quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Depois...


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
De um anoitecer embriagador

Amanhecer em um espasmo mental

sem saber dia, hora ou local

isso é fantástico!

 

Enveredar por labirínticos caminhos

sem saber onde vai chegar

sem pensar em quê/pra quê/por quem...

 

Abrir janelas da vida

purificando almas e corações

sem esperas algumas.

 

Percorrer espaços

ainda que da via crucis

mas com alma angelical.

 

Embebedar de amores

sabendo que em cada gesto

há a ternura tão querida e esperada...
 
Simplesmente amar.
 

Célia Rangel

 

 

 

8 comentários:

  1. Oi Célia, que lindo!!
    Venho lhe desejar uma ótima tarde de quarta, beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  2. Que bonito poema,Celia! Nada como se sentir em paz desta maneira logo ao amanhecer! bjs,

    ResponderExcluir
  3. Que lindo poema, amo quando acordo e tento me lembrar dos sonhos, eles passam como fleches em minha mente, aos poucos vou me lembrando e fico bem assim como nos teus versos"...sem saber dia, hora ou local...", é mesmo fantástico!
    Abraços linda poetisa sensível!

    ResponderExcluir
  4. Bom dia, Célia. Adorei o teu poema, amiga.
    Ele conseguiu me emocionar.
    Os versos abaixo revelam o que eu passo e como preciso proceder.
    Amei ler.


    "Percorrer espaços

    ainda que da via crucis

    mas com alma angelical."

    Parabéns pelo conjunto da obra e lindo dia de paz.
    Beijos na alma.



    ResponderExcluir
  5. Gostei do "clima" desse poema, Célia. Tem uma certa leveza muito agradável. Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Os sonhos, sempre misteriosos e de difíceis interpretações, um poema muito interessante. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  7. Viver esta delícia de vida, sem porquês, muito bom! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.