador!
    Parabéns!
    Beijos na alma e paz!

    ResponderExcluir
  12. Que forte Célia!!! E que verdade...mas acho que ainda podemos mudar algo.
    Beijos
    Anna

    ResponderExcluir
  13. Amiga, MAIS UMA VEZ, VALEU!!! Eu sabia que vc colocaria claramente para o mundo ver a vergonha que é não só a educação, como aqueles que se dizem educadores. VALEU, VALEU, VALEU!!! Este texto está perfeito. E será enviado para alguns professores que tem sangue nas veias e não só $$$$$. Bj. Bela.

    ResponderExcluir
  14. Exatamente assim Célia, poetizou muito bem sobre uma realidade preocupante! Bjoooosss

    ResponderExcluir
  15. Oi Célia, querida, muito lindo, adorei!
    Boa semana, bjs...

    ResponderExcluir
  16. A rosa na mesa, a maçã, tempos de respeito e amor, tempos idos minha amiga! Você reportou muito bem! Beijos

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pela postagem Célia, grande verdade!
    Abração!

    ResponderExcluir
  18. Célia,

    Parabéns pela reflexão!Sou professora e sempre pensei na educação como um fim, mas ao longo dos anos mudei essa percepção e hoje entendo-a como um processo, inclusive, de ser um cidadão secularizado.

    Beijos.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.