sábado, 27 de setembro de 2014

Na Balança do Existir


Se você se nubla,

eu ensolaro

fertilizando-nos.

 

Olhá-lo no cinza,

não é atraente

prefiro azulá-lo.

 

Na confluência de vidas,

o encontro de gerações

marca registrada no DNA.

 

Se hoje nuvens acinzentam meus cabelos,

se caminho devagar com minhas limitações,

é pelo peso das emoções acumuladas.

 

As marcas no rosto, nada mais são

que, as estradas percorridas

com o olhar de quem muito viu.

 

Não vejo a velhice como mal, ao contrário,

é a soma de vidas vividas

de todas que por nós passaram.

 

Fica a saudade de mágicos encontros,

mas se dermos acolhida com serenidade

outros virão preenchendo-nos com amores.

 

Célia Rangel


 
             (Google)