segunda-feira, 2 de junho de 2014

JUNHO














No tom cinza
do entardecer
junho desponta,

Mostra-se sombrio
procura por aconchego
meu olhar o acolhe.

Há celebrações
datas, festas e fogos
nada me aquece.

Uma panaceia
milionária
por jogos e brazucas...

Há fome e frio nas ruas
indiferença concebida
mordomias exclusivas.

Excluídos o humano
e o meio ambiente
artificializa-se tudo...

Potencializa-se o ter
o fazer de conta
de que tudo vai bem...

Célia Rangel


11 comentários:

  1. Neste junho, Célia, o faz de conta vai ruir. Seu poema já demonstra isso. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Lindas verdades trazidas nessa poesia.E junho chegou, a panela irá ferver.E depois? beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Um olhar crítico e lúcido sobre este mês, no qual a pirotecnia vai tentar enevoar os gritos de fome e frio... Abraços, Célia.

    ResponderExcluir
  4. Junho tem mesmo esse lado sombrio do frio e das pessoas desamparadas,infelizmente! Uma bela e pertinente poesia,Celia! bjs e boa semana pra vc,

    ResponderExcluir
  5. Pois é, nunca um junho foi tão complicado como este ano. Todos, sempre foram alegres, com as fogueiras que crepitavam e aqueciam corações, mas este jogos e tudo o que gira em torno deles, não trará um mês de paz, pelo contrário, estamos apreensivos com toda a confusão que irá se transformar por causa deles.
    Sua poesia traz essa verdade e é bom para que reflitamos o momento.
    um beijo carioca


    ResponderExcluir
  6. Oi querida Célia, infelizmente a realidade é mais dura do que se pensa...
    Beijos e boa semana!!

    ResponderExcluir
  7. Mas quase nada vai bem...
    Junho desceu cinzento, e não verde e amarelo...

    ResponderExcluir
  8. Sabe, Célia, o que vejo é gente descontente de um lado e gente fazendo força do outro para mostrar um nacionalismo que não existe quanto a esses jogos. Chegamos num ponto que estamos pensando sério, e no coletivo. No Brasil que trabalha, que sofre, que chora. E essa festa não existe por todas as razões que conhecemos, que vivemos e que você falou lindamente. Tudo é falso, até a alegria consegue ser. Comemorar o quê? Ficarmos alegres, eufóricos com o quê? Tudo está fora do contexto. E o pior é que todos sabem da mesma coisa. É traumático!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. Célia, eu sou otimista e é bom perceber outros pontos de vista. Um abraço, Yayá..

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde, Célia. Uma grande verdade, infelizmente.
    A miséria continua mascarada e o nome do Brasil "aplaudido" mundo afora, mas na realidade, tudo está ruim desde educação, moradia, saúde.
    Os problemas são os mesmos e a copa para pobre, sequer existe, uma vez que os ingressos são de valores astronômicos.
    Tantos hospitais que existem e precisam ser equipados, contratados médicos, profissionais da educação bem remunerados e por aí vai.
    Empregos temporários a copa trará, mas e depois?
    Não haverá utilidade posterior alguma.
    Esse é o nosso país, sem estrutura e responsabilidade alguma.
    Beijos na alma e linda semana de paz!
    Fiz uma lista de blogs, a fim de não perder a atualização dos espaços que mais frequento e me visitam, o seu está nela.

    ResponderExcluir
  11. Também não compactuo com todo este faz de conta! Finge-se que está tudo bem, quando está um caos! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.