quinta-feira, 11 de julho de 2013

Agora sei





 


Exponho meus amores sem medo

Mesmo quando acham ridículos!

Sensibilidade e fantasias

Descortinam-se em meu ser

Significando maturidade no sentir e no expressar.

 

Cultivo uma nova terra na muralha do meu silêncio

Em pensamentos de futuro, sem descartar a mulher de agora,

Lapidada, com nova interiorização - que aprovo.

Da mente, do coração para o teclado, em poemas,

Dedilho angústias, libertação, e coerência com o que vivo.

 

Simplifico, não mais complico: ouço e amo somente.

Adormeço oniricamente em paisagens e passagens já vividas...   
 
Retorno sempre e com serenidade,

Somo perdas e noto a grande relíquia que ganhei

Pela subtração de entulhos em minha vida!

 

Sentimento de leveza, e autenticidade é o meu lema...

Afinal, minha bagagem ficará por aqui.

Levarei pouco, muito pouco ou nada mesmo.

Ainda que fragmentada, posso esperar.

O amor não tem pressa...

 Célia Rangel

27 comentários:

  1. O amor, na maturidade, parece mais sereno e inspirador de belíssimas poesias...
    Que o final de semana seja rico em alegrias, Célia!
    Beijos,
    da lúcia

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, Célia! Você é sábia e escreve bem demais. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Amiga Célia, lindíssimo poema, seus versos expressam com leveza a sua linda essência, o amor é mesmo lindo e melhor vivido na maturidade, autoestima bem definida, viver é um hino ao nosso espírito quando reconhecemos a grandeza da vida!
    Amei ler, como tudo o que escreves!
    Abraços e beijos!

    ResponderExcluir
  4. Ando remando muito para alcançar essa maturidade: amar! abraços

    ResponderExcluir
  5. Que bonito,Celia!O bom da maturidade é essa segurança que adquirimos!Bjs,

    ResponderExcluir
  6. Olá Célia, linda musica, fiquei aqui pensando, que no final nada irá conosco mesmo, qto ao amor, não sei, o tempo passa tão rápido, que mesmo que ele não tenha pressa as vezes é melhor não esperarmos muito rsr bjoooosss

    ResponderExcluir
  7. Um fragmento de vida...decerto consciente, por que amadurecido e estilizado no tempo.

    ResponderExcluir
  8. Célia, agora nem sei mais do que mais gostei, se da música ou do poema. Comentarei como se fosse jurada de escola de samba: NOTA 10! Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  9. Célia querida,

    Que belo!

    Vivendo e aprendendo....

    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Viver o hoje intensamente leve e segura como você diz, ser o que somos sem subtrair nada e nem adicionar coisas vãs, lembrar do ontem sem lamentar e deixar o amanhã acontecer!!!!!!

    ResponderExcluir
  11. Olá!Boa noite
    Célia
    ...Belo...
    penso que antes de tudo temos que querer a maturidade, buscar entendê-la e vivê-la... temos o costume de confundir idade com maturidade. Em verdade uma não exclui a outra, mas nem tão pouco as tornam dependentes, pois bem, mas a experiência que adquirimos com nossos erros e acertos , não nos deixarmos
    levar por ventos de doutrina ou pela insegurança que nos faz
    desistir diante do primeiro problema ou obstáculo,são os grandes segredos da nossa caminhada...
    Obrigado pelo carinho da visita
    Belo final de semana
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. O Amor é lindo e fonte de inspiração para belas Poesias !

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde, Célia. Um dos seus poemas mais lindos que eu tive o prazer em ler.
    As experiências adquiridas na nossa vida trazem certamente um requinte maior de maturidade que nos faz observar com mais naturalidade quem somos e o que queremos para nós.
    A liberdade no amor é uma delas.
    Somos livres para amarmos do jeito que queremos, quando queremos, sem pesos ou aprovações de terceiros.
    Tenha sempre a autenticidade como lema, pois ela é LIBERTADORA!
    Parabéns pela sua divina inspiração, sem pressa, conclusivamente, natural!
    Beijos na alma e excelente fim de semana!
    Ah, quero te agradecer novamente por sua lealdade e amizade, sempre se faz presente no REDESCOBRINDO A ALMA. Não posso e nem me esquecerei disso!
    Obrigada pelo carinho!
    Tudo de bom.
    Excelente fim de semana!
    Temos em nós a essência de sermos verdadeiros em tudo, sermos leais conosco, sem máscaras, sermos sinceros.

    ResponderExcluir
  14. você tem um ótimo blog ^ ^
    você quer seguir um ao outro?
    siga-me e me avise com um comentário
    e siga você também :))


    beijos
    http://lemonchicbeautyfashion.blogspot.it/

    ResponderExcluir
  15. Desprendimento e autenticidade com o coração em paz. Isso é bom demais e não é para qualquer um. É o que busco a cada dia, Célia, e seu poema é motivador.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  16. Oi, Célia! Que legal ver seu novo comentário aparecer lá no meu blog :) Tudo o que quero é aprender a organizar meu tempo pra poder ler poesias bonitas como essas suas e escrever mais também.
    Outro abraço e um ótimo final de semana pra você!

    ResponderExcluir
  17. Que linda mensagem contem o teu poema, adoro ler-te sempre com muito talento nos passa sentimentos, verdades, muito belas, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  18. Querida Célia,

    Tudo bem? Desculpe-me pela demora nas visitas, pois ainda não consegui organizar o dia.

    Quanto ao seu texto, analiso cada palavra como um círculo entre o passado e o presente. Diria que o aprendizado, o amor sem pressa e a mansidão são resultados da caixa organizada do entulho da vida.

    Olho a sua foto e percebo também esse agora eu sei, entendendo o silêncio, o grito e claro a razão do viver.

    Boa semana!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. O amor não tem pressa nenhuma! Tem é que estar sempre presente.
    Abraço.
    Jorge

    ResponderExcluir
  20. Olá Célia!
    A leitura do seu poema, fez-me sua seguidora.A "universidade da vida" é uma escola fantástica para tudo e não só para o amor! Claro que os sentimentos na terceira idade não andam por aí a "ferver"...mas nem por isso deixam de ser intensos,gratificantes,sublimes...
    Apreciar lentamente e com sabedoria, cada dia que nos resta!
    Um abraço.
    M. Emília

    ResponderExcluir
  21. Olá, Célia
    Este poema é excepcionalmente bonito.
    Tenho lido alguns, seus, muito bons, mas gostei deste em particular.
    A vida nos ensina a ser pacientes, a saber esperar.
    Boa semana.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  22. Olá!Boa tarde
    Célia
    gradecendo pelo carinho de sempre!Obrigado!De coração!
    Bela semana!
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. O tempo do amor é mágico.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  24. O amor tem seu tempo, beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  25. Há presentes que só o tempo traz consigo. Essa serenidade digna, por exemplo. Essa calma franqueza perante a vida. Sentir isso deve ser muito bom! Belo poema, Célia.

    ResponderExcluir
  26. Célia, maturidade não é qualquer pessoa que a adquire. Muitos, embora verde, caem de podre, sem amadurecer. Quem consegue chegar a esse patamar de maturidade tem mais é que aproveitar e estender as mãos para oferecer um pouco do perfume que soube desenvolver. Como diz aquela música que cantávamos na escola: "fica sempre um pouco de perfume, nas mãos que oferecem rosas...)
    Grande abraço
    Rita

    ResponderExcluir
  27. Maravilhoso poema que adorei. Um abraço com carinho

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.