sábado, 1 de novembro de 2014

Para o momento - Leitura meditativa.



Resenha: A TRAVESSIA de William Paul Young

SINOPSE: Um derrame cerebral deixa Anthony Spencer, um multimilionário egocêntrico, em coma. Quando “acorda”, ele se vê em um mundo surreal habitado por um estranho, que descobre ser Jesus, e por uma idosa que é o Espírito Santo. À sua frente se descortina uma paisagem que lhe revela toda a mágoa e a tristeza de sua vida terrena. Jamais poderia ter imaginado tamanho horror. Debatendo-se contra um sofrimento emocional insuportável, ele implora por uma segunda chance.

Sua prece é ouvida e ele é enviado de volta à Terra, onde viverá uma experiência de profunda comunhão com uma série de pessoas e terá a oportunidade de reexaminar a própria vida. Nessa jornada, precisará “enxergar” através dos olhos dos outros e conhecer suas visões de mundo, suas esperanças, seus medos e seus desafios.

Na busca de redenção, Tony deverá usar um poder que lhe foi concedido: o de curar uma pessoa. Será que ele terá coragem de fazer a escolha certa?

RESENHA:

Ao Iniciar a leitura de A TRAVESSIA de William Paul Young, eu tive certeza que esta obra seria tão boa quanto o sucesso mundial de vendas, A CABANA e eu estava certíssima.  Felizmente ambos os livros foram publicados aqui no Brasil pela Editora Arqueiro, a mesma que me presenteou com "Prova para Leitura" e devo agradecer por esta benção. O Livro é narrado em terceira pessoa, tem uma linguagem agradável e de fácil entendimento. Nada tem a ver com livros religiosos ou de autoajuda. É um  belo romance que nos envolve na história a ponto de nos fazer refletir sobre nossos atos e pensar mais no próximo.

Somos apresentados ao protagonista Anthony Spencer, um  verdadeiro HOMEM DE SUCESSO. Lindo, rico, inteligente, rodeado por mulheres e aparentemente feliz. Eu disse, "aparentemente".

Ainda criança, perderá os pais em circunstâncias diferentes e passou por vários lares para adoção junto com seu irmão mais novo. Não compreendia como sua amada mãe tão devota e religiosa pode ser-lhe arrancada a vida por "Deus". Passou a culpá-lo por tudo de errado que lhe acontecia e começou a rebelar-se contra o Criador.

Quando adulto, casou-se duas vezes com a mesma mulher, na primeira vez, gerara um casal de filhos e o pouco de sentimento que ainda tinha em seu coração foi dado a eles. Só que, um infortúnio aconteceu, Gabriel, seu filho estava com câncer e foi definhando-se aos poucos até "Deus" levá-lo de si.

Foi a gota d'água, Tony virou definitivamente as costas para Deus, tornando-se frio e cruel, a ponto de torturar emocionalmente sua esposa, culpando-a "também" pela morte de Gabriel. Não aguentando a pressão e a frieza, ela pediu o divórcio.

Dois anos depois, reconquistou e casou-se novamente com a ex-mulher, apenas com o intuito de vingança. E como consequência de seus atos, magoara a filha que nunca o perdoaria por fazer-lhes sofrer.

Perdera ambas e a solidão foi a sua mais fiel companhia.

Amargurado, tornou-se um homem ainda mais frio, inescrupuloso, egocêntrico e desconfiado, tinha uma barreira que impedia passar emoções positivas. Não jogava para perder e pisava em quem tentasse ferir seu orgulho, foi o caso da esposa. Na vida profissional não era diferente, humilhava e sentia desdém por todos em sua volta..

Mas, Tony não contava com o que estava por vir.

Com mania de perseguição, isolou-se em seu "esconderijo secreto" a fim de relaxar e fugir das poucas pessoas de seu convívio. Sozinho, começa a sentir-se mal, sofre um derrame e fica  inconsciente...

Internado em um hospital em estado de coma, é constatado que Tony tem um tumor cerebral e pouco tempo de vida.

Ao "despertar" percebe encontrar-se em um lugar estranho, surreal e lá é recebido por Jack, Jesus, Espírito Santo (vovó para os íntimos) que pacientemente e docemente o leva a refletir sobre seus atos até o momento, mostra-lhe a triste verdade, as máscaras caem e o arrependimento sucumbiu sua alma. Triste consigo mesmo, Tony implora por uma segunda chance e Jesus, sempre misericordioso, o envia de volta ao "mundo real" para uma jornada, onde deverá escolher apenas uma pessoa para receber a cura divina. E neste percurso, Tony vive suas melhores experiências e seu maior aprendizado, Anthony aprende a amar.

Bom, vou parar por aqui, a história a partir dessa jornada, vai ficando cada vez mais emocionante e interessante. Conhecemos  junto com Tony os personagens coadjuvantes que irão encantar e alegrar a obra.

Sim, nem tudo são lagrimas de tristeza, fiquei deveras emocionada com o personagem chamado Cabby, um menino com síndrome de Down que vê muito além do que nossos olhos permitem. Conhecemos sua mãe Molly uma guerreira de fé inabalável. Também somos apresentados a amiga de Molly, Maggie, posso afirmar que a maior parte das risadas que dei foi por culpa exclusiva de Maggie. É através desses novos amigos que Anthony amadurece e algo muda dentro de si, algo infinitamente melhor.

“-Deus é capaz de transformar toda a dor, todo o desamparo, toda a mágoa e todas as coisas ruins em algo que jamais poderiam ter sido, ícones e monumentos de graça e amor”. É profundamente misterioso como as feridas e cicatrizes podem se tornar preciosidades, ou como uma cruz implacável e aterrorizante pode se tornar o maior símbolo de um amor inabalável.

- E isso vale a pena? - sussurrou Tony.

- Pergunta errada, filho. Não existe "isso". A pergunta certa sempre foi: "Você vale a pena?" E a resposta é e sempre será "Sim!”.

Enfim, a essência desta obra está nas mensagens que ela partilha conosco, está no aprendizado, naquilo que você se permite abraçar, aproveitar e mudar. Muitas vezes nós cultivamos o deserto dentro da gente, ao fecharmos o nosso coração, secamos e morremos, não a morte física, mas pra vida. Esse aprendizado ficou fixado em minha mente, nunca senti tanto a presença de Jesus como nesse livro, a emoção é indescritível.

Mais uma vez afirmo que, o Espírito Santo escreveu através das mãos de William P. Young, ele soube nos passar a mensagem, sem misturar religião e crendices. Mas nos fez abrir os olhos para algo maior, que é amor ao próximo.

Indico esse livro a todos que acreditam que algo de bom existe em nossas vidas, uns chamam de destino, outros apenas coincidência, eu chamo de Deus.

Na verdade Indico este livro a todos que amam fraternamente, incondicionalmente e divinamente.

****************

5 comentários:

  1. Parece ser uma história intrigante, cheia de emoções onde se fala de religião sem colocá-la num lugar comum.Vou lê-lo.
    Abração e obrigado pela indicação, Célia.

    ResponderExcluir
  2. Célia querida!
    Estou logada na conta da mãe, a pedido dela, pra lhe enviar um recado, ela está com saudade, da companhia partilhada no blog, e também das suas lindas poesias. Ela te enviou um email recentemente, espero que tenha recebido.
    Foi uma ótima surpresa ver essa resenha em seu blog. Mas não foi surpresa o teor do seu texto, vc é sempre muito sensível em suas escolhas e também nas palavras, quando transmite seus ensinamentos de vida. É um prazer poder desfrutar disso!
    Eu gosto muito desse autor, o livro A Cabana, modificou muitos dos meus conceitos errados e tocou o mais íntimo do meu ser, numa reflexão complexa sobre a vida em sua mais pura essência, assim como a capacidade do amor e do perdão. A "Prova para leitura" ainda não conheço, mas estou ansiosa pela leitura.
    Nos dê notícias suas. Um grande abraço nosso!

    ResponderExcluir
  3. Muito boa a resenha e parece interessante a leitura! bjs, chica

    ResponderExcluir
  4. Você é fera em escrever resenha, hein, Célia! O autor devia te contratar. Ótimo trabalho! Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Fera é o "autor"... eu, simplesmente uma leitora.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.