domingo, 19 de maio de 2013

Mergulhos










 

 

Grandes mergulhos no reino da alma,

na madrugada  dispersa,

cansa os espíritos mais calmos.

 

Algo vazio, que não preenche espaço algum,

sabe ter no amor a única  esperança

da ternura, ainda que elaborada.

 

O silêncio que ternuriza o espaço,

é alimento indispensável ao ego

na medida certa da conexão.

 

Longo é o processo

em acertar o alvo como quem busca

a essência do bem estar.

 

Demonstrando maturidade e talento

em ação fantástica, descarta tempestades,

e, instala um farol para sua alma!

 

Célia Rangel

 

 

 

17 comentários:

  1. Olá!Boa noite
    Célia
    Belo
    Meus pitacos...
    ...descartar tempestades não é fácil, exige a superação de hábitos e crenças muitas vezes firmemente arraigadas, para olhar a vida por prismas diferentes.Instalar um farol exige uma atitude consciente, apoiada no sincero desejo de transformação. A busca é interminável, mas o que importa é que dia a dia se possa dar um passo rumo à esse objetivo , a de pensar no outro, de perdoar mesmo que estejamos certos e deixar o ego calado. A maturidade vai ensinar qual o melhor caminho, nos ensinar a viver com as decepções, nos dá crescimento pessoal, um mergulho tranquilo às profundezas de nossa essência.
    Obrigado pelo carinho da visita
    Boa semana
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Boa noite amiga das letras !
    Agradecendo meu convite,fico feliz pela consideração ...
    Viajar ... tudo de bom para os olhos e para alma e,ler teus escritos
    é sempre um luxo ...
    bjs de boa noite !!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Inteligente poema! A maturidade traz consigo a força de poder conviver, de entender o outro, de buscar o melhor para o nosso caminho! Abraços e até mais!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Célia! Ah, esses poetas e suas madrugadas. Bom saber que estou em ótima companhia quando se trata de iluminar a alma. Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Célia
    Muito profundo seu texto! Gostei muito! É difícil mesmo encontrar o verdadeiro equilíbrio.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. OLá Célia querida, depois de um tempo ausente da blogosfera, retorno ainda que devagar, para interagir com amigos e amigas, o que realmente muito me felicita nesse universo da internet.

    Em tudo , o teu poema expressa a espiritualidade de quem está habituado aos inesquecíveis mergulhos ao universo íntimo de si mesmo. Somente quem busca o alimento para a alma, nesses voos do espírito pode falar sobre isso, com propriedade: você!

    Que possamos nos habituar à doce e necessária meditação que fortalece e encoraja a nós mesmos!

    Bjos da Lu...

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito do verso "O silêncio que ternuriza o espaço". Parabéns pelo ótimo neologismo do verbo "ternurizar". Um grande abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  8. Célia, a vida é uma eterna busca do encontro conosco mesmo, quando se é jovem se quer tudo o que há por fora do "eu", é a correria pela realização, é o tempo a nossa disposição, mas com o tempo vemos que muitas coisas são ilusões, realizei meus sonhos possíveis,ainda tenho muitos a serem realizados, vivo ainda com a gana por novidades, mas não fico mais ansiosa, acredito que agora tudo é lucro, ainda amo ler como antigamente, ainda sou romântica, mas não aquela que romanceia, curto muito mais cada momento, é isso!
    Amei sua postagem, me trouxe essa reflexão que comento aqui, lindo isso, troca, é uma linda troca!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde amiga
    hoje vim para lhe desejar uma linda semana!
    abraço amigo!
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  10. Oii Célia, tem vezes que só instalando um farol mesmo p iluminar a alma rsr lindo poema! Bjooooss

    ResponderExcluir
  11. Lindo, inspirado, um voo na imaginação! beijo,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir

  12. Olá Célia,

    Mergulhar no âmago da nossa essência, ainda que em mar revolto, nos fará voltar à tona completamento reenergizados e iluminados.
    É um momento que me acalma e me fortalece.

    Muito lindo e inspirado.

    Beijo.





    ResponderExcluir
  13. Célia,

    Como é bom mergulhar numa linda poesia como essa.
    Muito obrigada por sua amável visita ao post do Daniel Costa! Desculpe-me a demora em vir retribuir. Tive um problema de conexão ontem.
    Um lindo e abençoado dia! Beijos

    ResponderExcluir
  14. Iluminar a alma, deixar o corpo fluir e encontrar o novo... tarefa difícil, que exige, acima de tudo, equilíbrio.

    Lindo!

    ResponderExcluir
  15. Olá, Célia.

    Mergulhar às profundezas da alma. Encontrar, reencontrar nosso melhor, o melhor caminho a trilhar. Belos versos.

    Um abração.

    ResponderExcluir
  16. Oi Célia, preciso desses mergulhos...
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  17. Quantas dúvidas e incertezas no silêncio da madrugada? Melhor dormir e esperar o sol nascer com soluções! Belo poema! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.