segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Fazê-lo novo a cada novo ano!


Natal – cidade natal: onde ocorreu o nascimento de alguém ou algo; festa do nascimento de Jesus. (Houaiss)

A minha árvore de Natal há muito foi plantada. É cultivada diariamente. Procuro enfeitá-la com orações, boas ações e muita fé naquilo em que creio profundamente.

Não sou adepta aos “enfeites comprados”. Isso é comércio. É compra e venda. É lucro. Enfeita-se externamente o que internamente está triste, melancólico, embolorado! Ato hipócrita.

Luzes! Estrelas! Bolas! Papais-noéis! Anjinhos! Sinos entoando cânticos comoventes... corações enternecidos! Com curto prazo de validade! Dezembro tão somente... depois cada um por si...

As doações! Esse item então é ilusório! Abrimos armários e tudo o que não nos serve mais, é doado... Quanta magnanimidade! Alimentos, roupas, apenas nesse mês. Depois, passem fome, frio!

As mensagens natalinas tornam-se chavões! Durante o ano todo muitas vezes nos esquivamos de dirigirmo-nos com palavras ternas ao nosso semelhante, ao nosso colega de trabalho, ao nosso vizinho. Nem um cumprimento pelo menos! Ouvi-lo? Acolhê-lo? Achamos estressante.

Isso é celebrar o Natal?

Sendo uma data símbolo de nascimento, então que pulse em nossos corações por toda nossa existência a Vida em abundância para que possamos ser felizes aqui e agora. Sempre! Não apenas em uma data!

Precisamos de um dia para celebrar CRISTO no meio de nós? Se assim o for... que falta de fé! Envergonho-me de ser cristão!

Célia Rangel



3 comentários:

  1. Viver é um dom, sempre digo, viver bem é algo que nos traz paz, meu Natal é calmo, já foi agitado, muitos entes queridos já estão "do outro lado", sinto portanto uma nostalgia, lembranças boas de natais passados!
    Amei ler aqui e amiga, te desejo um lindo Natal, repleto de amor!

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso desabafo e reflexão! Verdadeiramente é assim que pensamos e queremos ver as coisas diferentes! Natal não é só no dia!!bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. Texto contundente e necessário, Célia. Esse excesso de enfeites pra todo lado chega a atrapalhar. Semana passada, fui cortar o cabelo e me sentei, sem olhar, na poltrona onde sempre espero minha vez. Sem perceber, sentei numa espécie de almofada vermelha que começou a fazer "HO! HO! HO!" Dei um pulo. Era um Papai Noel ocupando o meu lugar. Que mico! Beijos!

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.