terça-feira, 8 de julho de 2014

Esvaziando Sentimentos


















Longínquo o olhar...

Lágrimas.

Inocência a provar...


Palavras entrecortadas.

Trêmulas,

Mãos acariciantes...


Respiração ofegante,

Dúvidas,

Crateras no coração.


No abraço,

Denúncia...

Da mansidão do amar.


Plainar na ansiedade,

E, na maturidade,

Aterrissar o voo.



Célia Rangel

6 comentários:

  1. Aterrissar para decolar sempre. Vivemos entre voo e outro.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o Cadinho, Célia, sempre é tempo de alçar novos voos. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Profunda e muito linda,Célia! beijos,ótimo dia!chica

    ResponderExcluir
  4. Linda amiga Célia, seus versos estão lindos e nostálgicos, com uma beleza própria de sua criatividade poética, sua alma estando aqui transparente, lindo demais!
    Abraços apertados minha linda e doce amiga!

    ResponderExcluir
  5. Olá,querida Célia
    Que a denúncia de um abraço cheio de amor reine sempre em nosso ser. Lindo poema!!!
    Bjm fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.