quarta-feira, 5 de março de 2014

Campanha da Fraternidade 2014



A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) abre hoje (5) a Campanha da Fraternidade de 2014, com o tema Fraternidade e Tráfico Humano e o lema É para a liberdade que Cristo nos libertou.  A solenidade será às 14h, na sede da CNBB, em Brasília.

O bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, presidirá a cerimônia, na qual será divulgada mensagem do papa Francisco para a Campanha da Fraternidade. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Marcello Lavenère e a secretária executiva do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), pastora Romi Márcia Bencke, confirmaram presença na solenidade.

Primeiro dia da Quaresma (período do ano litúrgico que antecede a Páscoa), a Quarta-feira de Cinzas simboliza, para os cristãos, o dever da conversão e da mudança de vida, para recordar a fragilidade da vida humana, sujeita à morte, explica o arcebispo metropolitano do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta. A data coincide com o dia seguinte à terça-feira de carnaval e é o primeiro dos 40 dias do período da Quaresma.

De acordo com dom Orani, nesse período recomendam-se os grandes exercícios quaresmais: a prática da caridade e as obras de misericórdia. O jejum, a esmola e a oração são exercícios bíblicos até hoje praticados pelos cristãos. No Brasil, a CNBB promove todos os anos a Campanha da Fraternidade, que focaliza sempre um tema da vida social, tem o objetivo de ajudar as pessoas e é considerada um instrumento de evangelização.

Segundo dom Orani, a origem do nome Quarta-Feira de Cinzas é puramente religiosa. Neste dia, celebra-se a Missa das Cinzas – as cinzas usadas no ritual provêm da queima dos ramos abençoados no Domingo de Ramos do ano anterior. A essas cinzas, mistura-se água benta. Conforme a tradição, o celebrante da missa usa as cinzas úmidas para sinalizar uma cruz na testa de cada fiel, proferindo uma dessas duas frases: "Lembra-te que és pó e que ao pó voltarás" ou "Convertei-vos e crede no Evangelho".

Na Quarta-feira de Cinzas, assim como na Sexta-Feira Santa, a Igreja Católica recomenda o jejum, para os que têm de 18 a 59 anos, e a abstinência de carne, a partir dos 14 anos. Além disso, incentiva-se a prática de dar esmolas. O tema da pobreza é a mensagem do papa Francisco para esta Quaresma: "Fez-se pobre para nos enriquecer", lembra dom Orani.

*Com informações da CNBB e da Rádio Vaticano




8 comentários:

  1. "Lembra-te que és pó e que ao pó voltarás". Pois é... a gente se esquece disso muitas vezes. Gostei de ler a matéria e voltar a refletir sobre a quaresma.
    Um abraço, Célia.

    ResponderExcluir
  2. Olá! Vim conhecer o seu cantinho através da homenagem do Felisberto. Parabéns!
    Beijinhos de Portugal

    ResponderExcluir
  3. Oi Célia fazia tempinho que não visitava seu blog ,pois mudei meu endereço,hoje olhando alguns comentários antigos me deparei com o seu e vim fazer esta visita,estou como nova seguidora,e convido você a conhecer meu novo blog e se gostar seguir.
    Gostei do texto bastante interessante para os dias de hoje.
    Deixo meu carinho.
    http://reginaladydapaz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Boa lembrança dos rituais da quaresma, tempo de reflexão, amei ler amiga Célia, pois as coisas da alma e espírito precisam ser resgatados, não sou religiosa, mas amo aprender sobre tudo que diz respeito à alma, ao transcendental, elevação ao Alto sempre!
    Abraços apertados amiga sempre querida!

    ResponderExcluir
  5. Olá querida Célia, boa lembrança e excelente o tema deste ano! Gostei! Bjoss

    ResponderExcluir
  6. Oi querida Célia, vim lhe desejar uma ótima semana, beijos!!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Célia!

    Muito importante vai ser a CNBB, dedicada ao tema "FRATERNIDADE", que tanto escasseia.
    Gostei muito de ler todo o seu texto, porque nem parece português, do Brasil, de tao correto, que se apresenta.
    Como católica, tentarei cumprir alguns destes aconselhamentos/recomendações.

    Dias bem felizes e reflexivos.
    Beijos, com estima.

    ResponderExcluir
  8. Quanto tráfico há de nós por nós mesmos? Nos traficam quando permitimos que sequestrem de nós o discernimento, quando roubam de nós doando-nos além do que precisamos. Furtam-nos a cidadania toda vez que festamos, de olhos fechados, o pão e o circo farto. Mas ao tráfico humano proposto pela Campanha da Fraternidade, há muito a ser divulgado e muito a ser descoberto. Ajudemos a salvar essas vidas sequestradas pelos corruptos, pelos traficantes, pelos preconceituosos de todas as espécies. Que não nos esqueçamos dos africanos que foram traficados- roubados dos seus lares- e trazidos para esta terra Brasil para serem escravos e enriquecerem os coronéis e a igreja. Não nos esqueçamos dos tráficos de almas. do sequestro do nosso tempo, dos nossos estudos, da nossas infâncias e juventudes. Que ainda consigamos resgatar tanta esperança nossa que foram sequestradas, traficadas sei lá para onde. Que ela consiga retornar e trazer para nossas vidas a experiência que conquistou quando esteve ausente de nós. Que este novo tempo resgate-nos de nós mesmo e que consigamos libertar nossas culpas - estas que nos aprisionam dentro do nosso peito. Grande abraço.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.