quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Acreditar

 
Palavras soltas murmuradas
De saudade
De afeto
De curiosidade
De falta de assunto
 
Crer em expressões soltas
Em pessoas sem alicerce
Em olhares curiosos
Em devaneios
 
Que alimento indigesto, nauseante
Palavras soltas
Fingidas
Estereotipadas
 
Chocante é ver justificativa
Do injustificável
Do implacável
Do que está determinado.
 
Célia Rangel

10 comentários:

  1. Quando a coisa não vem do coração,parece que a gente sente!...rss...uma linda e diferente poesia,Celia!Muito bonita!bjs,

    ResponderExcluir
  2. Pegou pesado na verdade, hein! "Palavras de ... falta de assunto" sem palavras para explicação. Melhor o silêncio. às vezes as melhores palavras estão nele.

    ResponderExcluir
  3. Uma poesia que demonstra o quanto o ser humano se ilude com belas palavras, ou com o que gostaria de ouvir para satisfação de seu ego, de sua consciência, dependendo do caso, gostei, bjos Luconi

    ResponderExcluir
  4. A crença é para Deus. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  5. Ter belas palavras é fácil, o difícil é colocar em prática! Difícil mesmo! Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi amiga, acabei de ler seu poema, deu saudade do tempo em que acreditar era natural, e o que é melhor, a gente acreditava!
    Na estória deu viver cantando ultimamente, volta e meia me pego cantando pra vc, ou melhor, cantando pensando em vc... pois tenho certeza, vc já me deu prova disso, de que somos não só do mesmo tempo, mas também, forjadas do mesmo barro.
    O Chico de hoje não me atrai, mas como não suspirar cantando Valsinha, "um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar..." ou como não se arrepiar ao lembrar Rosa dos ventos... "numa enchente amazônica, numa explosão atlântica e a multidão vento atônita ainda que tarde o seu despertar".
    Pois é, graças a Deus, minha filhota de 25 anos, conhece, canta e gosta de boa música, graças a Deus, do outro lado da tela (tenho certeza!) vc vai estar cantando a música que eu citei. Faremos um dueto virtual rs... Beijos nossos! Fica com Deus.

    ResponderExcluir
  7. Célia, que bonito poema!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  8. Sou descrente a mais não poder, então é claro que amei o poema. Beijos, Célia!

    ResponderExcluir
  9. São palavras vazias, incapazes de preencher as necessidades do coração. Cremos em comportamentos, não em palavras. Belo poema. Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Adorei as palavras.
    Bom dia
    Bju
    Toninha
    http://www.educar-oprimeiropasso.com/
    http://toninha-ferreira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.