segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Despojar-se




 

Na vida somos paridos e vamos parindo um monte de coisas

Submersas algumas, escondidas da realidade, tantas outras

Que um dia sobressaem e emergem da obscuridade

A dor é a mesma, ainda que a emoção seja bem diferente,

Certamente damos vez e voz às insistentes

Outras caem no ostracismo do esquecimento,

Separadas e catalogadas por sua importância ou urgência

Socorridas todas mediante total abnegação inteligente

Do que deve ou não ser despojado

Na dependência do comprometimento

Da liberdade do que tem prazer em ser ou fazer

Sem nenhuma compulsão, sem posse,

Apenas com desprendimento amoroso

Libertar sempre!

 

Célia Rangel

 

 

16 comentários:

  1. Um lindo dia pra vc, e que venha aparecer só as coisas boas =)

    ResponderExcluir
  2. Aprendemos tanto, com o passar do tempo....
    O Tempo é mesmo, sem sombra de dúvidas, "o Senhor da Razão".
    Ainda bem que, por outro lado, aprendemos a equilibrar emoção e razão,
    O mais importante, é não se perder a ternura...

    Seus textos, Célia, levam sempre à reflexões...
    Boa semana,
    meu abraço!

    ResponderExcluir
  3. ~ ~
    ~ ~ ~ ~ Libertemos!

    ~ ~ Uma semana agradável e iluminada. ~ ~
    ~

    ResponderExcluir
  4. Parimos algumas coisas. Outras, abortamos. Lindo texto, cheio de verdades!

    ResponderExcluir
  5. Oi Celia!
    Temos que ficar mais seletivo e não dar
    tanta importância à certas coisas...
    Com amor tudo se ajeita!
    Obrigada pelo seu comentário no Prosas Poéticas Celia!
    Uma ótima tarde, tudo de bom!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  6. Oi Célia,
    Quantas coisa temos que abortar na vida para não sofrer. Vamos amadurecendo e aprendendo.
    Sempre achei que deveria ser o contrário.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  7. Celia, são os ensinamentos que a vida nos traz! Linda, inspirada e lúcida poesia! bjs,

    ResponderExcluir
  8. «Desprendimento» e «libertar» são, para mim, as palavras chave deste teu poema!

    E que importantes são!!

    Beijinhos e ... viva Dilma?!...

    ResponderExcluir
  9. Olá,Boa noite, Célia
    Linda mensagem...
    ...penso eu: para despojar-se, precisamos estar completamente libertos do que temos prazer em ser ou fazer,porque requer uma renúncia do querer em todos os momentos…e também tirar de nós, tudo aquilo que nos aprisiona a viver com os olhos ACIMA do essencial...
    Obrigado pelo carinho,bela semana,beijos!

    ResponderExcluir
  10. Muito a propósito para o dia de São francisco, comemorado há pouco. Abraços, Célia.

    ResponderExcluir
  11. Olá Célia,
    Desprender-se, despojar-se, libertar-se. Fundamental para uma vida de plenitude.
    Difícil? Muito, mas vale a pena o exercício.
    Belíssimo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  12. Dar asas a nossas criações não é fácil, Célia, mas prendê-las só causa sofrimento. Mais uma vez, você arrasou. Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Com o tempo a gente vai aprendendo a se libertar de coisinhas que atrapalham a vida. Não é muito fácil, mas com perseverança, consegue-se.
    Você é mestra em ensinamentos e sabe das coisas!
    Abração.

    ResponderExcluir
  14. Oi querida Célia, que lindo, adorei!
    Tenha uma ótima semana, beijos!!

    ResponderExcluir
  15. Boa noite amiga!
    hoje vim lhe trazer votos de uma linda semana coberta de muito Amor
    Abraço amigo!
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  16. Célia, é no caminhar que vamos nos deparando com muitas coisas e, bendito àqueles que conseguem enxergar e mudar. E como é gratificante quando podemos perceber a necessidade de mudar, perceber o que não é relevante e ir separando. Vamos ficando mais leves e felizes porque podemos sentir o valor da verdadeira riqueza.
    Belo texto.
    Um beijo.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.