domingo, 14 de abril de 2013

TRAÇADO


Concebendo uma vida

Jamais se imagina
 

Do que será capaz.
 
 
Caminhos por onde seguirá

Luzes que acenderá
 

Subterrâneos onde se enterrará?
 
Recoberta de cuidados

Carinhos desvelados
 
 
Ainda assim, desconhece-se...

 
Segue caminhos iluminados

Ou obscurecidos
 
 
Trilha só por destinos traçados.
 
Maktub torna-se o limiar

Da viagem da vida
 
 
A que todos nos submetemos.
 
Por vezes, um desvio, um retorno...

Um plano desfeito...
 
 
Mas, sempre o tempo de reverter o caminho.
 
Célia Rangel


28 comentários:

  1. Maktub é o título de um dos livros da querida Miriam de Sales, Bahia. Coincidência ou não, indico o livro para você! Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Linda Célia, lindo poema reflexivo, me lembrei do dia em que nasceu meu filho, meu primogênito, eu tenho mania de ficar a "meditar", imaginar o futuro, sempre fui assim, aí comecei a imaginar o meu filho crescido,feliz, bem sucedido!
    Hoje o vejo como o imaginei, feliz, com família feliz, trabalhando no que gosta,bem sucedido, com minha filha foi a mesma coisa, sonho o futuro bom e gratificante, meu e dos meus queridos companheiros de jornada!
    Mas uma coisa é certa, sempre podemos mudar o nosso caminho enquanto se vive!
    Viver é um lindo dom e uma incógnita!
    Grande abraço amiga querida!

    ResponderExcluir
  3. Um Poema lindo e para refletir ! Gostei .

    ResponderExcluir
  4. Enquanto o tempo é ainda sentido pelo corpo, podemos reverte-lo! abraços

    ResponderExcluir
  5. Aaaaa a vida....um mistério que está sempre nos surpreendendo, nos desafiando, nos convidando a mudar posturas, pensamentos....bjss

    ResponderExcluir
  6. Marcelo Sguassábia15 de abril de 2013 12:28

    Bela e oportuna reflexão. Um grande abraço para você, amiga virtual.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Célia
    Eu acredito no destino, embora por vezes pense que, se nos foi dado o livre arbítrio, talvez possamos alterar alguma coisa.
    Gostei de seu poema, leva-nos a reflectir.

    Uma semana luminosa
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Querida Célia
    Poema muito profundo, como profundos são os fundamentos da Vida.
    Cabe-nos "endireitar as veredas" para que a harmonia se recrie.
    Belo.


    Beijos



    SOL

    ResponderExcluir
  9. Célia! Muito belo e verdadeiro! Ando meio decepcionada.. já não sei se haverá tempo para reversões. Mas foi muito bom ler o que escrevestes! Gr. BJ.!

    ResponderExcluir
  10. Oi Célia
    Tremendo esse texto querida! Eu como mãe coruja, sempre quero livrar meu filhos do pior, e procuro dar a melhor educação, assim como fizeram meus pais, mas é inevitável a decepção e outras coisas mais que eles terão que passar, faz parte do amadurecimento enquanto ser humano.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  11. A vida muitas vezes é curta, mas mesmo assim seu caminho é longo.
    Nela aprendemos a sorrir, chorar, amar, sofrer e a renascer,
    para amanhecer e termos um lindo dia.
    Seja Feliz Sempre!
    Acredite no Tempo, na Amizade,
    na Sabedoria e, principalmente no Amor.
    E acima de tudo não perca a fé,
    e certeza de que Deus existe e é seu amigo sempre.
    Uma semana de muita paz .
    Beijos no coração meu eterno carinho,Evanir.

    ResponderExcluir
  12. Pensamos, idealizamos e por vezes não dá... Mas sempre é tempo de novos pensares e tenativas! beijos,chica

    ResponderExcluir
  13. Impossível prever os caminhos de quem chegou aqui. Sequer os nossos merecem um desenho perfeito,sem rabiscos. Creio, porém, nessa possibilidade de reversão, de retorno, de recomeço. Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Cada um um nasce para seguir o seu próprio caminho...é deixar acontecer...a vida vai desenhando as voltas, as encruzilhadas, os retornos, o prosseguir...Nada de pressa, haverá tempo para todas as experiências...
    Lindo, o Traçado!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Belíssimo poema bem traçado... grande abraço Célia!

    ResponderExcluir
  16. Uma graça que encontramos no caminhos é a oportunidade que ele nos dá de reconhecermos o seu início e reiniciarmos novo começo quantas vezes forem necessárias.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Célia! Sempre que leio algo seu, fico matutando. Desta vez foi sobre as pessoas que têm filhos. Como conseguem sossegar diante das reviravoltas da vida? Como não surtam ao pensar que seus filhos enfrentarão reveses inimagináveis? Começo a compreender por que certas mães grudam tanto. Beijos!

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Célia
    Os traçados inúmeros e inevitáveis da vida.De pequenas alegrias em pequenas alegrias, transformação em transformação, de espanto em espanto constatamos que a única coisa constante na vida é a mudança. À medida que avançamos com a nossa vida, as pessoas que concebemos e as emoções que sentimos nunca permanecem as mesmas. Pelo simples fato que ficaram um dia mais velhas. Vemos que a
    moderação é a medida natural de todas as coisas e os véus que obscurecem ainda certas partes sejam cuidadosamente removidos, um após outro, porque demasiada luz deslumbra e pode até mesmo causar dificuldades...para a reversão ou para o recomeço...
    Obrigado pelo carinho
    Boa terça
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. "Sempre tempo de reverter o caminho"

    Lindo"
    Adorei os versos, poesia é o encanto
    da alma.

    Bjks

    ResponderExcluir
  20. Celia,poesia muito sensivel e os filhos são mesmo uma caixinha de surpresas que a vida nos reserva!Ah,se pudéssemos parar mesmo o tempo!bjs e meu carinho,

    ResponderExcluir
  21. Célia, um beijo no seu coração. Como sempre, as publicações produzidas por ti nesse rico espaço das palavras é sempre um grande motivo de encantamento. Muito bom saber que existem pessoas como você, capazes de através das palavras, suavizar as dores da vida e encantar corações.

    ResponderExcluir

  22. Olá Célia,

    Impossível fazer um traçado da vida. Os acontecimentos podem fugir ao que almejamos. Não há controle para qualquer situação, por mais que se esmere em seguir a melhor rota possível.
    Mas como você assinala bem ao final, enquanto há vida, há oportunidade de 'reverter o caminho'.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  23. Sempre é tempo de recomeçar, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  24. Acabei de encontrar esse lindo lugar poetico e já estou seguindo aqui. Um abraço.

    ResponderExcluir
  25. OI CÉLIA!
    NOSSA CAMINHADA NÃO SEGUE EM LINHA RETA, EXISTEM MUITOS ATALHOS E CURVAS QUE MESMO NOS NEGANDO A VÊ-LOS
    ESTÃO ALI, PODEMOS SIM,VOLTAR, MAS NUNCA DEIXAR DE TRILHÁ-LOS.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  26. Oi amiga querida, acabei de ler seu poema, dói de tão bonito! É isso mesmo, é difícil sabermos os caminhos que a vida nos apresentará, a nós e aos que amamos... Então, o que resta é caminhar... A sorte, é que durante a caminhada, pessoas incríveis como você cruzam a nossa estrada, sorriem gratuitamente e acenam desejando boa sorte. Com isso, a viagem fica mais leve e a estrada menos tortuosa. Obrigada por estar sempre comigo, prometo que vou me cuidar.

    Mil beijos,

    Tania Pinheiro.

    (Célia minha linda, desculpa por não sermos mais presentes, mas saiba que a cada visita em seu blog é sempre uma gostosa surpresa! Bjuu, Tatá.)

    ResponderExcluir
  27. MINHA QUERIDA !
    SEMPRE DIGO SEM CANSAR,TENS O DOM DA ESCRITA E TUDO QUE POSTAS É SEMPRE TEMAS REFLEXIVOS...
    BJSSSSSSSSSSSSS

    ResponderExcluir
  28. Difícil amiga, difícil! Momentos maravilhosos e momentos preocupantes! Fazer o que? Orientação já houve. Agora rezar e entregar! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.