sábado, 7 de fevereiro de 2015

Vínculo

Caminhante!
Acolhi você.
Sem medo de decepções.
Era impossível resistir.
Envolvidos em ternura,
Aprofundamos nossa relação...
Hoje medito o espaço deixado.
Não há preenchimento.
Fica uma dor anestesiada.
Que a qualquer momento,
Instala-se como sinalizadora,
De momentos únicos!

Célia Rangel



10 comentários:

  1. Há vínculos que são formados e quando há a ausência, nada os preenchem...Lindo! bjs, ótimo domingo! chica

    ResponderExcluir
  2. Momentos assim vividos não há substitutos! É para guardar no fundo do coração, como únicos. Só tem lugar para a saudade. Poema curtinho, mas intenso.
    Bjus, Célia, ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. .
    ~ Muito puro, muito sincero e humano.

    ~ ~ ~ Belo, Célia.~ ~ ~

    ~ ~ Abraço amigo. ~ ~
    .

    ResponderExcluir
  4. Olá, querida Célia
    Dor anestesiada dói muito mais...
    Bjm fraternal

    ResponderExcluir
  5. relações duradouras começam assim.
    Linda poesia!

    ResponderExcluir
  6. Bonito demais esse poema, Célia. Atingiu um alto grau na escala arrepiométrica que uso para avaliar comoções poéticas. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Célia, que bela mensagem poética! Esse é um texto onde sem dúvidas, as palavras falam. Um beijo no seu coração.

    ResponderExcluir
  8. Oi querida Célia, linda mensagem!
    Vim lhe desejar uma excelente semana, beijos e fique com Deus!!

    ResponderExcluir
  9. Lindo poema de quem amou e foi amada! Beijos

    ResponderExcluir
  10. Preenchidas de momentos contínuos, próprios do enlace amoroso! abração

    ResponderExcluir

Seu comentário evidencia o seu 'pensar'.
Saiba que aprendo muito com você.
Obrigada, meu abraço,
Célia Rangel,
Autora responsável pelo blog.
Obs.: NÃO POSTAREI COMENTÁRIOS ANÔNIMOS.