sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Sinto o cheiro da Primavera!



Fogo! Água! Terra! Ar! Pássaros!
Elementos fundamentais no Planeta!
O fogo extermina...
A água refresca e encharca o solo.
A terra é o berço da plantação.
O ar... O vento... eficazes condutores.
Os pássaros agricultores naturais,
Carregam as sementinhas germinadoras
Da beleza... Do cheiro primaveril...
Formando lindos jardins
Revigorando a paisagem apoteótica
Do Criador para os olhos de suas criaturas!
Inspire... Expire... Cante... Sonhe... Ame...
Ela está chegando – bela e suave
Com seus coloridos e cheiros e gorjeios...
Renove seu jardim interior!
Célia Rangel
(primavera de 2010)
 
 

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Abstraindo...


 


Se nos originamos de relações

Se fluidos geraram e alimentaram

Harmonizando fontes da vida embrionária à adulta

Limitando o eu, você e os outros

Na humana individualidade

O desfrutar da sabedoria não  faz o individuo sábio

Pois, todo equilíbrio vem do compasso da alma

Ao ouvir a voz do silêncio interior

Deixando aflorar a criança intuitiva no discernimento

De uma reação positiva sobre todas as formas de vida

Interligando amores e possibilidades de afetividade

No relacionar-se com autonomia.

 

Célia Rangel


“Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta.”

Carl Jung
 

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Revisitando meus poemas...



    Fantasias de Amor   
 
Quando dois apaixonados se encontram,
Um terremoto acontece em seus corpos.
O olhar, a voz, os gestos extasiam-se.
Desejo e encantamento enternecem-se.
 
Quando dois enamorados se encontram,
Um vulcão explode entre eles,
Desembocando suas lavas,
Em tranquilas águas cristalinas.
 
Enamorados, apaixonados são eternos.
Na lua, nas estrelas, no infinito.
De mãos dadas, selam suas almas,
Na plenitude do amor sublime.
 
Um tempo lascivo é tatuado em seus corpos,
Pelo orgasmo da magia do amor,
Onde sonhos, ilusões e fantasias
Explodem na mente e coração dos amantes.
 
Estremecem-se os corpos,
Fantasiam-se as almas...
Quando suas lendas pessoais,
Languidamente entrelaçam-se!
 
Em fases mais explosivas,
Ou mais brandas, extasiam suas vidas,
Inebriam-se com ternuras profundas,
De um bem querer inesgotável.

 

Célia Rangel
2009

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Adorável



Uma gloriosa lua encanta
Com seu passeio noturno
Todos dormem
Ela e eu agitamos o espaço
Ela sideral, eu terrena
Ela magicamente prateando o mundo
Eu perdendo o tom desbotando
Ela terá seu companheiro ao amanhecer
E em seus braços desfalecerá
Para surgir em outra noite
Eu... só... talvez nem amanheça
Desfalecendo em um canto qualquer
De amores todos
Célia Rangel
 
 


quarta-feira, 21 de agosto de 2013

PRESSENTIMENTO






Há uma troca de energia encantadora
 
E uma lua fantástica a nos iluminar

Vento que espalha o inverno

E traz o cheiro da primavera

No canto de pássaros jardineiros

Que voam polinizando sementes

Tudo brota, fertiliza nosso interior

Almas coloridas espargem bondade

É tempo de enamorar-se

Por novas possibilidades!

Célia Rangel

terça-feira, 20 de agosto de 2013

HOMENAGEM: "RECANTO DOS AUTORES"




Amigos!
 
Fui surpreendida com uma bela homenagem vendo um texto meu publicado no
 
RECANTO DOS AUTORES:  DO ESCRITOR... (Celia Rangel) com imenso
 
carinho pela Anne Lieri a quem sempre leio suas incríveis postagens! 
 
Agradeço a gentileza!


 
Célia Rangel
 
 

Criança!


domingo, 18 de agosto de 2013

Tudo é provisório


 (imagem-internet)
 
 

Difícil crer que se gera em um útero
Aquele que esfacelará todo um ninho de amor
Há uma impotência sem fim
Entre o querer e o desprezar a vida
Uma travessia animalesca
Onde se minimiza a mente
E ganha forma apenas prazeres pessoais.
Célia Rangel

sábado, 17 de agosto de 2013

Reflexão...


A CONSCIÊNCIA DE SUA MISSÃO

Frequentemente, eu me pergunto: " O que cada um de nós está fazendo neste planeta?”

Se a vida for somente tentar aproveitar o máximo possível as horas e minutos, esse filme é bobo.

Tenho certeza de que existe um sentido melhor em tudo o que vivemos.

Para mim, nossa vinda ao planeta Terra tem basicamente dois motivos: evoluir espiritualmente e aprender a amar melhor.

Todos os nossos bens na verdade não são nossos.

Somos apenas as nossas almas.

E devemos aproveitar todas as oportunidades que a vida nos dá para nos aprimorarmos como pessoas.

Portanto, lembre sempre que os seus fracassos são sempre os melhores professores e é nos momentos difíceis que as pessoas precisam encontrar uma razão maior para continuar em frente.

As nossas ações, especialmente quando temos de nos superar, fazem de nós pessoas melhores.

A  nossa capacidade de resistir às tentações, aos desânimos para continuar o caminho é que nos torna pessoas especiais.

Ninguém veio a essa vida com a missão de juntar dinheiro e comer do bom e do melhor.

Ganhar dinheiro e alimentar-se faz parte da vida, mas, não pode ser a razão da vida.

Tenho certeza de que pessoas como Martin Luther King, Mahatma Ghandi, Nelson Mandela, Madre Tereza de Calcutá, Irmã Dulce, Betinho e tantas outras anônimas, que lutaram e lutam para melhorar a vida dos mais fracos e dos mais pobres, não estavam motivadas pela idéia de ganhar dinheiro.

O que move essas pessoas generosas a trabalhar diariamente, a não desistir nunca?

A resposta é uma só: a consciência de sua missão nesta vida.

Quando você tem a consciência de que através do seu trabalho você está  realizando sua missão você desenvolve uma força extra, capaz de levá-lo ao cume da montanha mais alta do planeta.

Infelizmente, muita gente se perde nesta viagem e distorce o sentido de sua existência pensando que acumular bens materiais é o objetivo da vida.

E quando chega no final do caminho percebe que o caixão não tem gavetas e que ela só vai poder levar daqui o bem que fez às pessoas.

Se você tem estado angustiado sem motivo aparente está aí, um aviso para parar e refletir sobre o seu estilo de vida.

Escute a sua alma: ela tem a orientação sobre qual caminho seguir.

Tudo na vida é um convite para o avanço e a conquista de valores, na harmonia e na glória do bem.

 Roberto Shinyashiki

 

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Descobri...

(imagem internet)
 
 
Que amei demais...
Que me aborreci demais.
 
Que importunei demais,
Que aprendi demais,
Coisas inúteis...
 
E que...
Deixei de me encantar
Com a magia de tudo!
 
Deixei de ter esperança
Nas pessoas...
Cobrei demais!
 
Que me tornei amarga demais.
Isolei-me. Ocultei sentimentos...
 
Que fantasiei demais...
E sonhei demais!
 
Então... desnudo-me:
Quero amar sempre.
Aprender como nunca.
Encantar-me com tudo e todos.
Avivar minha fé e esperança,
No outro!
 
Ser dócil e meiga o bastante...
Para ser gente e entrelaçar-me
Com o outro!
 
Sonhar e realizar–me com
Minhas fantasias...
E assim, viver em êxtase,
Pela vida, com a vida!
 
O importante disso tudo,
É que... descobri a tempo!
“O Tempo...”
Hoje, meu maior aliado! 
Eterno cúmplice...
 
 
Célia Rangel
 
 


terça-feira, 13 de agosto de 2013

Amadas diferenças





Tão diferente hoje...

A linguagem do amor!

É consumir e ser consumido,

Seria esse o grande amor?

Sei que sem sonhos,

Sem espiritualidade,

Sem a arte,

Sem a ciência,

Não sobrevivemos.

Não geramos.

Não damos frutos.

Nisso para mim, reside o amor da vida pela vida.

 

Célia Rangel

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

PAI



PAI

 

PAI, nesse momento quero pensar com você que também é filho
 

Que vive momentos de ternura, ansiedade, tensão e euforia de um pai que também foi criança e jovem...
 

Que tem nos olhos o brilho da imagem do amanhã que se descortina numa paisagem de arco-íris...


Que curte comigo minhas descobertas, alegrias, tristezas, numa constante troca de aprendizagens
 

Que me vê crescer e comigo cresce em dignidade na sublime missão de ser o meu pai terrestre
 

Que me coloca nas pegadas de Cristo para que eu me prepare em uma cidadania ética
 

Que sabe esperar o meu crescimento interior alicerçando-me sempre com seus exemplos de vida
 

Que na sua essência transcende o Filho que amanhã será o Pai...
 

Quero a certeza de que juntos não nos decepcionaremos nessa nossa construção de vidas!

 

Célia Rangel

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Mês Marista e das Vocações: Pai!




Deixar com Ela

 

Assim, em oração, entrego-me a Ela,

Nossa Senhora!

Cuida de mim, protege-me, guia-me, ensina-me

A esperar o Seu Tempo.

Tempo de Deus,

Tempo da Mãe,

Tempo do Filho.

Respeitar na mansidão de pensamentos.

Saber esperar com o coração...

Depositária fiel tenho crédito,

Com Ela e com Ele

O caminho?

Só um “GPS Divino” irá nortear

Sentimentos, emoções, desejos acarinhados...

Na aventura de viver e perpetuar

O dom maior de todos,

O do Amor e Amar!

Sem limites, sem preconceitos,

Amar simplesmente no aconchego da alma...

Doando-me a tudo e a todos

No rosário mental de minhas orações.

 Amém!

Célia Rangel

sábado, 3 de agosto de 2013

LACUNAS


 
 
 
 

 
 
 
 
 
Vive-se.

E, à medida em que vivemos,

Vamos colecionando lacunas.

Fica um espaço dentro do peito.

Na alma uma omissão imensa...

Nada se fala, nada se escreve

‘Lacuneia-se...’

Perde-se o sentimento de amor próprio.

Na lacuna habita o faz de conta.

Por ser um ‘substantivo feminino’,

Talvez esteja acostumada ao vazio,

A abnegar-se, ceder

À incompreensão,

À massificação da humanidade,

Ao discurso ao vento...

‘Lacuneia-se...’

Assim, fica mais fácil sobreviver.

Até quando?

Célia Rangel

 

 

 

 

 

 

 

 

 

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

A singularidade

 
 
Envolver com o olhar e, absorver...
Ver o mundo refletir suas cores.
Sol e Lua que no desencontro se amam
Um aquece o dia e a outra ameniza a noite.
Sol que se entrega para o mar
No vão de uma janela aquece a esperança...
Lua que ama a terra e acalenta sonhos...
Na transparência de uma vidraça ilumina corpos.
Despertam e exploram sentidos e sentimentos
No encontro com o planeta e,
Na quietude de seus rastros luminosos
Adornam graciosamente a natureza!
Nuvens se contrapõem no exercício da humildade
Para que ambos “astros” se igualem
Sem soberania...  Apenas tocantes...
Envolventes... Insubstituíveis...
Únicos!
Célia Rangel