quinta-feira, 17 de julho de 2014

Migrando...





















Há meias verdades quando se curte a solidão

Escondida em profundo silêncio

Ainda que em ardentes chamas

Em metade de sentimento não revelado

Resgata de temporais amores e saudades

Que surgem de escombros emocionais

Que no incêndio das paixões da infância

Esvaiu-se em cinzas no transcorrer da vida

Solitariamente, na memória de um poeta

Que migra em sonho na busca de um ancoradouro

Para acasalar o milagre da vida com a magia do ser.



Célia Rangel

11 comentários:

  1. Lindíssima tua inspiração,Célia! um beijo,lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  2. Lindíssimo, Célia! O título poderia ser "Fênix". Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Eu não consigo curtir solidão...

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Celia, muitas vezes é nos momentos de solidão que mais aprendemos! Que bela poesia, amiga! bjs,

    ResponderExcluir
  5. Olá, Boa noite, Célia
    Linda inspiração...muitos têm medo da solidão e nem desconfiam de que é o primeiro passo para o autoconhecimento e o segundo para uma convivência saudável com o outro...pois para conviver com o outro , é preciso tolerar sua própria companhia...eu acho que irei sentir falta da solidão caso a perdesse. Ela faz parte de mim, se tornou minha confidente, quando eu mais precisava de alguém. Na solidão, meus sonhos podem ser esquecidos e a realidade pode enfim ser vivida... o silêncio muitas vezes me faz ouvir , me faz ser eu...
    Obrigado pelo carinho, belos dias, beijos!

    ResponderExcluir
  6. Célia um poema profundo e belo, para reflexão, mas muitas vezes é na solidão que aprendemos a nos olharmos sem o verniz imposto pela convivência na sociedade, e neste auto conhecimento só temos a ganhar, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  7. Lindo poema e que retrata o que eu sinto às vezes em certas noites, como esta em que estou com insônia, mas que tenho a companhia de ótimos textos como o seu, por exemplo.
    um abraço carioca

    ResponderExcluir
  8. Eu curto a solidão
    Mas é verdade que há
    Meias verdades
    Nesta ilusão.

    Sua poesia inspirou-me esses versos, de tão bonita que é.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Eu curto a solidão
    Mas é verdade que há
    Meias verdades
    Nesta ilusão.

    Sua poesia inspirou-me esses versos, de tão bonita que é.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Há uma certa sensação de algo incompleto na solidão.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.