quarta-feira, 2 de julho de 2014

No Inverno



















Quieto-me sob o olhar perscrutador

Não me atrai a observação

Expando ao vento gélido

O frescor de toda uma vida

Curtida em sentimentos aquecidos

De imagens que seduzem

Ainda que pinceladas destoem

Do meu imaginário concreto

Jamais petrificarei emoções

Em dias de recolhimento

Tempo perigoso de inquietações

Agitadas no redemoinho das ideias

Há imensa necessidade em pacificá-las

Questão de sobrevida.



Célia Rangel

17 comentários:

  1. Linda e profunda, como o inverno! bjs,chica

    ResponderExcluir
  2. Tempos de inquietações tiram a nossa paz.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Não gosto nada do inverno, mas o poema é lindo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Que este inverno seja tão bonito quanto seu poema, Célia. E que você não pegue a gripe filha da mãe que eu peguei. :) Beijos não contagiosos!

    ResponderExcluir
  5. Olá, Boa noite, Célia
    ...o inverno está aqui e a inquietação pelo desconforto gelado do clima é inegável... ,ficamos recolhidos, encolhidos e introspectivos,mas , às vezes a gente descobre as verdades pelas negativas, porque não adianta querer controlar o que não tem controle. E pouca gente sabe tão pouco se amanhã vai fazer o mesmo frio. E só então você descobre que tem algo indestrutível...a vontade de viver...
    Obrigado pelo carinho, belos dias, beijos!

    ResponderExcluir
  6. Perfeito!
    Questão de sobrevida mesmo.
    Bom dia, Célia. Lindo poema!

    ResponderExcluir
  7. Para nós que exercitamos a criatividade a inquietação é uma constante.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  8. Vim pousar no teu espaço aceitando o convite do nosso amigo Felisberto que, em tão boa hora, nos indicou o teu blog. Encantei-me com os poemas tão delicados e de sentimentos tão verdadeiros. Parabéns pela delicadeza da tua alma.
    Deixo-te sorrisos e estrelas, com meu carinho.
    Helena

    ResponderExcluir
  9. O poema é lindo, e eu amoooooo de paixão o inverno!
    Vi seu blog no top comentaristas do blog do Felisberto e vim conhecer.
    Já fiquei por aqui!!!
    Bjins

    http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. A inquietação é boa ao inverno, é motivação. Gostei do delicado poema. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  11. E sol doa, literalmente, o calor necessário para que possamos sobrevoar pelos campos gelados! abraços

    ResponderExcluir
  12. Célia
    Bom poema, andando ao redor para palavra; pacificar, nunca será demais o apelo poético.
    beijos

    ResponderExcluir
  13. Que seja gelado lá fora e não em nossos corações! Que bela msg nessa poesia,Celia! bjs e bom fim de semana,

    ResponderExcluir
  14. Traz um pequeno foco que calor e doçura ao frio do inverno. Gostei muito.
    Beijo e BFS. D

    http://acontarvindodoceu.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  15. Célia , vim ao seu espaço por indicação do amigo Felisberto . Gostei do li e vi . Já sou seguidora . Beijos

    ResponderExcluir
  16. Olá.

    Sábado de sol. Tardes de entretenimento.
    Meus desejos de um tempo de paz e Saúde.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Um Poema de Inverno, com algum frio lá dentro. Sente-se a poesia e o recolhimento que o tempo convida a respeitar.
    Bela sensação do calor que as palavras e versos nos deixam mitigar.


    Beijos


    SOL

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.