quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Pulsações









Sugar da quietude para narrar a vida


Regenerar amores em laços afetivos


Comunicar em silêncio com a lupa do olhar


Expressar secretos sentimentos


Saber usufruir dessas cegas ações


Visíveis apenas no laboratório da vida


Quando alquimias falam do mistério


Da magia ternurante entre almas


Onde há espaços que se complementam


De tudo o que alimenta emoções e paixões


No silêncio místico das chamas e das águas


Que a tudo regenera em substancial matéria


Onde pulsa o mundo.


 


Célia Rangel

5 comentários:

  1. Gostei da ligação entre a ilustração e o poema, Célia. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Linda inspiração amiga Célia!
    Amei ler, me fez lembrar do meu tempo de estudante, ainda bem criança, quando a professora colocava uma linda gravura na parede e pedia para que fizéssemos uma redação inspirada na mesma, eu ia longe, nossa!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  3. Belos pensamentos, Célia. São tantas as emoções onde pulsa o mundo...
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Gostei tanto de teus poemas que estou seguindo seu blog. Lindo e reflexivo poema. Parabéns e boa semana.

    ResponderExcluir
  5. Muito lindo! Que nosso coração muitas vezes desenfreando, continue pulsando a vida! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.